A Sojização da Agricultura Moderna no Paraná, Brasil: Uma questão de história ambiental

Resumo

Este artigo discute o processo de sojização da agricultura no estado do Paraná sob a perspectiva de uma história ambiental das práticas agrícolas modernas. Argumentamos que a sojização da agricultura – ou seja, a radical substituição de outras culturas tradicionalmente plantadas pela soja em meio à agricultura moderna – não é apenas o último capítulo da modernização da atividade agrícola mas sim que com ela evidenciou-se a consolidação de um duplo movimento da segunda metade do século XX, marcado por apropriações da biologia pela política e vice-versa. A soja também tem representado um desafio intelectual interessante do ponto de vista da história ambiental numa época de unificação biológica do mundo. Para pensar a sojização da agricultura no Paraná, acompanhamos a produção jornalística regional do estado à época da expansão, por entender que a imprensa regional agrega e institui na esfera pública do Paraná projetos políticos, científicos e tecnológicos de transformação.

Biografia do Autor

Jo Klanovicz, Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Brasil.
Doutorado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil. Docente na Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Brasil.
Lucas Mores, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Doutorado em andamento em História pela Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.

Referências

Acarpa 1974. Relatório Técnico. Acarpa. Curitiba.
Adapar 2017. Paraná adota vazio sanitário da soja para evitar proliferação da ferrugem asiática. Agência de Defesa Agropecuária do Paraná. Disponível em: http://www.adapar.pr.gov.br/modules/noticias/article. php?storyid=402&tit=Parana-adota-vazio-sanitario-da-soja-para-evitar-proliferacao-da-ferrugem-asiatica.
Arias Neto JM 2008. O Eldourado: representações da política em Londrina (1930-1975). Eduel, Londrina.
Arruda G 2010. A “grande transformação” e a biota cultural das populações em movimento. Diálogos, Maringá 14(2): 287-303.
Buell L 1995. The Environmental Imagination. Belknap/Harvard Press, Boston.
Brum AL, Heck CR, Lemes CL 2004. As políticas brasileiras de fomento à cultura do trigo: uma revisão histórica. Desenvolvimento em questão, Ijuí, 3: 95-117.
Capelato MH 1988. A imprensa na história do Brasil. Contexto, São Paulo.
Companhia Nacional de Abastecimento 2012. Série histórica de área plantada: Soja (1976-2012). Brasília.
Campos M 2010. A Embrapa/soja em Londrina-PR e a pesquisa agrícola de um país moderno. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.
Cançado AM 2008. Majestades da cidade princesa: concurso Rainha da Soja de Ponta Grossa, Paraná (1970-1980). Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Paraná. Curitiba.
Carvalho MS 1999. O uso do solo na década de 1960 no norte do Paraná e a política cafeeira. Geografia: Londrina, 8(2): 135-141.
Choma D, Costa T, Vieira E 2008. Ao sabor do café: fotografias de Armínio Kaiser. Câmara Clara, Londrina.
Conceição O 1986. A expansão da soja no Rio Grande do Sul. Seel, Porto Alegre.
Dean W 2004. A ferro e fogo: a história e a devastação da mata atlântica brasileira. Companhia das letras, São Paulo.
Del Duca LJ 2016. Geneticista Iwar Beckman. Acesso em: 5 abr. 2017. Disponível em: http://www.cnpt.embrapa.br/pesquisa/agromet/pdf/Iwar%20Beckman.pdf.
Diário dos Campos 1971. Conservação do solo nos Campos Gerais, Diário dos Campos. Ponta Grosa, janeiro. Acervo Biblioteca Pública do Estado do Paraná.
Drummond JA 2002. Por que estudar a história ambiental do Brasil? – ensaio temático. Varia Historia. Belo Horizonte, 26: 13-32.
Esquema Oeste 1972. Agricultura ganha esperança no sul. Esquema Oeste, Guarapuava, janeiro. Acervo CEDOC-Unicentro.
Esquema Oeste 1972. Aprenda a plantar soja: vale a pena. Esquema Oeste, Guarapuava, dezembro. Acervo CEDOC-Unicentro.
Esquema Oeste 1973. A produção do soja cresce no Paraná. Esquema Oeste, Guarapuava, março. Acervo CEDOC-Unicentro.
Esquema Oeste 1976. Os novos rumos da alimentação. Esquema Oeste, Guarapuava, outubro. Acervo CEDOC-Guarapuava.
Esquema Oeste 1979. Soja terá grande expansão de produção. Esquema Oeste, Guarapuava, janeiro. Acervo CEDOC-Unicentro.
Fitzgerald D 2002. Every farm a factory: the industrial ideal in American Agriculture. Yale, New Haven.
Folha de Londrina 1973. O “Boom” do Soja: questão social à vista. Folha de Londrina, Londrina, julho. Acervo Folha de Londrina.
Folha de Londrina 1976. Soja: tudo correu bem. Folha de Londrina, fevereiro. Acervo Folha de Londrina.
