Interculturalidade Crítica, Transdisciplinaridade e Decolonialidade na Formação de Professores Indígenas do Povo Berò Biawa Mahadu/Javaé: Análise de Práticas Pedagógicas Contextualizadas em um Curso de Educação Intercultural Indígena

  • Elias Nazareno Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil
  • Sônia Maria de Magalhães Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
  • Marco Túlio Urzeda Freitas Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
Palavras-chave: Educação Escolar Indígena, Interculturalidade Epistêmica, Decolonialidade

Resumo

O Curso de Educação Intercultural da Universidade Federal de Goiás foi criado em 2007 e tem por objetivo fundamental a formação de professores indígenas de 25 povos indígenas que atuam nas escolas de seus territórios nas regiões Araguaia-Tocantins e Xingu. Os princípios pedagógicos do curso são a interculturalidade crítica e a transdisciplinaridade, pensados a partir de uma perspectiva decolonial e como potencializadores para a emergência de novas bases epistemológicas que contribuam na construção de matrizes curriculares interculturais e interepistêmicas para as escolas indígenas. Este estudo procura perceber as possibilidades da emergência e afirmação dos conhecimentos indígenas, por meio de novas práticas pedagógicas contextualizadas utilizadas por alunos do povo Javaé ao longo do estágio no Curso de Educação Intercultural.

Biografia do Autor

Elias Nazareno, Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil
Doutorado em Sociologia pela Universidad de Barcelona, UB, Espanha. Professor na Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil
Sônia Maria de Magalhães, Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
Doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil. Professora na Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
Marco Túlio Urzeda Freitas, Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
Doutorado em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.

