ALIENAÇÃO PARENTAL NAS RELAÇÕES HOMOAFETIVAS

  • VALDINA JOSÉ LIMA Faculdade Raízes. Anápolis, Goiás, Brasil.
  • CÉSAR GRATÃO DE OLIVEIRA Faculdade Raízes. Anápolis, Goiás, Brasil.
Palavras-chave: Adoção, Homoafetividade, Alienação Parental

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar a alienação parental nas relações homoafetivas e seus efeitos negativos causados na criança e no adolescente; bem como a importância da família na hora de resolver os conflitos advindos da separação do casal. O abuso emocional desmedido imputado à criança pode acarretar sequelas por toda a vida. Este trabalho foi realizado por levantamento de pesquisas, familiarizando as ideias dos autores que dialogam sobre o tema da alienação parental. Por fim, uma análise na legislação brasileira e uma ênfase na lei 12.318/2010 após a sua promulgação e efetiva aplicabilidade nos dias atuais.

Referências

ALECRIM. E. M. Considerações sobre a família brasileira. A instituição familiar do século XIX aos dias atuais. UNOPAR - Universidade Norte do Paraná. Irecê/BA, 2008.

ALESSI. Dóris de Cássia. A família e o princípio da dignidade da pessoa humana. Revista Jus navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 16. N. 2866,7 maio 2011.

Disponível em: . Acesso em 07 de mai. 2018.

ALVES. J. H. M. A evolução nas definições de família, suas novas configurações e o preconceito. Monografia do Curso de Direito da Universidade Federal Rio Grande do Norte. Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Natal/RN, 2014.

ALVES. R. R. Família patriarcal e nuclear: Conceito, características e transformações. Mestrado UCG/UFG. Goiânia/GO, 2009.

AURÉLIO. A. L. C. ADI 4277: O conceito de Família para o Supremo Tribunal Federal e a sua correspondência com a Resolução 175 do Conselho Nacional de Justiça. Monografia Escola de Formação da Sociedade Brasileira de Direito Público – SBDP. São Paulo/SP. 2015.

BALESTERO. Gabriela Soares. BAHIA, Alexandre Gustavo Melo Franco. A inércia legislativa: a necessidade de proteção legal das minorias sexuais. Revista do Direito INISC, Universidade de Santa Cruz do Sul. ISSN 1982-9957 n.34, jul-dez, 2010.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal. Secretária de Editoração e Publicidade – SEGRAF.

______. Senado Federal. Constituições brasileiras. Senado notícias. Brasília-DF, 2018. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2018.

______. Supremo Tribunal Federal. Arguição de descumprimento de preceito fundamental 132 Rio de Janeiro. Relator: Ministro Ayres brito. Rio de Janeiro, abril de 2011. Disponível em:. Acesso em: 29 ago. 2018.

______. Lei 10.406/2002. Código Civil Brasileiro. Brasília/DF. 2015.

______. Lei 12.318/2010. Lei da Alienação Parental. Brasília, DF, ago. de 2010.

______. Resolução nº 175, de maio de 2013. Convenção sobre os direitos da criança. Conselho Nacional de Justiça. Brasília, 2013. Disponível em:< https://www.unric.org/html/portuguese/humanrights/Crianca.pdf>. Acesso em: 27/09/2018.

BORGES. Thaísa da Silva. Consequências jurídicas do abuso de direito nas relações de família. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 22, n. 5213, 9 out. 2017. Disponível em: . Acesso em: 04 set. 2018.

CENTRA. M. L; Elsen. I. Reflexões sobre a evolução histórica da família. Biblioteca digital periódicos. Repositório digital Institucional UFPR, ISSN 1517-6533 n.1 v.1, 1999. Tese de Doutorado em Filosofia de Enfermagem. “Do Natural ao Artificial: a trajetória do casal intértil em busca do filho desejado”. Disponível em:. Acesso em: 10 de jun. 2018.

COSTA. Dilvanir José da. A família nas Constituições. Brasília, 2006. Disponível em:< http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/92305/Costa%20Dilvanir.pdf>. Acesso em: 05 set. 2018.

DIAS. Maria Berenice. Alienação parental – um abuso invisível. Disponível em:. Acesso em: 14 mai. 2018.

______. Maria Berenice. A família homoafetiva e seus direitos. Disponível em:< http://www.mariaberenice.com.br/uploads/45_a_fam%EDlia_homoafetiva_e_seus_direitos.pdf>. Acesso em: 19 set. 2018.

______. Maria Berenice. Manual de Direito das Famílias. Revista, atualizada e ampliada. 5ª edição. São Paulo. Editora revista dos tribunais. 2009.

DRESCH. Marcia. A instituição familiar na legislação brasileira: conceitos e evolução histórica. Disponível em: . Disponível em: 29 ago. 2018.

DRUMMOND. V. A. P. et al. Alienação Parental: revisão bibliográfica sobre algumas de suas consequências. Semana acadêmica da Universidade do Estado de Minas Gerais. 2015. Disponível em:< https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/alienacao_parental_artigo_0.pdf>. Acesso em: 05 set. 2018.

GARCIA. E. Pesquisa bibliográfica versus revisão bibliográfica - Uma discursão necessária. Revista línguas & Letras. Pesquisa bibliográfica versus bibliográfica. E-ISSN 198. Universidade Estadual do Oeste do Paraná. 2016.