Folha da Manhã 1957. Suinocultura cresce no Paraná. Folha da Manhã. Folha agropecuária. São Paulo, n 10.263. Acervo Digital Folha de São Paulo.
Gartner M, Klanovicz J 2012. “A primeira geração enfrenta a morte, a segunda a miséria e só a terceira encontra o pão de cada dia”. In: Anais do 2º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações. Florianópolis.
Gregory V 2002. Os eurobrasileiros e o espaço colonial: migrações no oeste do Paraná (1940-70). Edunioeste, Cascavel.
Kaster M, Queiroz L 1981. A soja no Paraná. In: S Miyasaka, J Medina. A soja no Brasil. CNPSoja, Londrina.
Hasse G 1996. O Brasil da soja: abrindo fronteiras, semeando cidades. LP & M, Porto Alegre.
Hobsbawm E 1995. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991). Companhia das Letras, São Paulo.
IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 2016. Distribuição espacial da soja nos biomas brasileiros 2005. Disponível em: ftp://geoftp.ibge.gov.br/mapas_tematicos/mapas_murais/ soja_2005.pdf.
Josephson PR 2007. Resources under regimes. Harvard University Press, Boston.
Klanovicz J. 2007. Natureza corrigida: uma história ambiental dos pomares de macieira no sul do Brasil (1960-1990). Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.
Luca TR 2010. História dos, nos e por meio dos periódicos. In CB Pinsky (org.). Fontes históricas. Contexto, São Paulo.
Mariano M 2012. “A capital do oeste”: um estudo das transformações e (re)significações da ocupação urbana em Cascavel- PR (1976-2010). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis.
Mazouyer M, Roudart L 2010. História das agriculturas no mundo. Editora da Unesp, São Paulo.
McCook S 2008. Crônica de uma praga anunciada: epidemias agrícolas e história ambiental do café nas Américas. Varia História, Belo Horizonte, 14(39): 87-111.
Mctrick M 2012. Industrial Agriculture In: J McNeill, ES Mauldin (org.) A companion to global Environmental History. Wiley-Blackwell, Malden:.
Ministério do interior 1972. Relatório do estudo para o controle da erosão no noroeste do estado do Paraná.
Moreira MG 2016. Soja 2014-15. Disponível em: http://www.agricultura.pr.gov.br/arquivos/File/ deral/Prognosticos/Soja__2014_15.pdf.
Mores L, Klanovicz J 2012. História Ambiental da Introdução das plantations de Soja (Glycine max) no Paraná, na segunda metade do século 20. Projeto de Iniciação Científica submetido à Unicentro. Disponível em: http://sites.unicentro.br/wp/lhag.
O Paraná 1977. Vamos comer Soja? O Paraná. Cascavel, abril. Acervo Biblioteca Púlblica do Estado do Paraná.
Paixão L, Priori A 2013. “Seca, Geada e Fogo”: um breve relato sobre os incêndios de 1963. In Anais VII Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em História Social, XIV Semana de História- Teorias e práticas do fazer histórico. Londrina.
Priori A, Pornari LR, Amancio S, Ipólito V 2012. História do Paraná (século XIX e XX). Eduem, Maringá.
Rodrigues JP, Pelegrini S 2012. Memória e História: os dissabores da geada negra em Ivatuba- Paraná. In: Anais do Congresso Internacional de Museologia. Maringá.
Rondon Comunicação 1974. Caravanas técnicas. Rondon Comunicação. Marechal Cândido Rondon. Acervo Biblioteca Pública do Estado do Paraná.
Rondon Comunicação 1975. O progresso que vem da terra 1975. Rondon Comunicação, Marechal Cândido Rondon, março. Acervo Biblioteca Pública do Estado do Paraná.
Saatkamp V 1985. Desafios, lutas e conquistas: história de Marechal Cândido Rondon. Assoeste, Cascavel.
Sandwell RW 2008. History on the Ground: Microhistory and Environmental History. In: A Maceachern, WJ Turkel, Method and meaning in Canadian environmental history. Nelson Education. Toronto, p.126-136.
Serra E 1992. Os primeiros processos de ocupação e a organização pioneira do espaço agrário no Paraná. Boletim de Geografia da UEM. Maringá, 1: 61-93.
Uekötter F 2014. Environmental histories of the global plantation. Campus, Frankfurt.
Uphoff N 2007. Agricultural futures: what lies beyond ‘modern agriculture’. Tropical Agriculture Association. 3: 13-19.
Veja 1973. A capital mundial da soja. Revista Veja, São Paulo, julho. Acervo Virtual da Revista Veja.
Weibel L 1949. Princípios de colonização europeia no sul do Brasil. Revista Brasileira de Geografia, 11:159-216. IBGE/ Conselho nacional de Geografia, Rio de Janeiro.
Worster D 2002. Transformações da terra: Para uma perspectiva agroecológica na história. Ambiente & Soc., vol. V-VI.
Publicado
2017-09-10
Como Citar
Klanovicz, Jo, e Lucas Mores. 2017. “A Sojização Da Agricultura Moderna No Paraná, Brasil: Uma Questão De História Ambienta”l. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 6 (2), 240-63. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2017v6i2.p240-263.