Os desafios na formação da integralidade nos serviços de saúde

  • José de Siqueira Gonçalves Júnior Asces unita
Palavras-chave: Palavras-chave: Educação para a saúde; Gerência em saúde; Globalidade em saúde.

Resumo

Objetivo: Analisar as concepções dos Gestores em saúde acerca da integralidade nas práticas e serviços refletindo aspectos da formação em saúde e suas implicações na sociedade contemporânea. Métodos: Trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo descritivo-exploratória que permitiu compreender sentidos e significados do objeto analisado. Resultados: A responsabilidade pela ausência da integralidade nos serviços em saúde não pode ser remetida a determinada categoria profissional ou instituição de ensino superior, porém, não se deve retirar o comprometimento dessas. Como desafios à práxis da integralidade no SUS têm-se dimensões que vão do contexto clínico ao macrossocial. Conclusão: Tópicos direcionados a modos de se posicionar e enxergar os acontecimentos, formação profissional em saúde, comportamentos interpessoais éticos no trabalho, demanda excessiva nos serviços, falta de tempo para refletir acerca das ações, austeridade fiscal em saúde, má gestão dos serviços e o cenário macropolítico que se apresentam no Brasil, foram percebidos como impasses na constituição da integralidade.

Referências

1 BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 8080 de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica de Saúde. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 1990.

2 BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

3 VIEGAS, SMF.; PENNA, CMM. O SUS é universal, mas vivemos de cotas. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 181-190, Jan. 2013. Disponível em: Acesso em: 26 dez. 2019.

4 NUNES, CA. A integralidade da atenção e o Programa de Saúde da Família: estudo de caso em um município do interior do estado da Bahia. 2011. 194 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Instituto de Saúde Coletiva, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

5 MATTOS, RA. Os sentidos da integralidade: algumas reflexões acerca de valores que merecem ser defendidos. In: Pinheiro, R; Mattos, R.A. (org). Os sentidos da integralidade. Rio de Janeiro: UERJ; IMS; ABRASCO, 2001.

6 PINHEIRO R. Integralidade e práticas de saúde: transformação e inovação na incorporação e desenvolvimento de novas tecnologias assistenciais de atenção aos usuários no SUS. Boletim ABEM2003; 8-11.

7 MATTOS, RA. A integralidade na prática (ou sobre a prática da integralidade). Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 5, p. 1411-6, out. 2004. Disponível em: . Acesso em: 28 dez. 2019.

8 AYRES, JRCM. Organização das ações de atenção à saúde: modelos e práticas. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 18, supl. 2, p. 11-23, abr./jun. 2009. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902009000600003&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 04 jan. 2020.

9 GONÇALVES JR, JS. As compreensões dos gestores de um município do interior de Pernambuco acerca da integralidade nas práticas de saúde. /José de Siqueira Gonçalves Júnior. - Vitória de Santo Antão, 2018.
10 CECÍLIO, LCO; MERHY, EE. A integralidade do cuidado como eixo da gestão hospitalar. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, RA. Construção da integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro, IMS ABRASCO, 2003. p.197-210.

11 MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

12 BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1994.

13 MINAYO, MCS. O desafio do conhecimento: In: ______. Pesquisa Qualitativa em Saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.p. 108- 269 p.

14 INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA ESTATÍSTICA. Vitória de Santo Antão. In: ______. Cidades. Rio de Janeiro: IBGE, [2010]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/vitoria-de-santo-antao/panorama.>Acesso em: 08 de jan. 2020.

15 CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Resolução Nº510, de 07 de abril de 2016. Resolução que normatiza as pesquisas envolvendo seres humanos nas Ciências Humanas e Sociais. [Brasília]: CNS, 2016. Disponível em: Acesso em: 01 jan. 2020.
Publicado
2020-07-13