A Interdisciplinaridade e a Percepção de Estudantes Universitários sobre as Mudanças Climáticas

  • Patricia dos Santos Mesquita Universidade de Brasília, CDS/UnB, Brasil.
  • Melissa Volpato Curi Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil.
  • Marcel Bursztyn Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Palavras-chave: Mudanças Climáticas, Percepção, Universidade, Interdisciplinaridade

Resumo

A cidade de Brasília, localizada em um bioma em crescente processo de degradação, além de contribuir com a emissão de gases de efeito estufa, apresenta visíveis modificações ambientais devido às mudanças climáticas (MC). Nesse contexto, o artigo teve o objetivo de analisar a percepção de estudantes de graduação de diferentes áreas da Universidade de Brasília sobre as mudanças climáticas, de modo a se discutir a importância do ensino superior sobre as necessárias mudanças comportamentais e sociais em prol do meio ambiente. A aplicação de questionários (N=1526), estruturados em quatro conjuntos de questões (concepção sobre MC; conhecimentos climáticos; a UnB e a MC; e visões pessoais), permitiu a observação de que alunos de cursos multidisciplinares apresentaram maior conhecimento sobre a temática do clima, bem como sobre as causas antropogênicas das mudanças climáticas. A interdisciplinaridade é então discutida como um método de suma importância para uma melhor percepção dos estudantes sobre as mudanças ocorridas no ambiente e no clima, podendo impulsionar estratégias de mitigação e adaptação, e a consideração sobre o clima em contextos dentro e fora da universidade.

Biografia do Autor

Patricia dos Santos Mesquita, Universidade de Brasília, CDS/UnB, Brasil.
Doutorado em Desenvolvimento Sustentável pelo Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, CDS/UnB, Brasil. Pesquisadora (Pós-doutoranda) na Rede CLIMA - Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Regional, Brasil.
Melissa Volpato Curi, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil.
Doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil. Pesquisadora (Pós-doutoranda) na Rede CLIMA - Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Regional, Brasil.
Marcel Bursztyn, Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Doutorado em Economie pela Université de Picardie, UP, França. Docente na Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Coordenador Rede CLIMA - Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Regional, Brasil.

Referências

Bateson G 1980. Mind and Nature, a necessary unity. Bantan Books, Toronto.

Beck U 2008. World at Risk, Polity Press. Cambridge.

Bursztyn M 2004. Meio ambiente e interdisciplinaridade: desafios ao mundo acadêmico. The environment and interdisciplinarity: challenges to the academic world. Desenvolvimento e Meio Ambiente, p. 67–76.

Curi MV, Litre G, Ibiapina I, Andrade AJP 2016. Mudanças Climáticas e Percepção Ambiental: Contribuições da Antropologia do Clima. In: Bursztyn M, Rodrigues Filho S (Org.), O Clima em Transe: vulnerabilidade e adaptação da agricultura familiar, Garamond, Rio de Janeiro, p. 35-52.

Fogaça T, Limberger L 2014. Percepção Ambiental e Climática: Estudo de Caso em Colégios Públicos do Meio Urbano e Rural de Toledo–PR. Revista do Departamento de Geografia – USP, vol. 28, p. 134-156.

Funtowicz S, Ravetz J 2000. La ciência posnormal. Icaria, Bracelona.

Ingold T 2000. Perception of the Environment: Essays on livelihood, dwelling and skill. Routledge, London.

IPCC 2014. Climate Change 2014: Impacts, Adaptation, and Vulnerability. Part A: Global and Sectoral Aspects. Contribution of Working Group II to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change [Field, C.B., V.R. Barros, D.J. Dokken, K.J. Mach, M.D. Mastrandrea, T.E. Bilir, M. Chatterjee, K.L. Ebi, Y.O. Estrada, R.C. Genova, B. Girma, E.S. Kissel, A.N. Levy, S. MacCracken, P.R. Mastrandrea, and L.L. White (eds.)]. Cambridge University Press, Cambridge, United Kingdom and New York, NY, USA, 1132 pp.

Jacobi PR 2012. Governança ambiental, participação social e educação para a sustentabilidade. In: Philippi A et al (Eds), Gestão da Natureza Pública e Sustentabilidade, Manole, São Paulo.

Jacobi PR 2014. Mudanças Climáticas e ensino superior: a combinação entre pesquisa e educação. Educar em Revista. Editora UFPR, Edição Especial, n.3, Curitiba, p. 57-72.

Jacobi PRR, Guerra AFS, Sulaiman SN, Nepomuceno T 2011. Mudanças climáticas globais: a resposta da educação. Revista Brasileira de Educação, v.6, n.46. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v16n46/v16n46a08.pdf

Kuhnem A, Higushi MIG 2011. Percepção Ambiental. In: Cavalcante S, Elali GA 2011. Temas Básicos em Psicologia Ambiental, Vozes, Petrópolis, p. 250-266.

