Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro e o Descumprimento dos Preceitos do Desenvolvimento Sustentável e da Justiça Ambiental

  • Hudson Santos da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, IFRJ, Brasil.
  • Carlos José Saldanha Machado Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
  • Rodrigo Machado Vilani Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, Brasil.
Palavras-chave: Comperj, Desenvolvimento Sustentável, Desigualdades, Justiça

Resumo

Os megaempreendimentos ocupam lugar de destaque na política de desenvolvimento brasileira, sendo apresentados como propulsores do progresso nacional. Historicamente, este modelo resulta em cenários de injustiça ambiental, caracterizados por conflitos socioambientais, desigualdades socioeconômicas, desequilíbrio no acesso a informações e desvantagens para as populações historicamente marginalizadas. O objetivo desse trabalho é verificar, se os investimentos no setor de petróleo e gás natural do Plano de Aceleração de Crescimento (PAC) do Governo Federal, especificamente do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), seguem o mesmo padrão histórico de injustiça ambiental. Com base em uma metodologia qualitativa de análise de documentos oficiais do empreendimento e de matérias de jornais e revistas sobre sua realização, chega-se à conclusão de que há um desalinhamento entre os investimentos e as possibilidades de desenvolvimento sustentável, uma desorganização na execução do investimento e sua captura por interesses privados através de práticas de corrupção por agentes públicos.

Biografia do Autor

Hudson Santos da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, IFRJ, Brasil.
Doutorado em Meio Ambiente pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil. Professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, IFRJ, Brasil.
Carlos José Saldanha Machado, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Doutorado em Antropologia pela Université Paris Descartes, Paris V, França. Pesquisador na Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil. Professor na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Rodrigo Machado Vilani, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, Brasil.
Doutorado em Meio Ambiente pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil. Professor na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, Brasil.

Referências

Acselrad H 2010. Ambientalização das lutas sociais - o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos Avançados, 24(68): 103-119. [cited 2015 jan. 11]. Available from: https://dx.doi.org/ 10.1590/S0103-40142010000100010.
Acselrad H, Mello CCA, Bezerra GN 2009. O que é justiça ambiental. Garamond, Rio de Janeiro, 160pp.
Alencar E, Galdo R 2015. O dilema Petroquímico. O Globo – Infográficos. 11 jan. 2015. [cited 2015 jan. 11]. Available from: http://oglobo.globo.com/infograficos/comperj.
Alier JM 2011. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. Contexto, São Paulo, 416 pp.
Ambiental Engenharia e Consultoria, Secretaria Estadual do Ambiente 2015. Elaboração de EIA / RIMA para Análise da Viabilidade Ambiental da Implantação da Barragem do Rio Guapi-Açu com vistas à ampliação da Oferta de Água para a região do Conleste Fluminense, localizado no Município de Cachoeiras de Macacu/RJ: 2015. Volume I - Textos. [Cited: 30 dez. 2015]. Available from: http://www.inea.rj.gov.br/cs/groups/public/@inter_dilam/documents/document/zwew/mte0/~edisp/inea0114494.pdf.
ANP 2015. Anuário estatístico brasileiro do petróleo, gás natural e biocombustíveis: 2014. ANP, Rio de Janeiro, 249 pp.
Araújo TB 2013. Desenvolvimento regional brasileiro e políticas públicas federais no governo Lula. In: E Sader (org.). 10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma. Boitempo, São Paulo, p. 157-171.
Bachiller JV 2016. A governança do novo ciclo de políticas industriais (2003-2014), e a relação de autonomia e parceria. In: A Rio, S Marton (orgs.). Os desafios das políticas públicas no Brasil: Um olhar interdisciplinar. CRV, Curitiba, p. 213-225.
Bourscheid Engenharia e Meio Ambiente S.A. 2009. Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) Sistema de Dutos e Terminais do Comperj. Petrobras, Brasil.
Bourscheid Engenharia e Meio Ambiente S.A. 2013. Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) Adutora de água bruta Reduc-Comperj. Petrobras, Brasil.
Brasil 1988. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. [cited 2017 fev. 01]. Available from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituição.htm.
Brasil 2007. 1º Balanço do PAC: janeiro a abril de 2007. Ministério do Planejamento, Brasília, 116 pp.
Brasil 2013. As 10 maiores obras do PAC. Ministério do Planejamento, Brasília. [cited 2017 fev 01]. Available from: http://www.pac.gov.br/i/b8.
Bresser-Pereira LC 2016. Teoria novo-desenvolvimentista: uma síntese. Cadernos do Desenvolvimento, 11(19): 145-165.
Bresser-Pereira LC, Theuer D 2012. Um Estado novo-desenvolvimentista na América Latina?. Economia e Sociedade, 21(esp):811-829. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-06182012000400005.
Brum E 2015a. Belo Monte, empreiteiras e espelhinhos: A mistura explosiva entre o público e o privado, 2017 jul. 07. El País [cited 01 jun. 2017]. Available from: https://brasil.elpais.com/brasil/ 2015/07/06/opinion/1436195768_857181.html.
Brum E 2015b. Perguntas e respostas sobre a usina hidrelétrica de Belo Monte: A empresa Norte Energia, responsável pela usina, responde às perguntas sobre as polêmicas ambientais, 2015 out. 21. El País. [cited 01 jun. 2017]. Available from: https://brasil.elpais.com/brasil/2015/10/19/politica/ 1445288959_623438.html.
Carvalho C 2017. Moro condena Cabral a 14 anos e dois meses de prisão por corrupção e lavagem: Ex-governador do Rio é acusado de receber propina em obras do Comperj, 2017 jun. 13. O Globo. [cited 14 jun. 2017]. Available from: https://glo.bo/2tQ7bhz.
Castro NG, Castro ACL 2016. Cenário de vulnerabilidade no entorno da implantação da Refinaria Premium I. Revista Ensino & Multidisciplinaridade, 2(2):123-332.
Cepemar Consultoria em Meio Ambiente Ltda 2010a. RIMA - Relatório de Impacto Ambiental/Implantação para Implantação das Linhas de Transmissão de 345 kV da Derivação para o COMPERJ. Petrobras, Brasil.
Cepemar Consultoria em Meio Ambiente Ltda 2010b. RIMA - Relatório de Impacto Ambiental/Implantação do Emissário Terrestre e Submarino do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro – COMPERJ. Petrobras, Brasil.
Concremat Engenharia 2007a. Relatório de impacto ambiental – RIMA, do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (EIA COMPERJ). Petrobras, Brasil.
Concremat Engenharia 2007b. Estudo de impacto ambiental – EIA, do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (EIA COMPERJ). Petrobras, Brasil.
Concremat Engenharia 2008. Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) Estrada Principal de Acesso ao Comperj. Petrobras, Brasil.
Cruz D 2015. TCU aponta sobre preço de R$ 1,2 bilhão em obras da Repar, no Paraná: Irregularidades foram constatadas em oito contratos auditados pelo tribunal, 2015 ago 26. Portal G1 [cited 01 jun. 2017]. Available from: http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/08/tcu-aponta-sobrepreco-de-r-12-bilhao-em-obras-da-repar-no-parana.html.
Diniz E 2013. Desenvolvimento e estado desenvolvimentista: tensões e desafios da construção de um novo modelo para o Brasil do século XXI. Revista de Sociologia e Política, 21(47):9-20.
