O Conflito Ambiental entre Extrativismo e Conservação do Caranguejo-Uçá na Estação Ecológica de Guaraqueçaba, Brasil

  • Ana Carolina Vitorio Arantes Universidade Federal do Oeste do Pará, UFOPA, Brasil.
  • Juliana Lima Spínola Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
  • Cristina Frutuoso Teixeira Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Palavras-chave: Mediação, Termo de Compromisso, Unidade de Conservação

Resumo

O extrativismo do caranguejo-uçá é importante para a composição da renda de vilas pesqueiras do litoral norte do Paraná. Este recurso ocupa manguezais, parte deles protegidos pela Estação Ecológica (ESEC) de Guaraqueçaba. Embora este extrativismo realizado por pescadores artesanais seja tolerado na ESEC, ele é restringido por legislação de ordenamento pesqueiro vigente na região, instituindo o conflito ambiental entre pescadores e órgãos ambientais. Para mediá-lo e subsidiar a proposta de elaboração de termo de compromisso, o órgão gestor da ESEC promoveu um diagnóstico da atividade com a participação dos pescadores. Este artigo analisa o conflito ambiental frente à proposta de elaboração do termo, a partir do discurso de seus atores e da observação de situações de negociação entre eles. Mediante discordâncias, o processo de elaboração do termo dinamizou o conflito existente, alterou interações entre seus atores e proporcionou a revisão dos objetos de disputa em torno do uso da ESEC.

Biografia do Autor

Ana Carolina Vitorio Arantes, Universidade Federal do Oeste do Pará, UFOPA, Brasil.
Doutorado em andamento em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Oeste do Pará, UFOPA, Brasil. Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Juliana Lima Spínola, Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Cristina Frutuoso Teixeira, Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil. Professora na Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.