Lévi-Strauss C 1989. O Olhar Distanciado. Edições 70, Lisboa.

Lindoso DP, Rocha JD, Debortoli N, Parente ICI, Eiro FH, Bursztyn M, Filho SR, 2011. Climate Change and Vulnerability to Drought in the Semiarid: The Case of Smallholder Farmers in the Brazilian Northeast. In: Motta RS, Hargrave J, Luedemann G and Gutierrez MBS Gutierrez, editors, Climate Change in Brazil: Economic, Social and Regulatory Aspects, IPEA, Brasília, 235-254.

Litre G, Curi MV, Mesquita PS, Nasuti S, Rocha G 2017. O desafio da comunicação da pesquisa sobre riscos climáticos na agricultura familiar: a experiência de uso de cartilha educativa no Semiárido nordestino. Desenvolvimento e Meio Ambiente, UFPR, v. 40. Available from: http://revistas.ufpr.br/made/article/view/49069

Marengo JA, Nobre CA, Seluchi ME, Cuartas A, Alves LMA, Mendiondo EM, Obregón G, Sampaio G. A 2015. A seca e a crise hídrica de 2014-2015 em São Paulo. Revista USP, São Paulo, n. 106, p. 31-44. Available from: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/110101/108684

Merleau-Ponty M 1999. Fenomenologia da percepção. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 2.ed. Martins Fontes, São Paulo.

Mesquita E 2012. Ver de perto pra contar de certo. As mudanças climáticas sob os olhares dos moradores da floresta do Alto Juruá, PhD Thesis, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Unicamp, Campinas-SP.

Mesquita PS, Wittman H, Mota JA 2016. Climate variability, agricultural livelihoods and food security in Semiarid Brazil, Sustentabilidade em Debate. 7, 38–51.

Miller R 1982. Varieties of interdisciplinary approaches in the social sciences. Issues in Integrative Studies 1, 1–37.
Morin E 2003. Introdução ao pensamento complexo. Editora Sulina, Porto Alegre.

Nasuti S, Curi MV, Silva NM, Andrade AJP, Ibiapina I, Souza CR, Saito C 2013. Conhecimento Tradicional e Previsões Meteorológicas: Agricultores Familiares e As Experiências de Inverno no Semiárido Potiguar, Revista Econômica do Nordeste, v. 44, p. 384-402.

Nobre CA, Salazar LF, Oyama M, Cardoso M, Sampaio G, Lapola D 2007. Relatório N0 6 – Mudanças Climáticas e possíveis alterações nos Biomas da América do Sul. Ministério do Meio Ambiente, São Paulo.
Available from: http://mudancasclimaticas.cptec.inpe.br/~rmclima/pdfs/prod_probio/Relatorio_6.pdf

Okamoto J 2002. Percepção Ambiental e Comportamento: visão holística da percepção ambiental na arquitetura e na comunicação. Mackenzie, São Paulo.

Oliveira LA 2002. Percepção da qualidade ambiental. Caderno Geografia, v.12, n.18, Belo Horizonte, pp. 40-49.

Raynaut C 2011. Interdisciplinaridade: mundo contemporâneo, complexidade e desafio à produção e à aplicação de conhecimentos. In: Philippi A, Silva Neto A, editors, Interdisciplinaridade em Ciência, Tecnologia e Inovação, Manole, São Paulo.

Reis PR 2004. Controvérsias sócio-científicas: discutir ou não discutir? Percursos de aprendizagem na disciplina ciências da terra e da vida, PhD Thesis, Universidade de Lisboa, Lisboa.

Santos BS 2007. Para além do pensamento abyssal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos estudos CEBRAP, n. 79.

Tuan Y 1983. Topofilia: Um Estudo da Percepção, Atitudes e Valores do Meio Ambiente. Difel, São Paulo.

Tuncer G 2008. University Students' Perception on Sustainable Development: A Case Study from Turkey. International Research in Geographical and Environmental Education 17, 212–226.

UN (1993), Agenda 21: Programme of action for sustainable develop- ment; Rio declaration on environment and development; Statement of forest principles, United Nations Dept. of Public Information, New York.
Wachholz S, Artz N, Chene D 2014. Warming to the idea: university students' knowledge and attitudes about climate change, International Journal of Sustainability in Higher Education 15, 128–141.
Publicado
2018-05-11
Como Citar
Mesquita, Patricia, Melissa Volpato Curi, e Marcel Bursztyn. 2018. A Interdisciplinaridade E a Percepção De Estudantes Universitários Sobre As Mudanças Climáticas. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 7 (1), 306-25. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2018v7i1.p306-325.