A História do Conceito de Conservação e o Caso da Onça-Pintada no Brasil

  • Fernanda Pereira de Mesquita nora Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
  • José Luiz de Andrade Franco Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Palavras-chave: Conservação, História dos Conceitos, História da Ciência, Onça-Pintada

Resumo

O presente artigo relaciona a história do conceito de conservação com as estratégias de conservação da onça-pintada no Brasil, desenvolvidas a partir do final da década de 1970. Buscou-se compreender os significados agregados ao conceito de conservação, quais elementos foram incorporados, os seus deslocamentos e o que eles informam acerca das interações com circunstâncias e práticas sociais. Para tanto, foram analisadas fontes bibliográficas primárias e secundárias sobre a história da conservação, publicações científicas sobre a onça-pintada no Brasil, e foram consultados sites de projetos de conservação. Observou-se que o conceito de conservação foi apropriado de diversas formas: a conservação pensada por especialistas e com base no valor intrínseco e ecológico da espécie, assim como a conservação com base nos requisitos do “mundo real”, em função, sobretudo, do conflito com populações humanas. Essas apropriações refletem a dinamicidade do conceito, que comunica com questões de cunho filosófico, cultural, político e econômico.

Biografia do Autor

Fernanda Pereira de Mesquita nora, Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Doutorado em andamento em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
José Luiz de Andrade Franco, Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Doutorado em História pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Docente na Universidade de Brasília, UnB, Brasil.

Referências

Alagona P 2013. After the Grizzly - Endangered Species and the Politics of Place in California. University of California Press, Berkeley, Los Angeles, London.

Bursztyn MA, Burzstyn M 2012. Fundamentos de política e gestão ambiental: caminhos para a sustentabilidade. Garamond, Rio de Janeiro, 606pp

Callicott JB 1994. Earth's insights: a multicultural survey of ecological ethics from the Mediterranean Basin to the Australian Outback. University of California Press, London, 292p.

Callicott JB 1990. Whither conservation ethics? Conservation Biology 4(1):15-20.

Caso A, Lopez-Gonzalez C, Payan E, Eizirik E, de Oliveira T, Leite-Pitman R, Kelly M, Valderrama C 2008. Panthera onca. The IUCN Red List of Threatened Species.

Crawshaw PG, Quigley H 1984. A ecologia do jaguar ou onça-pintada no Pantanal Mato-grossense. Estudos bioecológicos do Pantanal matogrossense – relatório final – parte I. IBDF, Brasília, 50pp.

Crawshaw Jr PG 1997. Recomendações para um modelo de pesquisa sobre felinos neotropicais. In C Valadares-Pádua, RE Bodmer (eds.). Manejo e conservação de vida silvestre no Brasil. Sociedade Civil Mamirauá, MCT-CNPq, Belém, p. 70-94.

Crawshaw Jr PG 2006. The history of carnivore research in Brazil. In RG Morato, FHG Rodrigues, E Eizirik, PR Mangini, FCC Azevedo, J Marinho-Filho. Manejo e conservação de carnívoros neotropicais. IBAMA/MMA, Brasília, p. 17-37

Desbiez A, Beisiegel BM, de Campos CB, Sana DA, Moraes Jr EA, Ramalho EE, Azevedo FCC, Ferraz KMP, Crawshaw Jr PG, Boulhosa RLP, de Paula RC, Nijhawan S, Cavalcanti SMC, Oliveira TG, Tomás WM 2013. In R Cunha de Paula, A Desbiez, SMC Cavalcanti (orgs). Plano de ação nacional para a conservação da onça-pintada. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, Brasília, 384 p.

Eizirik E, Kim JH, Menotti‐Raymond M, Crawshaw Jr PG, O’Brien SJ, Johnson WE 2001. Phylogeography, population history and conservation genetics of jaguars (Panthera onca, Mammalia, Felidae). Molecular Ecology 10(1):65-79.
Franco JLA, Schittini GM, Braz VS 2015. História da conservação da natureza e das áreas protegidas: panorama geral. Historiæ 6(2):233-270.

Franco JLA, Drummond JA 2009. Proteção à natureza e identidade nacional no Brasil, anos 1920-1940. Editora FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 272pp.

Franco JLA, Drummond JA 2010. O cuidado da natureza: a Fundação Brasileira para a Conservação da Natureza e a experiência conservacionista no Brasil: 1958-1992. Textos de História. Revista do Programa de Pós-graduação em História da UnB 17(1):59-84.

Franco JLA 2013. O conceito de biodiversidade e a história da biologia da conservação: da preservação da wilderness à conservação da biodiversidade. História (São Paulo) 32(2):21-48.

Franco JLA 2015. Patrimônio cultural e natural, direitos humanos e direitos da natureza. In IVP Soares, S Cureau (orgs.). Bens Culturais e Direitos Humanos. SESC, São Paulo, pp. 155-184.

Franco JLA 2016. História da Panthera onca no Brasil: entre o terror e a admiração (séculos XVI – XXI). In JLA Franco, S Dutra e Silva, JA Drummond, GG Tavares (orgs.). História Ambiental: territórios, fronteiras e biodiversidade. Vol.2, Garamond, Rio de Janeiro, p. 393-342.

