Conflitos de Uso e Cobertura do Solo para o Período de 1985 a 2017 na Bacia Hidrográfica do Rio Caldas-GO

  • Leovigildo Aparecido Costa Santos Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
  • Lais Marques Fernandes Vieira Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
  • Patrick Thomaz de Aquino Martins Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
  • Anamaria Achtschin Ferreira Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Palavras-chave: Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto, Áreas Protegidas, Landsat

Resumo

A bacia hidrográfica do rio Caldas possui área de drenagem de aproximadamente 1.288,00 km², abrange onze municípios e seu curso d’água principal é afluente do rio Meia-Ponte, um dos mananciais que abastecem Goiânia. Objetivou-se analisar: a) os conflitos de uso do solo por atividades antrópicas na bacia hidrográfica do rio Caldas, estado de Goiás, enfatizando as ocorrências destas atividades nas Áreas de Preservação Permanente (APPs) de cursos d'água, de acordo com a Lei 12.651/2012 (Código Florestal); b) o histórico da ocupação irregular das APPs para um período de 32 anos (1985 – 2017), observando se após a aprovação do Código Florestal ainda há irregularidades no uso do solo desses locais. A metodologia consistiu na consulta a documentos legais, avaliação cartográfica e na classificação de imagens de satélites para os anos de 1985, 2008, 2012 e 2017. Constatou-se que 35,903 km² são ocupados pelas APPs amostradas neste estudo, aproximadamente 2,8% da área da bacia. Para o ano de 1985 quantificou-se uma área de 30,93 km² de conflitos de uso do solo nas APPs, passando para 19,9 km² em 2008, 22,67 km² em 2012 e 17,18 km² em 2017. Pastagem foi a classe que mais ocupou áreas nas APPs em todos os anos avaliados. As alterações ocorridas na legislação após 1985 influenciaram na redução da ocupação das APPs, porém, em 2017 mais de 47% dessas áreas ainda são ocupadas ilegalmente. Os resultados mostram que as APPs estudadas sofreram intervenções antrópicas durante todo o período analisado, evidenciando o não cumprimento da legislação ambiental federal.

Biografia do Autor

Leovigildo Aparecido Costa Santos, Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Doutorado em andamento em Recursos Naturais do Cerrado pela Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Lais Marques Fernandes Vieira, Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Mestrado em Recursos Naturais do Cerrado pela Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Patrick Thomaz de Aquino Martins, Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Doutorado em Geociências e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil. Professor na Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Anamaria Achtschin Ferreira, Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.
Doutorado em Ecologia pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Professora na Universidade Estadual de Goiás, UEG, Brasil.

Referências

Alves KCLF, Viola RM, de Souza P, Giongo M, de Mello C 2015. Avaliação temporal dos conflitos de uso do solo na bacia hidrográfica do rio Formoso, Tocantins. Pesq flor bras, 35(83):271-283.

Brasil 1965. Lei n° 4.771, de 15 de setembro 1965. Institui o novo Código Florestal. Diário Oficial União, Brasília. 1965 set. 16, seção 1, p. 9.913.

Brasil 1986. Lei nº 7.511, de 7 de julho de 1986. Altera dispositivos da Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965, que institui o Código Florestal. Diário Oficial da União, Brasília. 1986 jul. 08, seção 1, p. 10049.

Brasil 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Senado Federal, Brasília, 292 p.

Brasil 1989. Lei nº 7.754, de 14 de abril de 1989. Revogado pela Lei nº 12.651, de 2012. Estabelece medidas para proteção das florestas existentes nas nascentes dos rios e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília. 1989 abr. 18, seção 1, p. 5780.

Brasil 1998. Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília. 1998 de fev. 13, seção 1, p. 1.

Brasil 2012. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Institui o Novo Código Florestal Brasileiro. Diário Oficial União, Brasília. 16 mai. 2012, seção 1, p. 1.

