Perfil psicológico da gestante no pré e pós-parto

  • Carolina Fachetti Loyola
  • Isabella Colicchio de Paula Costa
  • Laura Finotti Frausino
  • Laura Rohlfs Taquary
  • Thais Carolina Alves Cardoso
  • Aline de Araújo Freitas
Palavras-chave: Depressão, Período Pós-Natal, Fatores de Risco, Gravidez

Resumo

A depressão passou a ser conhecida como o “mal do século” devido à alta incidência de casos, estando relacionada a determinados sofrimento e sentimento de perdas. Apesar de a depressão acometer ambos os sexos, há um predomínio no sexo feminino, sendo muitas vezes precedida por eventos vitais marcantes, como a gestação, o parto e o pós-parto. Há uma estimativa de que pelo menos 20% das mulheres apresentem depressão em algum estágio de suas vidas, fato que influencia tanto na saúde da mulher, como na de seus familiares e outras pessoas de seu convívio. O objetivo foi investigar a prevalência e os fatores de risco para sintomas depressivos no pré e pós-parto. Para tanto, foi feita uma revisão integrativa com delimitação temporal baseada em artigos a partir de 2015, por meio do uso de estudos multidisciplinares e da saúde. As bases investigadas foram: PubMed, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e SciELO, com o uso dos descritores: “Depressão”; “Período Pós-Natal”; “Fatores de Risco” e “Gravidez”. Dentre os estudos encontrados, foram selecionados 21 artigos e um Manual. Esses artigos foram categorizados de acordo com seu objetivo principal nos seguintes subtemas: influência das interrelações familiares, episódios de depressão prévia e complicações e idealizações no processo de gravidez e maternidade. Os resultados apontam que a depressão pós-parto (DPP) impacta a vida das mães na medida em que impõe limites no convívio com o recém-nascido e até mesmo com o restante da família, além de existir uma preocupação dessas mães quanto o que a sociedade e/ou familiares pensam sobre a forma que elas conduzem a maternidade, apresentando com isso diversos transtornos tanto orgânicos, quanto comportamentais. Assim, o rastreamento dessas mães com DPP por meio do pré natal psicológico é imprescindível.

Referências

ALVARENGA, P.; FRIZZO, G. Stressful Life Events and Women’s Mental Health During Pregnancy and Postpartum Period. Paidéia, v. 27, n. 66, p. 1-9, 2017.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION, et al. DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora, 2014.

ARRAIS, A.; ARAUJO, T. Fatores de Risco e Proteção Associados à Depressão Pós-Parto no Pré-Natal Psicológico. Psicologia: Ciência e Profissional, v. 38, n. 4, p. 711-729, 2018.

BORGES, A. “Olá bebê!” Do fantasmático ao imaginário e ao real. Psicologia. PT, 2018.

BOSSI, T.; ARDANS, O. O Bebê Imaginado e a Constituição das Identidades Materna, Paterna e do Bebê. Interação em Psicologia, v. 19, n. 3, p. 395-394, 2015.

CAMPOS, B.; RODRIGUES, O. Depressão Pós-Parto Materna: Crenças, Práticas de Cuidado e Estimulação de Bebês no Primeiro Ano de Vida. Psico, v. 46, n. 4, p. 483-492, 2015.

CORRÊA, F.; SERRALHA, C. A Depressão Pós-Parto e a Figura Materna: Uma Análise Retrospectiva e Contextual. Acta Colombiana de Psicologia, v. 18, n. 1, p. 113-123, 2015.

FERREIRA, C., et al. Depressão pós-parto: detecção precoce e fatores associados. Acta Obstet Ginecol, v. 12, n. 4, p. 262-267, 2018.

FREITAS, M.; SILVA, F.; BARBOSA, L. Análise dos Fatores de Risco Associados à Depressão Pós-Parto: Revisão Integrativa. Revista de Atenção à Saúde, v. 14, n. 48, p. 99-105, 2016.

GALVÃO, A., et al. Prevalence of postpartum depression and associated factors: integrative review. Revista Ciência & Saberes, v. 1, n. 1, p. 54-58, 2015.

KROB, A., et al. Depressão na Gestação e no Pós-Parto e a Responsividade Materna Nesse Contexto. Revista Psicologia e Saúde, v. 9, n. 3, p. 3-16, 2017.

LIMA, M., et al. Sintomas depressivos na gestação e fatores associados: estudo longitudinal. Acta Paul Enferm, v. 30, n. 1, p. 39-46, 2017.

MACHADO, R.; ELIAS, F.; CORRÊIA, A. Das Representações Mentais na Gestação as Frustações Pós Parto: Um Campo Para a Psicanálise. Revista Saúde e Meio Ambiente – RESMA, v. 8, n. 1, p. 87-95, 2019.

MANENTE, M.; RODRIGUES, O. Maternidade e Trabalho: Associação entre Depressão Pós-parto, Apoio Social e Satisfação Conjugal. Pensando Famílias, v. 20, n. 1, p. 99-111, 2016.

MORAES, G., et al. Triagem e diagnóstico de depressão pós-parto: quando e como? Trends Psychiatry Psychother, v. 39, n. 1, p. 54-61, 2017.

POLES, M., et al. Sintomas depressivos maternos no puerpério imediato: fatores associados. Acta Paul Enferm, v. 31, n. 4, p. 351-8, 2018.

ROMAGNOLO, A., et al. A família como fator de risco e de proteção na gestação, parto e pós-parto. Semina: Ciências Sociais e Humanas, v. 38, n. 2, p. 133-146, 2017.

SANTOS, L.; SERRALHA, C. Repercussões da Depressão Pós-Parto no Desenvolvimento Infantil. Barbarói, n. 43, p. 5-26, 2015.

SETTERBERG, S. The fantasmatic and imaginary child of the pregnant woman. Shanghai Archives of Psychiatry, v. 29, n. 3, p. 161-170, 2017.

SILVA, C., et al. Association between postpartum depression and the practice of exclusive breastfeeding in the first three months of life. Jornal de Pediatria, v. 93, n. 4, p. 356-364, 2017.

SILVA, H., et al. Sintomas Psicofuncionais e Depressão Materna: Um Estudo Qualitativo. Psico-USF, v. 23, n. 1, p. 59-70, 2018.
Publicado
2019-07-02
Seção
RESUMOS - Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente