Entre o Instrumento e o Outro: Considerações sobre antigos e novos recursos didáticos na escola

  • Joana de Jesus Andrade Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo
  • Thiago Bernardo Cavassani Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo
  • Daniela Gonçalves Abreu Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo

Resumo

Este texto configura-se como um ensaio reflexivo acerca dos recursos didáticos e dos processos de significação nas relações de ensino. Com base nos trabalhos de Vigotski, é destacada a centralidade da linguagem como meio/modo de significação e o papel dos sujeitos em interação, considerando-se a importância de que o ato de ensinar tenha como ponto de partida e objetivo a produção do conhecimento. Refletindo sobre o uso dos livros didáticos, da Internet, dos recursos audiovisuais, da experimentação, das visitas programadas, se destaca que no ensino de ciências, o desenvolvimento de modos de atuação atentos às transformações culturais da ciência e da tecnologia, orienta ao estabelecimento de interações sociais cada vez mais ricas e diversificadas, bem como, também mais desafiadoras e complexas...Palavras-Chave: Recursos Didáticos; Significação; Relações de Ensino.

Referências

Arroio M, Giordan M 2006. O vídeo educativo: aspectos da organização do ensino. Química Nova na Escola. (24): 8–11.
Borges, A dez. 2002. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Cad. Brás. Ens. Fís. 19(3): 291-313.
Brait B 1997. Bakhtin e a natureza constitutivamente dialógica da linguagem. In: Brait, B (org) Bakhtin, dialogismo e construção de sentido. Unicamp, Campinas. p. 91-104.
BRASIL Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 1996. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. MEC/SEMTEC Brasilia.
BRASIL Ministério da Educação 1999. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio, MEC/SEMTEC, Brasília, 4v.
Driver R, Asoko H, Leach A, Mortimer E, Scott P 1999. Construindo conhecimento científico na sala de aula. In: Química Nova na Escola. (9): 31-40.
Gabriel M 2013. Educ@r: a revolução digital na educação. Saraiva, São Paulo.
Giordan M 2005. A internet vai à escola: domínio e apropriação de ferramentas culturais. Educação e Pesquisa (USP), São Paulo, 31 (1): 57-78.
Grosseck G, Marinho, S, Tárcia, L 2009. Educação a distância baseada na Web 2.0: a emergência de uma Pedagogia 2.0. Educação & Linguagem, 12 (19): 111-123.
Gruzman C, Siqueira V 2007. O papel educacional do Museu de Ciências: desafios e transformações conceituais. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias. 6(2): 402-423.
Levy P 1993. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 34,
Maldaner, O 2000. A formação inicial e continuada de professores de Química: professores/pesquisadores. Unijuí, Ijuí, 424p.
Marques M 1993. Conhecimento e modernidade em reconstrução. Unijuí, Ijuí.
Marson G, Galembeck E, Andrade, J 2013. Química Nova Interativa - QNInt - o portal do conhecimento da SBQ: conectando ciência e educação. Quím. Nova, 36 (3): 484-488.
Parada E 2011, Tics na escola: balanço de teses e dissertações brasileiras produzidas no período de 1990 a 2010. Dissertação de mestrado PUC SP, São Paulo, 139 p.
Pinho J 2011. Sociedade da informação, capitalismo e sociedade civil: reflexões sobre política, internet e democracia na realidade brasileira. Rev. adm. empres. 51 (1): 98-106. Rio de Janeiro.
Schnetzler, R. 2004. A pesquisa no ensino de química e a importância da Química nova na escola. Química Nova na Escola. (20): 49-54.
Silva M 2005. Internet na escola e inclusão. In: Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida; José Manuel Moran. (Org.). Integração das tecnologias na educação: salto para o futuro. SEED/MEC, Brasília 1 (1): 63-69.
Silva S 2013. Facebook no ensino de língua inglesa: Uma experiência no curso de letras. Cadernos do CNLF, XVII (06): 124-139.
Silva, R. Machado, P. 2008. Experimentação no ensino médio de química: a necessária busca da consciência ético-ambiental no uso e descarte de produtos químicos - um estudo de caso. Ciênc. educ. (Bauru) 14(2): 233-249.
Smolka A 1997. Linguagem e conhecimento na sala de aula: modos de inscrição das práticas cotidianas na memória coletiva e individual. In: Encontro sobre Teoria e Pesquisa em Ensino de Ciências: linguagem, cultura e cognição; reflexões para o ensino de ciências. Anais... Unicamp, Belo Horizonte, p. 97-112.
Tomasello, M 2003. Origens culturais da aquisição do conhecimento humano. Martins Fontes, São Paulo.
Vigotski L 2000. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Martins Fontes, São Paulo.
Vigotski L 2001. A construção do pensamento e da linguagem. Martins Fontes, São Paulo.
Publicado
2014-11-27
Como Citar
Andrade, Joana de Jesus, Thiago Bernardo Cavassani, e Daniela Gonçalves Abreu. 2014. Entre O Instrumento E O Outro: Considerações Sobre Antigos E Novos Recursos Didáticos Na Escola. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 3 (3), 161-78. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2014v3i3.p161-178.