Hepatite aguda grave por uso de anabolizante concomitante à infecção pelo vírus hepatite A: relato de caso

  • Ana Célia Costa Matos Silva
  • Eduarda Arantes Gonçalves
  • Tatiana Braga Barbosa Ribeiro
  • Danilo da Silva Pacheco
  • Fábio Henrique dos Santos
  • Bianca Rosa Rodrigues Rebelo
Palavras-chave: Acute hepatitis, Anabolics, Hepatitis A

Resumo

Hepatite aguda grave é uma síndrome clinica que pode evoluir para hepatite aguda fulminante com a instalação de insuficiência hepática. Suas principais causas incluem o uso de substâncias hepatotóxicas e infecções virais e sua apresentação clínica inicia-se, na maioria das vezes, de forma inespecífica com sintomas análogos ao quadro gripal, sendo necessários dados da anamnese e epidemiologia para direcionar a investigação. O objetivo do trabalho é relatar e discutir um caso de hepatite aguda grave, cuja etiologia é multifatorial, uma vez que coexistem o uso de anabolizante, terapia antirretroviral (TARV) e anti-inflamatórios ao quadro de hepatite A. O paciente relatado é um homem de 30 anos, em uso de TARV, que iniciou com sintomatologia inespecifica, evoluiu com o aparecimento de icterícia e aumento dos níveis de transaminas e bilirrubina, quadro indicativo de hepatite. Além da presença de IgM positivo para hepatite A, o paciente relatou uso de anabolizantes em associação à TARV. A conduta tomada foi a suspensão de ambas substâncias hepatotóxicas e acompanhamento dos níveis de transaminases, a partir da qual observou-se melhora progressiva até resolução do quadro. Portanto, concluiu tratar-se de uma lesão hepática aguda por associação medicamentosa e viral, não sendo possível a determinação exata do fator causal ou desencadeante.

Referências

ALBERTO, S. F., et al. Insuficiência hepática aguda. Acta Med, v. 22, n.6, p. 809-820, 2009 .

BRINQUINHO, M., et al. Hepatotoxicidade associada ao uso de esteroides anabolizantes. Galicia Clínica, v. 78, n. 2, p. 79-81, 2017.

CHAHLA, E.; HAMMAMI, M.B.; BEFELER, A.S. Hepatotoxicity Associated with Anabolic Androgenic Steroids Present in Over-TheCounter Supplements: a Case Series. International Journal of Applied, v. 4, n. 3, p.179-183, 2014.

DANI, R. Gastroenterologia essencial. 4.ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, p. 631-642, 2011.

GIL, A. C. M., et al. Hepatotoxidade em crianças e adolescentes infectados pelo HIV em terapia antirretroviral. Sao Paulo Med J. Campinas, v.125(4), p. 205-209, 2007.

LIMA, A.P. Alterações fisiológicas e efeitos colaterais decorrentes da utilização de esteroides e anabolizantes androgênicos. Revista Brasileira de Ciências e Saúde, v. 9, n. 29, p.39-46, 2011.

LOPES, A.C. Tratado de clínica médica. 2ª ed. São Paulo, ROCA, 2016.

MENDES, C.G.F. Hepatites agudas. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 9-15, 2006.

OLIVEIRA, A., et al. Hepatite aguda medicamentosa tratada com corticoesteróides – caso clínico. Revista da sociedade portuguesa de medicina interna, v.12, n. 1, p.27-31, 2005.

SHAHIDI, N.T. A review of the chemistry, biological action, and clinical applications of anabolic-androgenic steroids. Clin Ther 2001 Sep; 23(9):1.355-90.

ZATERKA, Schlioma; EISIG, J. N. Tratado de gastroenterologia: da graduação à pós-graduação. 2.ed. São Paulo, Atheneu, p. 1051-1056; 1071-1077, 2016.
Publicado
2019-07-03
Seção
RESUMOS - Medicina Preventiva