GOMES. A. M. Alienação Parental: uma Violência Complexa com Efeitos Devastadores. Revista Lex Magister ISSN – 1981-1489. Porto Alegre/RS, 2012. Disponível em: < http://www.lex.com.br/doutrina_23916734_ALIENACAO_PARENTAL_UMA_VIOLENCIA%20COMPLEXA_COM_EFEITOS_DEVASTADORES.aspx>. Acesso em: 05 out. 2018.

IBDFAM. Instituto Brasileiro de direito de família. Disponível em:< http://www.ibdfam.org.br/noticias/5990/Dicion%C3%A1rio+reformula+conceito+de+fam%C3%ADlia>. Acesso em: 28 ago. 2018.

JONAS. A. Síndrome de alienação parental: Consequências da alienação parental no âmbito familiar e ações para minimizar os danos no desenvolvimento da criança. Graduação em Psicologia da Faculdade de Ensino Superior de Garça – FAEF- SP, 2017.

MALUF. A. C. R. F. D. As novas modalidades de famílias na pós-modernidade. Tese de doutorado da Faculdade de Direito da USP. São Paulo, 2010.

MARTINS. C. D. União homoafetiva como entidade familiar. Faculdade de Direito de Ipatinga, MG, 2011. Disponível em:. Acesso em: 06 set. 2018.

MINAS, Alan. A Morte Inventada. Realização Caraminhola Filmes. Longa-metragem documentário - 80`HD. Rio de Janeiro/RJ, 2009. Disponível em: www.amorteinventada.com.br.

NOGUEIRA. M. B. Família: Conceito e evolução histórica e sua competência. Portal de e-governo, inclusão digital e sociedade do conhecimento. 18496-18497, 2011.
Faculdade Jorge Amado. Salvador/BA, Disponível em:. Disponível em 28 de ago. 2018.

PADILHA. J. Adoção por casais homoafetivos em uma visão jurídica e social. Universidade do contestado – UnC Campus Caçador/SC. 2014.

PESSANHA. J. F. A afetividade como princípio fundamental para a estruturação familiar. Instituto Brasileiro de Direito de Família – IBDFAM. Faculdade de Direito de Vitória/ES – FDV, 2011.

PINTO. M. B. A Síndrome da Alienação Parental e o Poder Judiciário. Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro/RJ, 2012.

QUEIROZ. Renata Capriolli Zocatelli. A Importância Do Afeto Nas Relações Familiares. 2015. Disponível em: . Acesso em 10 jun. 2018.

R7 NOTÍCIAS. IBGE: divórcios sobem, casamentos caem e brasileiro tem menos filhos.. Acesso em: 18 de set 2018.

RIBEIRO, Paola Ijanci. Adoção por casais homossexuais. Conteudo Juridico, Brasilia-DF: 24 maio 2017. Disponivel em: . Acesso em: 27 set. 2018.

GARDNER. Richard A. M.D. Departamento de Psiquiatria Infantil da Faculdade de Medicina e Cirurgia da Universidade de Columbia, New York, EUA. 2002. Disponível em: http://www.alienacaoparental.com.br/textos-sobre-sap-1/o-dsm-iv-tem-equivalente. Acesso em: 19 set. 2018.

RODRIGUEZ. Samara. Hipóteses de adoção da guarda compartilhada e seus benefícios. 2014. Disponível em:< https://samararodriguez.jusbrasil.com.br/artigos/118531756/hipoteses-de-adocao-da-guarda-compartilhada-e-seus-beneficios>. Acesso em: 19 set. 2018.

ROSA. F. N. A síndrome de alienação parental nos casos de separações judiciais no direito civil brasileiro. PUCRS, Porto Alegre, 2008. SAMARA. Eni de Mesquita. A história da família no Brasil. Disponível em: . Acesso em 26 jul. 2018.

SANTANA. Clara Vanessa de Oliveira e Rocha. A família na atualidade: Novo conceito de família, novas formações e o papel do IBDFAM (Instituto Brasileiro de Direito de Família). Repositório Institucional da Universidade Tiradentes-UNIT. Aracaju-SE. 2015.

SANTOS. Mariana Monteiro Silva. Os efeitos do divórcio na família com filhos pequenos. UNIJORGE – Universidade Jorge Amado. Salvador-BA. 2013.

SILVA. R. R. A presença das amas-de-leite na amamentação das crianças brancas na cidade de São Paulo no século XIX. Doutorando em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), 2016.

SILVA, Rafael Santana da; SANTANA, Jader Danilo Ferreira dos Santos et al. Igualdade de direitos: uma noção da adoção por casais homoafetivos. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 16, n. 3032, 20 out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2018.

SOUSA. T. R. A adoção por pares homoafetivos. Faculdade de Ciências Jurídicas da Universidade Tuiuti do Paraná, 2016.

TORRES. M. P. SÍNDROME DA ALIENAÇÃO PARENTAL: sanções aplicáveis ao genitor alienador. Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do UNICEUB. Brasília/DF, 2010.

VENOSA. Silvio de Salvo. Direito Civil. Direito de Família. 12º Ed, volume 6. Editora Atlas São Paulo, 2012.

______. Silvio de Salvo. A reprodução assistida e seus aspectos legais.2003. .Acesso em: 19 set. 2018.

YASSUE. Izabela. A família na Constituição Federal de 1988. A nova perspectiva do Direito de Família “Civil-Constitucional” engloba valores e princípios mais abrangentes, alcançando direitos fundamentais. Mar 2010. Disponível em:. Acesso em 12 jul. 2018.
Publicado
2019-07-01