ANGIOEDEMA HEREDITÁRIO TIPO III – RELATO DE CASO: ABORDAGEM ODONTOLÓGICA PARA EXODONTIA DOS TERCEIROS MOLARES.

  • Patrícia Albuquerque Borges Centro Universitário de Anápolis - UniEVANGÉLICA, Brasil
  • Pedro Giavina Bianchi
  • Abílio Antônio Motta
  • Maria Paula Siqueira De Melo Peres
  • Rita De Cássia Bonatto Vilarim

Resumo

Angioedema hereditário (AH) é uma doença rara que ocorre devido a uma alteração da quantidade e/ou da qualidade do inibidor do tipo C1, que gera sinais e sintomas gastrointestinais e se caracteriza pela presença de edema e pode evoluir para asfixia devido edema de glote e óbito após abordagem odontológica. Paciente A.S.L 23 anos, portadora de AH do tipo III foi encaminhada pela equipe médica de Imunologia do Hospital das Clínicas de São Paulo para avaliação odontológica. Ao exame clínico apresentava quadros recorrentes de pericoronarite dos dentes semi-inclusos 38 e 48, foi realizada a internação da paciente para abordagem, uma vez que se necessário em caso de edema de glote seria administrado à medicação de uso intra-hospitalar: Icatibanto. Optou-se por realizar exodontia dos dentes 18 e 48 em uma sessão e dos dentes 28 e 38 em outra. Na primeira abordagem sob profilaxia antibiótica foi realizado odontosecção e ostectomia para remoção do elemento 38, após extração paciente permaneceu internada para observação e evoluiu sem intercorrências com alta hospitalar. Na segunda abordagem também foi realizado odontosecção e ostectomia, porém com maior desgaste, devido a maior complexidade para extração do dente 48, paciente permaneceu internada para observação e evoluiu com edema e dor significativa quando comparado à extração anterior. Foi mantida terapia antibiótica, corticoterapia e morfina para analgesia, contudo de acordo com a avaliação da equipe médica não foi necessário administração do Icatibanto. O caso clínico em questão evidência a importância do conhecimento das doenças sistêmicas e do planejamento multidisciplinar para proporcionar uma abordagem odontológica de forma mais segura para os pacientes especiais e para o cirurgiões dentistas.
Publicado
2017-05-09
Seção
Resumos XVI JOCAPE da Universidade de São Paulo - USP