Atendimento ao queimado em uma unidade de saúde pública

  • REGINA RIBEIRO DE CASTRO Associação Educativa Evangélica- UniEVANGÉLICA de Anápolis.
  • Alexsandra Santos Ferreira
  • Sarah Sandres Ameida Santos
Palavras-chave: Queimaduras; Assistência hospitalar; Promoção da saúde.

Resumo

Objetivo: Apresentar as características do atendimento ambulatorial de queimados em uma unidade de saúde pública. Métodos: Trata- se de uma pesquisa de campo analítica, descritiva, com abordagem quantitativa de dados referentes ao atendimento ambulatorial de pacientes queimados em um Hospital Público de Anápolis, o qual atende a população da Regional de Saúde Pirineus, nos casos de queimadura de baixa e média complexidade. Os dados analisados referem-se à quantificação dos atendimentos no ambulatório hospitalar, ocorridos no ano de 2016 e as características da população atendida, conforme gênero sexual e faixa etária, e da queimadura, quanto o agente causador, região do corpo atingida, superfície corporal queimada e classificação. Resultados: Analisou-se 1.072 fichas de atendimentos. A maioria dos atendimentos ocorreu no mês de abril (10,8%), com prevalência pouco superior da população feminina (53,9%). A faixa etária predominante esteve entre 20 e 24 anos (18,2%). O 2º grau obteve 81,8% das amostras de queimaduras por agente físico e a extensão de 18% de SCQ foi a de maior frequência, classificando a maioria dos atendimentos ambulatorial a paciente médio queimado. Os membros superiores (51,9%) estiveram prevalentes nas ocorrências de queimaduras.  O trauma por abrasão foi o agente causador prevalente sobre as demais causas, com incidência de 59,3%. Constatou-se que as queimaduras mais comuns no período foram por abrasão e exposição térmica, com prevalência da população feminina (53,9%). Conclusão: Os resultados apontam para a necessidade de prevenção de queimaduras, tanto para a população masculina quanto para a feminina, com ênfase na proteção dos membros superiores no manuseio de objetos e líquidos muito quentes; além da necessidade de maior cuidado na condução de bicicletas e motocicletas, com atenção as sinalizações e as leis de trânsito e assim evitar os traumas abrasivos e possíveis acidentes mais graves.  

Biografia do Autor

REGINA RIBEIRO DE CASTRO, Associação Educativa Evangélica- UniEVANGÉLICA de Anápolis.
Graduada em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Católica de Goiás, Especialista em Gestão dos Serviços de Saúde pela UniEVANGÉLICA de Anápolis e em Enfermagem em Cardiologia pelo Centro de Especialização em Enfermagem e Nutrição (CEEN) de Goiânica;Mestre em Ciências Ambientais pela UniEVANGÉLICA, Anápolis, Goiás. Enfermeira efetiva do Município de Anápolis, Goiás e Docente do Curso de Enfermagem da UniEVANGÉLICA, Anápolis, Goiás.

Referências

1 Brasil. Cartilha para tratamento de emergência das queimaduras. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada [arquivo da internet] 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartilha_tratamento_emergencia_queimaduras.pdf Acesso 07 de ago. 2017.

2 Brunner & Suddarth. Manual de enfermagem médico cirúrgica. Revisão: Sonia Regina de Souza; tradução Patricia Lydie Voeux. 13ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015, p. 971- 997.

3 PHTLS. Atendimento pré-hospitalar ao traumatizado. NAEMT. Queimadura. Trad. Renata Scavone et al. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. p.355- 375.

4 Leão CEG, Andrade ES, Fabrini DS, Oliveira RA, Machado GLB, Gontijo LC. Epidemiologia das queimaduras no estado de Minas Gerais. Rev. Bras. Cir. Plást., São Paulo , v. 26, n. 4, p. 573-577, Dec. [artigo da internet] 2011 . Available from . access on 10 Oct. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-51752011000400006.

5 Silva RCL, Figueiredo NMA, MeirelesmIB, Coasta MM, Silva CRL. Feridas: fundamentos e atualizações de enfermagem. In AL Pazos o cliente vítima de queimadura. 3ª ed. São Caetano do Sul, São Paulo: Yendis Editora, 2011. p.525-562.

6 Lakatos EM, Marconi MA. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa biblográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2012.

7 Montes SF, Barbosa MH, Sousa Neto AL. Aspectos clínicos e epidemiológicos de pacientes queimados internados em um Hospital de Ensino. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo , v. 45, n. 2, p. 369-373, Apr. [artigo da internet] 2011 . Available from . access on 05 Mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000200010.

8 Moraes PS, Ferrari RAP, Sant’Anna FL, Raniero JTMW, Lima LS, Santos TFM, Tacls MTGM. Perfil das internações de crianças em um centro de tratamento para queimados. Rev. Eletr. Enf. [artigo da Internet]. 2014 jul/set;16(3):598-603. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v16/n3/pdf/v16n3a14.pdf Acesso 10 de mai. 2018. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i3.21968. - doi: 10.5216/ree.v16i3.21968.

9 Biscegli TS, Benati LD, Faria RS, Boeira TR, Cid FB, Gonsaga RAT. Perfil de crianças e adolescentes internados em Unidade de Tratamento de Queimados do interior do estado de São Paulo. Rev. paul. pediatr., São Paulo , v. 32, n. 3, p. 177-182, Sept. [artigo da internet] 2014 . Available from . access on 10 May 2018. http://dx.doi.org/10.1590/0103-0582201432305.

10 Dutra AS, Penna LHG, Vargens OMC, Serra MCVF. Caracterização de mulheres hospitalizadas por queimadura. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, [artigo da internet] 2011 jan/mar; 19(1):34-9. Disponível: http://www.facenf.uerj.br/v19n1/v19n1a06.pdf Acesso 10 de mai. 2018.
Publicado
2020-07-13