Importância A Importância da Utilização de Ferramentas que Trabalham a Inteligência Emocional Dentro da Preparação para Concurseiros na Área Do Direito

  • Juliane dos Reis Lara Ponce Ruiz Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN)
  • Leandro Correa Barboza Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN)
Palavras-chave: Inteligência emocional, Autoconhecimento, Direito, Psicologia

Resumo

A grande parte dos acadêmicos de direito tem como objetivo prestar concursos públicos, pois além da remuneração, existe a segurança e estabilidade na carreira. No entanto, a maioria não consegue chegar a tal objetivo, devido à falta de preparo, insegurança, nervosismo e desmotivação. Alguns até dominam o conhecimento do direito, das leis e doutrinas, mas a falta de domínio emocional, faz com que desistam de concurso e até mesmo de exercer profissão do direito, mesmo tendo um grande leque de áreas para atuar na carreira jurídica, a frustração sofrida os impedem que alcancem seus objetivos. Esse trabalho faz uma revisão bibliográfica que demonstra que com o correto uso de ferramentas que desenvolvam a inteligência emocional dos candidatos que prestam concursos, os mesmos podem vir a alcançar melhores resultados.

Referências

COOD, Amy. Presença: aprenda a impor-se aos grandes desafios. São Paulo: Editora Actual. 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica docente. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1997.

GOLEMAN, Daniel. Inteligência emocional – a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente, Editora Objetiva, 1995.

GOLEMAN, Daniel. Trabalhando com a inteligência emocional, Editora Objetiva, 1999.

KOLB, A.K., & KOLB, D.A. Experiential learning theory, 2009,

LENT, R. Neurociência da mente e do comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

MANUAL DE INTELIGÊNCIA EMOCIONAL, escrita a seis mãos por famosos conferencistas e instrutores europeus de PNL: Denis Bridoux, Patrick E. Merlevede e Ruby Vandamme. A edição é da Madras, São Paulo (www.madras.com.br).

MATURANA, H. Cognição, ciência e vida cotidiana. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

MATURANA, H.; REZEPKA, S. N. Formação e capacitação humana. Petrópolis: Vozes, 2000.

MATURANA, H.; VARELA F.J. A arvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Athena, 2001.

MATURANA, H.; VERDEN-ZÖLLER, G. Amar e brincar: fundamentos esquecidos do humano. São Paulo: Palas Athena, 2007.

SELIGMAN, Martin E. P. Florescer: uma nova compreensão da felicidade e do bem-estar. São Paulo: Editora Objetiva. 2011.

VASCONCELLOS, M.J.E. Pensamento sistêmico: o novo paradigma da ciência. Campinas, São Paulo: Papirus, 2002.
Publicado
2020-01-04
Seção
Artigos