Enzimas Extracelulares de Solos de Cerrado como Bioindicadores de Qualidade em Áreas Agricultáveis em Goiás, Brasil

  • Leciana de Menezes Sousa Zago Universidade Estadual de Goiás – UEG
  • Rogério Nunes Oliveira Universidade Estadual de Goiás - UEG
  • Anne Kethlen Gonçalves Bombonatto Universidade Estadual de Goiás – UEG
  • Letícia Mikaelly de Oliveira Moreira Universidade Estadual de Goiás – UEG
  • Erik Nelson de Paiva Melo Universidade Estadual de Goiás - UEG
  • Samantha Salomão Caramori Universidade Estadual de Goiás – UEG

Resumo

A conversão de áreas nativas de Cerrado para a implantação de lavouras altera as propriedades físico-químicas e bioquímicas do solo. Neste estudo buscou-se compreender o efeito da sazonalidade do tipo de manejo utilizado para plantio de cana-de-açúcar sobre a atividade de hidrolases e oxirredutases. Amostras de solo de Cerrado nativo e solos convertidos a lavouras de cana-de-açúcar sob diferentes tipos de manejo foram submetidos a avaliações físico-química, biológica e bioquímica. A implantação de monoculturas no Cerrado provocou reduções na quantidade de matéria orgânica e carbono orgânico em relação ao Cerrado nativo, o que por sua vez refletiu em menor atividade biológica do solo. Dessa forma, foi possível constatar que hidrolases e oxidorredutases são sensíveis a variações ocasionadas por eventos de seca versus chuva, e também em função do tipo de cobertura vegetal e tipo de manejo utilizado para implantação de cultura agrícola de cana e, portanto, podem ser utilizadas como bioindicadores de qualidade em solos de Cerrado goiano.

Biografia do Autor

Leciana de Menezes Sousa Zago, Universidade Estadual de Goiás – UEG
Mestre em Recursos Naturais do Cerrado pela Universidade Estadual de Goiás – UEG. Docente na Universidade Estadual de Goiás – UEG. Brasil.
Rogério Nunes Oliveira, Universidade Estadual de Goiás - UEG
Mestre em Recursos Naturais do Cerrado pela Universidade Estadual de Goiás - UEG.
Anne Kethlen Gonçalves Bombonatto, Universidade Estadual de Goiás – UEG
Graduada em Química pela Universidade Estadual de Goiás – UEG. Brasil.
Letícia Mikaelly de Oliveira Moreira, Universidade Estadual de Goiás – UEG
Mestrado em andamento em Ciências Aplicadas a Produtos para a Saúde pela Universidade Estadual de Goiás – UEG. Brasil.
Erik Nelson de Paiva Melo, Universidade Estadual de Goiás - UEG
Mestre em Ciências Moleculares pela Universidade Estadual de Goiás - UEG, Brasil.
Samantha Salomão Caramori, Universidade Estadual de Goiás – UEG
Doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Docente na Universidade Estadual de Goiás – UEG. Brasil.
Publicado
2016-06-28
Como Citar
Zago, Leciana, Rogério Oliveira, Anne Kethlen Bombonatto, Letícia Mikaelly Moreira, Erik Nelson Melo, e Samantha Caramori. 2016. “Enzimas Extracelulares De Solos De Cerrado Como Bioindicadores De Qualidade Em Áreas Agricultáveis Em Goiás, Brasi”l. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 5 (1), 104-27. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2016v5i1.p104-127.
Seção
Dossiê - Biotecnologia e Inovação: Dos laboratórios de Ensino e Pesquisa às Políticas Públicas