Butt A, Shabbir R, Ahmad SS, Aziz N 2015. Land use change mapping and analysis using Remote Sensing and GIS: A case study of Simly watershed, Islamabad, Pakistan. Egypt J Remote Sens Space Sci, 18(2):251-259.

Câmara G, Davis C 2001. Introdução. In: G Câmara, C Davis, AMV Monteiro. Introdução à Ciência da Geoinformação. INPE-10506-RPQ/24. [cited 2017 Nov 27]. Available from: http://www.dpi.inpe.br/ gilberto/livro/introd/.

Cardoso MRD, Marcuzzo FFN, Barros JR 2014. Classificação climática de Köppen-Geiger para o estado de Goiás e o Distrito Federal. Acta Geogr, 8(16):40-55.

Cattani CEV, Mercante E, de Souza CHW, Wrublack SC 2013. Desempenho de algoritmos de classificação supervisionada para imagens dos satélites RapidEye. Anais do XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Foz do Iguaçu, p. 8005-8010.

Coutinho LM, Zanetti SS, Cecílio RA, Garcia GO, Xavier AC 2013. Usos da terra e Áreas de Preservação Permanente (APP) na Bacia do Rio da Prata, Castelo-ES. Floresta e Ambiente, 20(4):425-434.

Cunha DF, Borges EM 2015. Urbanização Acelerada: Risco para o abastecimento de água na região metropolitana de Goiânia. Geo UERJ, 26:226-244.

Duarte GS, Costa GE, de Oliveira AP, Barros RS, Cruz CBM 2015. O uso da geometria do Landsat 8 como base para georreferenciamento semiautomático visando estudos espaço-temporais. Anais do XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, João Pessoa, p. 5216-5223.

Facco DS, Benedetti AC, Kaiser EA, Filho WP 2017. Avaliação da dinâmica do uso e cobertura da terra no município de Faxinal do Soturno no estado do Rio Grande do Sul. Anais do XVII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada: Os Desafios da Geografia Física na Fronteira do Conhecimento, Campinas, p. 6846-6855.

IMB (Instituto Mauro Borges de Estatística e Estudos Ambientais) [database on the Internet]. Estatísticas municipais: séries históricas. [cited 2017 Nov 28]. Available from: http://www.imb.go.gov.br/ pesqview.asp?caderno=PESQANUAIS.

INPE [database on the Internet]. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Catálogo de Imagens [cited 2017 Nov 28]. Available from: http://www.dgi.inpe.br/CDSR/.

Justino CJ 2014. Mapeamento do uso da terra e da cobertura vegetal da subbacia hidrográfica do rio São Tomé, sul de Minas Gerais, por mineração de dados utilizando imagens IRS-P6/ LISS III. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, 69 pp.

Lindner EA, Lapolli EM, Moss R, Kobiyama M 2004. Utilização de imagem LANDSAT 7/ETM+ para o estudo da Bacia Hidrográfica do Rio do Tigre – Joaçaba/SC, Brasil. Vol. 1, Congresso Interamericano de Ingenieria Sanitaria e Ambiental, San Juan de Porto Rico, p. 1-4.

Liu T, Yang X 2015. Monitoring land changes in an urban area using satellite imagery, GIS and landscape metrics. Appl Geogr, 56:42-54.

Magalhães CS, Ferreira RM 2000. Áreas de preservação permanente em uma microbacia. Inf Agropec, 207:33-39.

Meneses PR, Sano EE 2012. Classificação pixel a pixel de imagens. In PR Meneses, T Almeida. Introdução ao Processamento de Imagens de Sensoriamento Remoto, UNB, Brasília, p.191-208.

Moreira MA. 2001. Fundamentos de Sensoriamento Remoto e Metodologias de Aplicação. 1 Ed., São José dos Campos, 208 pp.