Referências

Acselrad H 2004. Conflitos ambientais no Brasil. Relume Dumará: Fundação Heirich Boll, Rio de Janeiro, 243 pp.
Andriguetto-Filho JM 1999. Sistemas técnicos de pesca e suas dinâmicas de transformação no litoral do Paraná, Brasil. Tese, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 242 pp.
Arantes ACV 2016. A dinâmica atual do conflito entre uso e conservação de recursos pesqueiros na Estação Ecológica de Guaraqueçaba, Paraná. Dissertação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 190 pp.
Brasil [database on the internet] 2000. Lei n° 9.985, de 18 de julho de 2000. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Diário Oficial da União, Brasília. [cited 2015 Fev 02]. Avaliable from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm.
Brasil [database on the internet] 2002. Decreto n° 4.340, de 22 de agosto de 2002. Regulamenta artigos da Lei n° 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília. [cited 2015 Abr 15]. Avaliable from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4340.htm.
Brasil [database on the internet] 2007. Decreto nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Diário Oficial da União. Brasília. [cited 2015 Fev 02]. Avaliable from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/ decreto/d6040.htm.
Brasil [database on the internet] 2012. Instrução Normativa n° 26, de 4 de julho de 2012. Estabelece diretrizes e regulamenta os procedimentos para a elaboração, implementação e monitoramento de termos de compromisso entre o Instituto Chico Mendes e populações tradicionais residentes em unidades de conservação onde sua presença não seja admitida ou esteja em desacordo com os instrumentos de gestão. Diário Oficial da União. Brasília. [cited 2015 Ago 21]. Avaliable from: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/DCOM_Instrucao_Normativa_ 26_2012.pdf.
Brito DMC 2008. Conflitos em unidades de conservação. PRACS, Rev. Eletrônica Humanid. Curso Ciênc. Soc. UNIFAP 1(1):1-12.
Brockington D, Igoe J 2006. Eviction for Conservation: A Global Overview. Conserv. Soc., 4(3):424–470.
Coser LA 1996. Conflito. In: W Outhwaite, T Bottomore (eds.). Dicionário do pensamento social do século XX. Jorge Zahar Ed., Rio de Janeiro, p. 120-123.
Destéfani HL, Faraco LFD, Medeiros RP 2015. Câmaras técnicas de pesca como instrumentos de gestão pesqueira em unidades de conservação marinho-costeiras: o caso do litoral do Paraná. In: Anais do VII SAPIS e II ELAPIS. 2015, Florianópolis. Anais... UFSC, Florianópolis, p. 715-723.
Destéfani HL, Paula G, Portella GDG, Filipkowski D, Mota LE, Paitch GZ, Sobczak JRS, Trimble M, Medeiros RP 2014. Pesquisa e extensão universitárias como subsídios à gestão participativa da pesca artesanal e de áreas marinhas protegidas no litoral do Paraná e Santa Catarina. In Anais do VI Encontro de Redes Rurais. Campinas. Anais... UNICAMP, Campinas.
Diegues AC, Moreira AC 2001. Espaços e recursos de uso comum. NUPAUB-USP, São Paulo, 294 pp.
Duarte LA 2013. Argonautas do Superagui: identidade, território e conflito em um parque nacional brasileiro. Dissertação, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 211 pp.
Faraco LFD 2012. Vulnerabilidade de pescadores paranaenses às mudanças climáticas e os fatores que influenciam suas estratégias de adaptação. Tese, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 261 pp.
Fenny D, Berkes F, McCay BJ, Acheson JM 2001. A Tragédia dos comuns: vinte e dois anos depois. In: AC Diegues, AC Moreira (orgs.). Espaços e recursos de uso comum. NUPAUB-USP, São Paulo, p. 17- 42.
Ferreira ADD, Brandenburg A, Rodrigues AS, Santos EB, Pinheiro G, Silva OH da 2007. Resistência e empoderamento no mundo rural. Estud. Soc. Agric., 15(1):123-159.
Ferreira LC 2004. Dimensões humanas da biodiversidade: mudanças sociais e conflitos em torno de áreas protegidas no Vale do Ribeira, SP, Brasil. Ambient. Soc., 7(1):47-68.
Ferreira LC 2005. Conflitos sociais e uso de recursos naturais: breves comentários sobre modelos teóricos e linhas de pesquisa. Política & Sociedade, 4(7):105-118.
Fleury LC, Almeida J 2010. Disputas pela legitimação de lógicas de uso e apropriação do meio natural: conservação ambiental, representações e conflitos no entorno do Parque Nacional das Emas – GO. R. Inter. Interdisc. INTERthesis., 7(1):37-68.
Harder E 2014. A constitucionalização dos direitos culturais no Brasil e os sentidos de uma perspectiva patrimonial. Tese, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 173 pp.
IAP [database on the Internet] 2002. Portaria n° 180, de 7 de outubro de 2002. [cited 2015 Jul 02]. Avaliable from: http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Portaria/2002/p_iap_ 180_2002_defesocaranguejo_uca_pr.pdf.
IAP [database on the Internet] 2015. Unidades de Conservação. [cited 2016 Fev 18]. Avaliable from: http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=288.
IBAMA [database on the internet] 2003. Portaria n° 52, de 30 de setembro de 2003. [cited 2015 Jul 02]. Avaliable from: http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Portaria/2003/p_ibama_ 52_2003_defesocaranguejouca_se_s.pdf.
ICMBio [database on the Internet] 2017. Unidades de Conservação. [cited 2016 Fev 18]. Avaliable from: http://www.icmbio.gov.br/portal/unidades-de-conservacao.
IPARDES [database on the Internet] 2013. Índice de Desenvolvimento Humano municipal segundo os municípios do Paraná - 1991/2000/2010. [cited 2016 Abr 07]. Avaliable from: http://www.ipardes. gov.br/pdf/indices/IDHM_municipios_pr.pdf.
