CURATIVOS EM QUEIMDAURAS DE TERCEIRO GRAU

  • Renata Sousa Nunes Faculdade Evangélica de Ceres
  • Kellen Karoline Moreira Lopes Faculdade Evangélica de Ceres

Resumo

Introdução: A queimadura é uma lesão provocada por agentes térmicos, químicos, elétricos ou radioativos que atingem o tecido de revestimento do corpo humano. O dano térmico pode causar perda parcial ou total da pele e seus adjacentes, assim como pode agredir estruturas mais profundas como músculos, tendões e ossos. A gravidade de cada lesão por queimadura é determinada por diversos fatores que, quando avaliados, auxiliam a equipe de tratamento de queimados a mensurar a probabilidade de um paciente sobreviver e planejar o cuidado do mesmo. Objetivo: Apresentar a importância dos curativos em queimaduras graves, seus benefícios, os materiais e produtos utilizados nos mesmos e seus malefícios quando realizados de maneira errônea. Metodologia: revisão narrativa de literatura, a qual visa à introdução de dados sobre determinado assunto. Os artigos de revisão narrativa são publicações amplas, apropriadas para descrever e discutir o desenvolvimento do artigo, sob o ponto de vista teórico ou/e contextual. Resultados: Fica claro que a presença de tecido necrótico no leito da ferida influencia no processo de reparo tecidual, sendo o desbridamento um passo essencial no tratamento de feridas, sejam elas agudas ou crônicas. Conclusão: Existem diversos produtos na indústria farmacêutica destinados ao tratamento de feridas provocadas por queimaduras em suas diferentes fases; porém, a utilização de qualquer produto no tratamento de queimaduras ou outros tipos de feridas deve seguir um rigoroso protocolo, onde se busca identificar a real contribuição para o processo de cicatrização.

Referências

APPLEBY T. Queimaduras. In: Morton PG, Fontanie DK, Hudak CM, Gallo BM, eds. Cuidados críticos de enfermagem: uma abordagem holística. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2007.

BRUNNER & Suddarth, tratado de enfermagem médico-cirúrgica / [editores] Suzanne C. Smeltzeret al. Rio de Janeiro : Guanabara Koogan, 2014.

CANDIDO LC. Nova abordagem no tratamento de feridas. São Paulo: SENAC; 2001.

DORNELAS, Marilho Tadeu; Ferreira, Ana Paula Rocha; CAZARIM, Daniele Barros. Tratamento das queimaduras em áreas especiais. 2009.

FERNANDES AT, Ribeiro N Filho. Infecção em queimados. In: Fernandes AT, editor. Infecção hospitalar e suas interfaces na área da saúde. São Paulo (SP): Atheneu; 2000.

FERREIRA E, Lucas R, Rossi LA, Andrade D. Curativo do paciente queimado: uma revisão de literatura. RevEscEnferm USP. 2003

HESS CL, Howard MA, Attinger CE. A review of mechanical adjuncts in wound healing: hydrotherapy, ultrasound, negative pressure therapy, hyperbaric oxygen and electrostimulation. Ann PlastSurg. 2003

HUDACK C, Gallo BM. Plano de prescrição de enfermagem. O paciente com queimaduras: fase de reabilitação. In: Hudak CM, Gallo BM, Benz JJ, eds. Cuidados intensivos de enfermagem: uma abordagem holística. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1997.

IURK LK, Oliveira AF, Gragnani A, Ferreira LM. Evidências no tratamento de queimaduras. Ver Bras Queimaduras. 2010.

Madden MR, Nollan E, Finkelstein J, Yurt RW, Smeland J, Goodwin CW, et al. Comparison of an occlusive and a semi-occlusive dressing and effect of the wound exsudate upon keratinocyte prolife

MENEZES, Eni-Leci Monteiro. A enfermagem no tratamento dos queimados. Epu São Paulo, 1988.

MONTES, Samanta Flor; BARBOSA, Maria Helena; SOUSA NETO, Adriana Lemos de. Aspectos clínicos e epidemiológicos de pacientes queimados internados em um Hospital de Ensino. Rev. Esc. de Enfermagem USP. São Paulo. v.45, n.2, abr. 2011.

MOSER, Heloisa Helena et al. Uso de curativos impregnados com prata no tratamento de crianças queimadas internadas no Hospital Infantil Joana de Gusmão. 2014

RAMBO EV, Rosanelli CS, StummEM, Loro MM, Piovesan SMS, Kolankiewicz AB. O cuidado prestado pela enfermagem no espaço da UTI sob a ótica de pacientes: revisão sistemática.RevEnferm UFPE. 2011;

RAGONHA ACO, Ferreira E, Andrade D, Rossi LA. Avaliação microbiológica de coberturas com sulfadiazina de prata a 1%, utilizadas em queimaduras. Rev Latino-am de Enferm. 2005

ROSSI LA, Camargo C, Santos CMNM, Barruffin RCP, Carvalho EC. A dor da queimadura: terrível para quem sente, estressante para quem cuida. Rev Latinoam Enferm 2000; 8:18-26.

SOUZA MLR, Santos HSL. Análise morfológica da pele da tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) através da microscopia de luz. Rev Unimar. 1997.

THOMAS S. Hidrocoloides na gestão de feridas agudas: Uma revisão da literatura.Int Wound J. 2008;5(5):602–13.

ROTHER ET. Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paul Enferm. 2007.

VLAN, Gomes FSL, Magalhães MBB, eds. Feridas: como tratar. Belo Horizonte: Coopmed; 2001. p. 97-120.


YAMADA BFA. O processo de limpeza de feridas. In: Jorge AS, Dantas SRPE, eds. Abordagem multiprofissional do tratamento de feridas. São Paulo: Atheneu; 2003.
Publicado
2018-11-07