Campanhas Anti-Vacinação, Crenças Dos Pais E Consequências: Uma Mini Revisão De Literatura

  • Victor Augusto Candido Domingos
  • Amanda Carolina Galvão de Olivera
  • Anna Victoria Gonçalves Martins
  • Victor Lisita Bove
  • Tatiane Narumi Rodrigues Hangui
  • Marcela de Andrade Silvestre

Resumo

RESUMO: O movimento anti-vacinação é presente no contexto mundial desde 1904, sejapor questões políticas, religiosas, culturais ou científicas. Este estudo teve como objetivorealizar uma revisão de literatura sobre as campanhas anti-vacinação, com o intuito decompreender porque os pais não querem mais vacinar seus filhos, enfatizando as consequências desse ato, pois apesar da alta aceitação da prática de imunização, com o adventodos movimentos contra-vacinação, doenças que antes foram erradicadas estão ressurgindo, trazendo consequências significativas para a sociedade. Foram selecionados artigos dos últimos 5 anos, com qualis maior que B2 que tratavam de movimentos contra vacinação. Os artigos analisados convergiram para os mesmos pontos, enfatizando fatorescomo a desconfiança dos pais em relação à vacina e sua eficácia, a propagação de fakenews e a ampla cobertura vacinal. Entretanto, um fato que pode ser considerado comouma lacuna, em todos os estudos, é o contexto econômico-social em que cada grupo analisado está inserido. Com isso, se tornou evidente o fato de que com o avanço tecnológico,tais ideais contra vacinação são propagados mais facilmente, sendo reforçados pela constante disseminação de fake news, tanto pelos pais amedrontados com os efeitos da vacina, como pela mídia mercadológica que busca a publicação de notícias exclusivas, semgarantia de fonte e veracidade. Aliando-se a desconfiança dos pais e a falta de informaçãoverídica, o movimento cria forças cada vez maiores no atual cenário.
Publicado
2020-06-22
Seção
RESUMOS - Medicina Preventiva