Irving M de A 2010. Áreas protegidas e inclusão social: uma equação possível em políticas públicas de proteção da natureza no Brasil? Sinais soc., 4(12): 122-147.
Ivo CTC, Gesteira TCV 1999. Sinopse das observações sobre a bioecologia e pesca do caranguejo-uçá Ucides cordatus cordatus (Linnaeus 1763) capturado em estuários de sua área de ocorrência no Brasil. Bol. tec. cient. CEPENE., 7(2):9-52.
Jankowsky M 2007. Perspectivas a um manejo sustentável subsidiado pela ecologia humana: o caso da captura do caranguejo-uçá, Ucides cordatus, no município de Cananéia – SP - Brasil. Dissertação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 92 pp.
Lana PC, Marone E, Lopes RM, Machado EC 2001. The subtropical estuarine complex of Paranaguá Bay, Brazil. In: U Seeliger, B Kjerfve (eds.) Coastal Marine Ecosystems of Latin America. Ecological Studies. Springer, Berlin, Heidelberg, p. 131-145.
Lindoso LC, Parente TG 2015. Ação coletiva para o termo de compromisso na região do Jalapão - TO: fortalecendo os sistemas de uso comum? In: Anais do 7 Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade. 2015. Brasília. Anais… UnB, Brasília, p. 1-18.
Little PE 2001. Os conflitos socioambientais: um campo de estudo e de ação política. In: M Bursztyn (org.). A Difícil Sustentabilidade: políticas energéticas e conflitos ambientais. Garamond, Rio de Janeiro, p. 107-122.
Magalhães HF, Costa-Neto EM, Schiavetti A 2011. Saberes pesqueiros relacionados à coleta de siris e caranguejos (Decapoda: Brachyura) no município de Conde, Estado da Bahia. Biota neotro, 11(2):45-54.
Matos DGG 2010. Áreas naturais protegidas: panorama global e novos desafios. REDE – Revista Eletrônica do Prodema, 5(2):88-94.
Medeiros R, Young CEF [database on the internet] 2011. (eds.). Contribuição das unidades de conservação brasileiras para a economia nacional: Relatório Final. UNEP‐WCMC. [cited 2015 Out 23]. Avaliable from: http://www.mma.gov.br/estruturas/240/_arquivos/relatorio_final_contribuio_uc_ para_a_economia_nacional_reduzido_240.pdf.
Miguel LA, Zanoni MM 1998. Reflexões sobre a hostilidade das populações locais frente à implantação de políticas regionais de proteção ambiental no Brasil: o caso da APA de Guaraqueçaba, Paraná. In: 11° Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental, 1998, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, p. 620-626.
Myers N, Mittermeier RA, Mittermeier CG, da Fonseca GAB, Kent J 2000. Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature, 403:853–858.
OIT 1989 [database on the internet]. Convenção nº 169 sobre povos indígenas e tribais. [cited 2015 Fev 02]. Avaliable from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5051.htm.
Pereira DB 2014. Paradoxos do Papel do Estado nas Unidades de Conservação. In: A Zhouri, K Laschefski, DB Pereira (orgs.). A Insustentável Leveza da Política Ambiental: Desenvolvimento e conflitos socioambientais. Autêntica Editora, Belo Horizonte, p. 121-142.
Pierri NE 2003. O litoral do Paraná: entre a riqueza natural e a pobreza social. Desenvolv. Meio Ambient., 8:25-41.
Pierri NE, Silva J 2008. Populações tradicionais que dependem do entorno para sua subsistência: pescadores artesanais, In: R Angulo, F Brandini, NE Pierri (coords.). Avaliação de Impacto Ambiental do Porto Pontal (PR), Diagnóstico meio sócio-econômico, Tomo 3. AMB Planejamento Ambiental, Curitiba.
Silva JO 2013. Os usos dos manguezais nas unidades de conservação de Guaraqueçaba - PR: dinâmicas socioambientais. Dissertação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 203 pp.
Simmel G 1983a. A natureza sociológica do conflito. In: E Moraes Filho (org.). Simmel. Ática, São Paulo, p. 122-134.
Simmel G 1983b. Conflito e estrutura de grupo. In: E Moraes Filho (org.). Simmel. Ática, São Paulo, p. 151-164.
Sosma.org [database on the internet]. Atlas da Mata Atlântica faz radiografia do desmatamento no Paraná. [cited 2015 Ago 28]. Avaliable from: https://www.sosma.org.br/wp-content/uploads/2016/ 12/Atlas-municipios-SOS-Parana.pdf.
Spínola JL 2012. Participação e deliberação na RESEX Marinha do Pirajubaé (SC). Tese, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 207 pp.
Teixeira CF 2004. A proteção Ambiental em Guaraqueçaba: uma construção social. Tese, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 298 pp.
Teixeira CF 2005. O desenvolvimento sustentável em unidade de conservação: a “naturalização” do social. Rev. Bras. Ciên. Soc., 20(59):51-66.
Teixeira CF, Limont M 2008. Possibilidades e limites da participação social na gestão de conflito ambiental: o conselho gestor em unidade de conservação. Estud. Sociol., 1(14):95-116.
Vivekananda G 2001. Parque Nacional do Superagüi: a presença humana e os objetivos de conservação. Dissertação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 130 pp.
Zhouri A, Laschefski K (orgs.) 2010. Desenvolvimento e Conflitos Ambientais. V.1, Editora da UFMG, Belo Horizonte, 484 pp.
Publicado
2019-09-01
Como Citar
Arantes, Ana Carolina Vitorio, Juliana Lima Spínola, e Cristina Frutuoso Teixeira. 2019. “O Conflito Ambiental Entre Extrativismo E Conservação Do Caranguejo-Uçá Na Estação Ecológica De Guaraqueçaba, Brasi”l. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 8 (3), 157-78. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2019v8i3.p157-178.