AVALIAÇÃO DA AUTOPERCEPÇÃO DA SAÚDE BUCAL NA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DA UniATI

  • Felipe Brandino Pimpão Rodrigues UniEvangelica
  • Paulo Victor Barreto da Hora UniEvangelica
  • Radmila Raíssa Lemos dos Santos UniEvangelica
  • Rebeca Matos de Oliveira Ribeiro UniEvangelica
  • Liliane Braga Monteiro dos Reis
  • Gisela Pina Regina elizabeth martins

Resumo

O conceito de Qualidade de Vida inclui a percepção do indivíduo de uma maneira geral sobre questões culturais, hábitos e expectativas, sendo que alguns aspectos, como a saúde, pode interferir diretamente nessa percepção. A autopercepção do indivíduo sobre sua situação oral influencia no estado de bem-estar e define a procura por tratamentos dentários. Essa pesquisa foi realizada com a finalidade de avaliar a qualidade de vida por meio da autopercepção em relação a saúde bucal dos idosos integrantes da UniATI (Universidade Aberta da Terceira Idade), através do instrumento GOHAI (Geriatric Oral Health Assessment Index). Participaram da pesquisa 43 idosos, sendo que 65% eram desdentados em pelo menos uma arcada e 46% usavam prótese parcial removível. A maioria dos idosos (64%) confeccionou sua prótese atual em menos de 5 anos. Em relação a autopercepção da saúde oral, 60% dos participantes classificou como moderada. Acredita-se que os resultados se devem ao fato dos participantes serem idosos independentes e ativos, que participam de atividades físicas, laborais, intelectuais e de entretenimento oferecidas pela UniATI. Além de estarem reabilitados, através do uso de suas próteses, em função e estética. Isso ressalta a importância do discernimento sobre a condição particular de saúde de cada indivíduo, onde o autoconhecimento permite uma reflexão em busca de uma melhor qualidade de vida.
Publicado
2018-12-28