Nery CVM, Fernandes FHS, Moreira AA, Braga FL 2013. Avaliação das Técnicas de Classificação MAXVER, MAXVER – ICM e Distância Mínima Euclidiana de acordo com Índice Kappa. R Bras Geogr Fís, 02(06):211-219.

Pereira LS, Gonçalves BB, Silva-Neto CM, Santos ALF 2014. Evolução espaço-temporal do uso e cobertura da terra do Ribeirão Piancó em Anápolis – GO. R Mirante, 7(1):1-14.

Pinto CET, Rossete AM 2012. Mapeamento dos conflitos no uso da terra em áreas de preservação permanente na microbacia hidrográfica do córrego Capitão Décio, Nova Xavantina – MT. Ciência e Natura, 34(2):139-155.

Pires JSR, Santos JE, Del Prette ME 2002. A utilização do conceito de bacia hidrográfica para a conservação dos recursos naturais. In A Schiavetti, AFM Camargo. Conceitos de bacias hidrográficas: teorias e aplicações. Editus, Ilhéus, p. 17-35.

Santos LAC, Batista A, Neves COM, Carvalho EV, Santos MM, Giongo M 2017. Análise multitemporal do uso e cobertura da terra em nove municípios do Sul do Tocantins, utilizando imagens Landsat. R Agroambiente On-line, 11(2):111-118.

SIEG [database on the Internet]. Sistema Estadual de Geoinformação, Compartimentação do Estado de Goiás em Bacias Hidrográficas segundo metodologia do Dr. Otto Pfafstetter [cited 2017 Nov 28]. Available from: http://www.sieg.go.gov.br/siegdownloads/.

Silva LG, Martins AKE 2007. Identificação da composição colorida de imagem CBERS-2 na dinâmica de ocupação territorial em sub-bacia hidrográfica. Anais do Vol. XIII I Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Florianópolis, p. 1141-1145.

Silva Neto JB, Silva Júnior MG, Ucker FE, Alonso RRP, Lima ML 2015. Diagnósticos dos recursos hídricos: disponibilidade e demanda para a região metropolitana de Goiânia. R Eletr Educ Fac Araguaia, 8:149-167.

Sousa DG, Mincato RL, Kawakubo FS 2015. Análise multitemporal do uso da terra utilizando imagens Landsat-5 TM da região de Alfenas, Sul de Minas Gerais, visando a conservação de fragmentos florestais. R Bras Geogr Fís, 8(5):1482-1492.

Trevisan GV 2009. Análise da cobertura da terra em áreas de preservação permanente em Rondônia: avaliação com imagens de videografia e do sensor TM. Tese de Doutorado, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, 151 pp.

Tsujii PK, Ribeiro ACC, Carneiro VA, Silva-Neto CM, Gonçalves BB 2014. Uso e ocupação das áreas de preservação permanentes no sudoeste goiano. R Geogr, 31(3):43-60.

Venâncio SM 2014. Restauração florestal em áreas de preservação permanente e reserva legal. Viçosa, CPT, 316 pp.

Vilela BP 2009. Interpretação das paisagens culturais na Bacia Hidrográfica do Rio Caldas: uma proposta de princípios para ações em educação ambiental sustentada. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 120 pp.

Yang X, Lo CP 2002. Using a time series of satellite imagery to detect land use and land cover changes in the Atlanta, Georgia metropolitan area. Int J Remote Sens, 23(9):1775-1798.
Publicado
2019-05-01
Como Citar
Santos, Leovigildo Aparecido Costa, Lais Marques Fernandes Vieira, Patrick Thomaz de Aquino Martins, e Anamaria Achtschin Ferreira. 2019. Conflitos De Uso E Cobertura Do Solo Para O Período De 1985 a 2017 Na Bacia Hidrográfica Do Rio Caldas-GO. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 8 (2), 189-211. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2019v8i2.p189-211.
Seção
Dossiê - Tecnologias, Inovação e Sustentabilidade