Referências

Araújo AM, Nazareno E 2013. Interculturalidade, complexidade ambiental e educação quilombola. In: CCP Moraes, LF Oliveira et al. (Org.). Educação quilombola. 3.ed. UFG, Goiânia, p. 269-313.
Brasil 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Lei no. 9394 de dezembro de 1996. Brasil.
Canen A 1999. Multiculturalismo e formação docente: experiências narradas. Educação e Realidade, 24(2): 89-102.
Canen A 2001. Universos culturais e representações docentes: subsídios para a formação de professores para a diversidade cultural. Educação e Sociedade, 77:207-227.
Canen A, Grant N 1999. Intercultural perspective and knowledge for equity in the Mercosul countries: limits and potentials in educational policies. Comparative Education, 35(3):319-330.
Canen A, Moreira AF 2001. Reflexões sobre o multiculturalismo na escola e na formação docente. In: A Canen, AF Moreira (orgs.). Ênfases e omissões no currículo. Papirus, São Paulo, p. 15-43.
Denzin NK, Lincoln YS 2008. Introduction: the discipline and practice of qualitative research. In: NK Denzin, YS Lincoln (org.). The landscape of qualitative research. Sage Publications, Thousand Oaks, p. 1-44.
Fleury RM 2003. Intercultura e Educação. Revista Brasileira de Educação, 23:.
Grant N 2000. Multicultural education in Scotland. Dunedin Academic Press, Edinburgh.
Guimarães AS 2006. Depois da democracia racial. Tempo Social. Revista de Sociologia da USP, 18(2).
Habermas J 2002. O Discurso Filosófico da Modernidade. Martins Fontes, São Paulo.
Hegel GWF 2005. Os Pensadores. Editora Nova Cultural, São Paulo.
Herbetta A (org.) 2018. Novas Práticas Pedagógicas: considerações sobre transformações escolares a partir da atuação de docentes indígenas do Núcleo Takinahaky. Editora da UFG, Goiânia.
Mclaren P 2000. Multiculturalismo revolucionário: pedagogia do dissenso para o novo milênio. Artes Médicas, Porto Alegre.
Melatti JC. Convenção para a Grafia dos Nomes Tribais. Revista de Antropologia, vol. 2, nº 2, São Paulo, 1954, pp. 150-152.
Mignolo W 2008. La opción de-colonial: desprendimiento y apertura. Un Manifiesto y un Caso. Tabula Rasa, Bogotá, 8:243-281.
Mignolo W 2010. Desobediencia epistémica. Retórica de la modernidad, lógica de la colonialidad y gramática de la descolonialidad. Colección Razón Política. Ediciones del Signo, Buenos Aires.
Nascimento AM 2012. Português intercultural [manuscrito]: Fundamentos para a educação linguística de professores e professoras indígenas em formação superior específica numa perspectiva intercultural. Tese de Doutorado (Linguística), Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 476 pp.
Nazareno E 2017. PIBID-diversidade: construção de bases epistemológicas na formação de professores indígenas (PIBID-diversity: construction of epistemological bases in the formation of indigenous teachers). Crítica Educativa, 3:493-506.
Nazareno E, Dias LO (orgs.) 2017. Coleção Conhecimentos Indígenas: povo indígena Pyhcop Cati Ji - Gavião. vol.10. Editora da Imprensa Universitária, Goiânia, 120 pp.
Nazareno E, Silva LJ, Silva JAF (orgs.) 2017. Documentação de saberes indígenas: povo indígena Akwẽ - Xerente. vol.08. Editora Imprensa Universitária, Goiânia, 340 pp.
Nicolescu B 2000. Um novo tipo de conhecimento – transdisciplinaridade. In Educação e Transdisciplinaridade. CETRANS – Centro de Educação Transdisciplinar, USP, São Paulo.
Oliveira E, Pinto JP 2011. Linguajamentos e contra-hegemonias epistêmicas sobre linguagem em produções escritas indígenas. Linguagem em (Dis)curso, 11(2):311-335.
Pimentel da Silva MS 2010. Práticas pedagógicas em educação bilíngüe intercultural. Universidade Federal de Goiás, Goiânia.
Pimentel da Silva MS, Borges MV (org.) 2013. Educação Intercultural: experiências e desafios políticos pedagógicos. PROLIND/SECAD-MEC/FUNAPE/UFG, Goiânia.
Pimentel da Silva MS, Borges MV 2012. Políticas linguísticas e pedagógicas em práticas de educação bilíngue intercultural. RBPG. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 8:249-273.
Pin AE 2014. História da educação do povo Javaé: do período colonial à República. Dissertação de Mestrado (História), Universidade Federal de Goiás, Goiânia.
PPP (Projeto Político Pedagógico) 2014. Educação Intercultural Indígena da UFG. Disponível em: http://intercultural.letras.ufg.br/pages/21070-estrutura-do-curso#1.
Quijano A 2002. Colonialidade, poder, globalização e democracia. Novos Rumos, 37:.
Rocha LM 1998. O Estado e os índios: Goiás, 1850-1889. Ed. UFG, Goiânia, 1998.
Rodrigues PMO 1993. Povo do Meio: tempo, cosmo e gênero entre os Javaé da Ilha do Bananal. Dissertação de Mestrado (Antropologia), Universidade de Brasília, Brasília.
Rodrigues PMO 2007. O meio como lugar da História. Campos, 8(1):.
Rodrigues PMO 2008a. Relatório de Identificação e Delimitação Terra Indígena Utaria Wyhyna (Karajá) / Iròdu Iràna (Javaé), Ilha do Bananal/TO. FUNAI, Brasília.
Rodrigues PMO 2008b. A caminhada de Tanỹxiwè: Uma teoria Javaé da História. Tese de Doutorado, Universidade de Chicago, Chicago.
Santos BS 2008. A Gramática do tempo: para uma nova cultura política. Edições Afrontamento, Porto.
Santos BS 2009. Para além do pensamento abissal. Das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In BS Santos, MP Meneses (orgs.). Epistemologias do Sul. Editora Almedina, Lisboa.
Silva LJ, Nascimento AM, Nazareno E, Ribeiro JPM (orgs.) 2017. Documentação de saberes indígenas. vol.4. Editora da Imprensa Universitária (*iU), Goiânia, 196 pp.
Smith LT 1999. Decolonizing methodologies: research and indigenous peoples. Zeb Books, London.
Toral AA 1992. Cosmologia e Sociedade Karajá. 1982. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacional, Rio de janeiro.
Walsh C 2010a. Estudios (inter)culturales en clave de-colonial. Tabula Rasa, 12:209-227.
Walsh C 2010b. Interculturalidad crítica y educación intercultural. In: J Viana, L Tapia, C Walsh. Construyendo interculturalidad crítica. Instituto Internacional de Integración del Convenio Andrés Bello, La Paz.
Publicado
2019-09-01
Como Citar
Nazareno, Elias, Sônia Maria de Magalhães, e Marco Túlio Urzeda Freitas. 2019. “Interculturalidade Crítica, Transdisciplinaridade E Decolonialidade Na Formação De Professores Indígenas Do Povo Berò Biawa Mahadu/Javaé: Análise De Práticas Pedagógicas Contextualizadas Em Um Curso De Educação Intercultural Indígen”a. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 8 (3), 490-508. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2019v8i3.p490-508.