Diferentes Misturas de Substrato com Lodo de Esgoto Compostado Enriquecido e Substrato Comercial em Quaresmeira

  • Thomaz Figueiredo Lobo Universidade do Sagrado Coração, USC, Brasil.
  • Fernando Carvalho Oliveira Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Companhia de Saneamento de Jundiaí, ETE-JUNDIAÍ, Brasil.
  • Bruna Tavares Morgado Universidade do Sagrado Coração, USC, Brasil.
  • Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira Universidade Sagrado Coração, USC, Brasil.
Palavras-chave: Nutricao Mineral de Plantas, Reflorestamento, Tibluchina granulosa, Viveiro

Resumo

Tibouchina granulosa (Quaresmeira) é utilizada em projetos de reflorestamento devido ao seu crescimento rápido. Para garantir melhores resultados, alternativas viáveis como o lodo de esgoto vêm sendo procurada, pois oferece qualidade às mudas, além disso, contribui para o ambiente por ser uma substância reutilizada. Avaliamos aqui os efeitos do substrato com lodo de esgoto. No delineamento experimental foram utilizados 5 tratamentos com diferentes misturas de substratos de lodo de esgoto compostado e comerciais e 4 repetições. A irrigação foi realizada 3 vezes ao dia, por período de 2,5 minutos. Os resultados revelaram que os melhores tratamentos em altura foram 75% LC + 25% SC, 50% LC + 50% SCe 25% LC + 75% BSC para o diâmetro do coleto foram 75% LC + 25% SCe 50% LC + 50% SCe na avaliação nutricional 75% LC + 25% SC. Para a produção de mudas de T. granulosa é recomendado a utilização da combinação de lodo de esgoto e substrato comercial.

Biografia do Autor

Thomaz Figueiredo Lobo, Universidade do Sagrado Coração, USC, Brasil.
Doutorado em Agricultura pela Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências, FCA, Brasil. Docente na Universidade do Sagrado Coração, USC, Brasil.
Fernando Carvalho Oliveira, Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Companhia de Saneamento de Jundiaí, ETE-JUNDIAÍ, Brasil.
Doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Companhia de Saneamento de Jundiaí, ETE-JUNDIAÍ, Brasil.
Bruna Tavares Morgado, Universidade do Sagrado Coração, USC, Brasil.
Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Sagrado Coração, USC, Brasil.
Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira, Universidade Sagrado Coração, USC, Brasil.
Doutorado em Ecologia Aplicada pela ESALQ, USP, Brasil. / Docente na Universidade Sagrado Coração, USC, Brasil.

Referências

Bettiol W, Camargo OA 2010. De resíduo a fertilizante: uma análise prospectiva do meio ambiente. In AR Coscione, TAR Nogueira, AMM Pires. Uso agrícola de lodo de esgoto: avaliação após a resolução n˚ 375 do CONAMA. ed. Botucatu FEPAF, p 13-25.
Brasil 1988. Ministério da Agricultura. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. Laboratório Nacional de Referência Vegetal. Análise de corretivos, fertilizantes e inoculantes: métodos oficiais. Ministério da Agricultura, Brasília, 104p.
Carrijo AO, Idal, MC, Reis NVB, Souza RB, Makishima N 2004. Produtividade do tomateiro em diferentes substratos e modelos de casas de vegetação. Hort. bras., 22:05-09.
Colodro G, Espíndola CR, Cassiolato AMR, Alves MC 2007. Atividade microbiana em um Latossolo degradado tratado com lodo de esgoto. Rev bras eng agríc amb, 11(2):195-198.
Cruz CAF, Paiva HN, Guerrero CRA 2006. Efeito da adubação nitrogenada na produção de mudas de Sete-cascas (Samanea inopinata (Harms Ducke). Rev. Árvore, 30:537-546.
Cunha AO, Andrade LA, Bruno RLA, Silva JAL, Souza VC 2005. Efeitos de substratos e das dimensões dos recipientes na qualidade das mudas de Tabebuia impetiginosa. Rev. Árvore, 29:507-516.
Delarmelina WM, Caldeira MVW, Faria JCT, Gonçalves EO 2013. Uso de lodo de esgoto e resíduos orgânicos no crescimento de mudas de Sesbania virgata. RBA, 7:184-192.
Delarmelina WM, Caldeira MVW, Faria JCT, Gonçalves EO, Rocha RLF 2014. Diferentes substratos para produção de mudas de Sesbania virgata. Floresta Ambient., 2:224- 233.
Fonseca ÉP, Valéri SV, Miglioranza É, Fonseca NAN, Couto L 2002. Padrão de qualidade de mudas de Trema micrantha (L.) Blume, produzidas sob diferentes períodos de sombreamento. Rev. Árvore, 26:515- 523.
Lorenzi H 1998. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. Plantarum, 2:230.
Martins SV 2014. Recuperação de áreas degradadas: Ações em áreas de preservação permanente, voçorocas, taludes rodoviários e de mineração. 3 ed. Aprenda Fácil, Viçosa.
Martins SV, Almeida DP, Fernandes LV, Ribeiro TM 2008. Banco de sementes como indicador de restauração de uma área degradada por mineração de caulim em Brás Pires. Rev. Árvore, 32:1081-1088.
Meurer EJ 2006. Potássio. In MS Fernandes (ed.), Nutrição mineral de plantas. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, p. 281-298.
Neves LG 2004. Eficiência conservacionista de medidas biológicas em reabilitação de áreas degradadas no domínio ecológico da Mata Atlântica. Seropédica, SP: p. 14.
Oliveira FC, Marques MO, Bellingieri PA, Perecin D 1995. Lodo de esgoto como fonte de macronutriente para a cultura do Sorgo granífero. Sci. Agric., 52:360-367.
Raij BVan 1991. Fertilidade do solo e adubação. Potafos, Piracicaba, 343 pp.
SAEG 1997. Sistema para análises estatísticas. Versão 7.0. Fundação Arthur Bernardes, Viçosa MG.
Silva MR, Silva RBG 2011. Análise das propriedades físicas de substrato. Material didático. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Faculdade de Ciências Agronômicas Campus de Botucatu.
Sturion JA, Antunes BMA 2000. Produção de mudas de espécies florestais. In APM Galvão. Reflorestamento de propriedades rurais para fins de produtivos e ambientais. Colombo, p. 125-150.
Taiz L, Zeiger E 2006. Fisiologia Vegetal. Artmed, Porto Alegre, 722pp.
Trazzi PA, Caldeira MVW, Reis EF, Silva AG 2014. Produção de mudas Tectona grandis em substratos formulados com biossólido. Cerne, 20(2):293–302.
Veloso CAC, Muraoka T 1993. Diagnóstico de sintomas de deficiência de macronutrientes em pimenteira do reino. Sci. Agric., 50:232-236.
Zaia JE, Takaki M 1998. Estudo da germinação de sementes de espécies arbóreas pioneiras: Tibouchina pulchra Cogn. e Tibouchina granulosa Cogn. (Melastomataceae). Acta bot. bras., 12(3):221–229.
Publicado
2018-05-11
Como Citar
Lobo, Thomaz, Fernando Carvalho Oliveira, Bruna Tavares Morgado, e Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira. 2018. Diferentes Misturas De Substrato Com Lodo De Esgoto Compostado Enriquecido E Substrato Comercial Em Quaresmeira. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 7 (1), 326-40. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2018v7i1.p326-340.