Holdgate M 1999. The Green Web: A Union for World Conservation. IUCN/Earthscan, London.
Johnson W, Eizirik E, O’Brien SJ 2002. Evolución y genética de poblaciones de jaguar: implicaciones para los esfuerzos futuros de conservación. In RA Médellin, C Equihua, CLB Chetkiewicz, PG Crawshaw Jr, A Rabinowitz, KH Redford, JG Robinson, EW Sanderson, A Taber (orgs.). El jaguar en el Nuevo milenio. Fondo de cultura econômica/Instituto de ecologia: Universidade Autônoma do México/ Wildlife Conservation Society, México, p. 519-534.

Koselleck R 2006. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Contraponto: Ed. PUC-Rio Rio de Janeiro. tradução do original alemão por WP Maas, FA Nascimento.

Lewis M 2007. Wilderness and Conservation Science. In M Lewis (ed). American Wilderness: A New History. Oxford University Press, New York, pp. 205-261

Marchini S. Onça-pintada: três décadas de publicações científicas. O eco. [artigo na internet]. dez. 2010 [citado em out 2017]. Disponível em: http://www.oeco.org.br/colunas/silvio-marchini/24666-onca-pintada-3-decadas-de-publicacoes/.
Mccormick J 1992. Rumo ao Paraíso: A História do Movimento Ambientalista. Relume-Dumará, Rio de Janeiro.
Médellin RA, Equihua C, Chetkiewicz CLB, Crawshaw Jr PG, Rabinowitz A, Redford KH, Robinson JG, Sanderson EW, Taber A (orgs) 2002. El jaguar en el nuevo milenio. Fondo de cultura econômica/Instituto de ecologia: Universidade Autônoma do México/ Wildlife Conservation Society, México, 647pp.

Morato RG, Mello Beisiegeli B, Ramalho EE, Campos CB, Boulhosa RLP 2013. Avaliação do risco de extinção da onça-pintada Panthera onca (Linnaeus, 1758) no Brasil. Biodiversidade Brasileira 3(1):122-132.

Muir J 1916. A Thousand-mile Walk to the Gulf. Houghton Mifflin Company, Boston and New York: 217p (por WF Badè, editor e biógrafo de John Muir).

Nash R 1989. The Rights of Nature: a history of environmental ethics. Wisconsin University Press, Wisconsin.

Nash RF 1990 (Edited). American Environmentalism: Readings in Conservation History. McGraw-Hill, New York.

Nash R 2014. Wilderness and the American mind. Yale University Press, 413p.

Oliveira TG, Cassaro K 2005. Guia de campo dos felinos do Brasil. Instituto Pró-Carnívoros, Atibaia, 80pp.

Primack RB, Rodrigues E 2001. Biologia da Conservação. Ed. Planta, Londrina, 327p

Runte A 2010. National Parks: The American Experience. 4.ed. Taylor, Lanham.

Sanderson EW, Chetkiewicz CLB, Médellin RA, Rabinowitz A, Redford KH, Robinson, Taber A 2002. Un análisis geográfico del estado de conservación y distribuición de los jaguars a através de su área de distribuición. In RA Médellin, C Equihua, CLB Chetkiewicz, PG Crawshaw Jr, A Rabinowitz, KH Redford, JG Robinson, EW Sanderson, A Taber (orgs). El jaguar en el Nuevo milenio. Fondo de cultura econômica/Instituto de ecologia: Universidade Autônoma do México/ Wildlife Conservation Society, México, p. 551-600.

Schaller G 2007. A Naturalist and Other Beasts: Tales from a life in the field. Sierra Club Books, San Francisco.
Seymour KL 1989. Panthera onca. Mammalian Species 340:1-9.

Sollmann R, Torres N, Silveira L 2008. Jaguar conservation in Brazil: the role of protected areas. Cat News 4:15-20

Soulé ME 1985. What is conservation biology? A new synthetic discipline addresses the dynamics and problems of perturbed species, communities, and ecosystems. BioScience 35(11):727-734.

Sunquist M 2002. Historia de la investigación sobre el jaguar em el continente americano. In RA Médellin, C Equihua, CLB Chetkiewicz, PG Crawshaw Jr, A Rabinowitz, KH Redford, JG Robinson, EW Sanderson, A Taber (orgs). El jaguar en el Nuevo milenio. Fondo de cultura econômica/Instituto de ecologia: Universidade Autônoma do México/ Wildlife Conservation Society, México, p. 535-549.

Turner JM 2012. The Promise of Wilderness: American Environmental Politics since 1964. University of Washington Press, Seattle.

Worster D 2012. A Natureza e a Desordem da História. In: JLA Franco, S Dutra e Silva, JA Drummond, GG Tavares (orgs.). História Ambiental: fronteiras, recursos naturais e conservação da natureza. Garamond, Rio de Janeiro, pp. 367-384.

Zeller KA, Rabinowitz A, Salom-Perez R., Quigley H 2013. The Jaguar Corridor Initiative: A Range-Wide Conservation Strategy. In M Ruiz-García, J Shostell (eds). Molecular Population Genetics, Evolutionary Biology and Biological Conservation of the Neotropical Carnivores. Nova Science Publishers Inc, New York, pp. 629-658.
Publicado
2018-12-24
Como Citar
nora, Fernanda, e José Luiz Franco. 2018. A História Do Conceito De Conservação E O Caso Da Onça-Pintada No Brasil. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 7 (3), 295-315. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2018v7i3.p295-315.