Ferreira TS 2013. Políticas de qualificação profissional no Leste Metropolitano Fluminense. Espaço e Economia, 1(2):1-8.
Fonseca PCD 2014. Desenvolvimentismo: a construção do conceito. In: AB Calisxtre, AM Biancarelli, MAM Cintra (eds.). Presente e futuro do desenvolvimento brasileiro. IPEA, Brasília, pp 29-78.
Fonseca PCD 2016. O projeto desenvolvimentista no Brasil: histórico e desafios da atualidade. Cadernos do Desenvolvimento, 11(19): 117-128.
Furtado C 1974. O mito do desenvolvimento econômico. Paz e Terra, Rio de Janeiro.
Furtado C 2004. Os desafios da nova geração. Revista de Economia e Política, 24-4(96): 483-486.
Gil AC 2007. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. Atlas, São Paulo.
Godoy AS 1995. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE, 35(2): 57-63.
Guimarães LE, Lee F 2010. Levantamento do perfil e avaliação da frota de veículos de passeio brasileira visando racionalizar as emissões de dióxido de carbono. Soc. nat., 22(3): 577-592.
Guizzardi E, Oliveira GC, Oliveira BS, Rosa Filho DS 2014. Indicadores alternativos de desenvolvimento econômico, social e ambiental e as resistências à sua utilização RPD 2(3):1-22.
Ibase 2011. Limites e Potencialidades de Controle Social no Processo de Licenciamento Ambiental – os casos do Comperj (Petrobras) e da TK-CSA (Vale/Thyssenkrupp). Relatório. Ibase.
Ipea 2010. Perspectivas do desenvolvimento brasileiro. Ipea, Brasília, 145 pp.
Ipea 2014. Objetivos de desenvolvimento do milênio: relatório nacional de acompanhamento. Ipea: MP, SPI Brasília, 208 pp.
Landim R, Pamplona R 2016. Petrobras já demitiu 170 mil funcionários desde início da Lava Jato 2016 mar. 29. Folha de São Paulo. [cited 2017 jun. 01]. Available from: http://tools.folha.com.br/print?site =emcimadahora&url=http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/03/1755010-pos-lava-jato-petrobras-ja-demitiu-170-mil-funcionarios.shtml.
Laville C, Dionne J 1999. A Construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Artmed, Porto Alegre, 337 pp.
Luchese B. TCU aponta que irregularidades no Comperj deram prejuízo de US$ 9 bi, 2015 out, 16. Jornal da Globo. [cited 2014 out 17]. Available from: http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/ 2014/10/tcu-aponta-que-irregularidades-no-comperj-deram-prejuizo-de-us-9-bi.html.
Machado CJS 2014. Desenvolvimento sustentável para o Antropoceno: um olhar panorâmico. E-papers, Rio de Janeiro, 350 pp.
Machado CJS, Vilani RM 2015. Governança Climática no Antropoceno: da rudeza dos fatos à esperança no Brasil. E-papers, Rio de Janeiro, 212 pp.
Machado CJS, Vilani RM 2016. Introdução: Do Brasil que temos para o Estado Ambiental que precisamos. In: CJS Machado, RM Vilani. Temas e problemas da vida em sociedade no Brasil. E-papers, Rio de Janeiro, p. 7-78.
Machado CJS, Vilani RM, Silva HS 2016. Ausência de sustentabilidade e de participação no licenciamento ambiental: O Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. In: CJS Machado, RM Vilani. Temas e problemas da vida em sociedade no Brasil. E-papers, Rio de Janeiro, p. 79-118.
Maia C, Mantoan V, Carrança T. Seis inquéritos citam irregularidades em usina no rio Madeira, 11 abr. 2017. Valor Econômico. [cited 15 jun. 2017]. Available from: http://www.valor.com.br/politica/ 4935518/seis-inqueritos-citam-irregularidades-em-usina-no-rio-madeira.
Martinez PH, Colacios RD 2016. Pré-Sal: Petróleo e políticas públicas no Brasil (2007-2016). Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science, 5(1):145-167.
May P, Vinha V 2012. Adaptação às mudanças climáticas no Brasil: o papel do investimento privado. Estudos avançados, 26(74):229-246.
Mineral Engenharia e Meio Ambiente Ltda 2012. Relatório de impacto ambiental: implantação da unidade de processamento de gás natural e unidade de óleos básicos lubrificantes – COMPERJ. Petrobras, Brasil.
Nascimento EP 2012. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Estudos Avançados, 26(74):51-64.
O Globo 2017a. Ferrovia norte-sul: longo histórico de corrupção: Em 1987 já se falava em pagamento de propina e fraude de licitações na construção, 2017 maio 25. O Globo [cited 2017 jun. 05]. Available from: https://glo.bo/2hJNl2X.
O Globo 2017b. Empresariado do Leste Fluminense é o mais pessimista do estado: Sondagem da Firjan foi feita quando economia dava sinais de recuperação, 2017 maio 21, O Globo, [cited 2017jun. 02]. Available from: https://glo.bo/2sT3tXn.
Ordoñez R 2017a. Obra no Comperj deve gerar 23,3 mil postos de trabalho: Estimativa inclui empregos diretos, impacto na cadeia de máquinas e serviços prestados, 2017 jan 13, O Globo. [cited 2017 jun 01]. Available from: https://glo.bo/2sSNto9.
Ordoñez R 2017b. Parente promete conclusão de obras do Comperj a prefeitos da região: Segundo presidente da Petrobras, unidade é prioritária para a estatal, 2017 fev. 16, O Globo. [cited 2017 jun. 01]. Available from: https://glo.bo/2sSoZeH.
Oxfam Brasil 2017. A distância que nos une: um retrato das desigualdades brasileiras. Oxfam, São Paulo, 99 pp. [cited 2017 out. 01]. Available from: https://www.oxfam.org.br/a-distancia-que-nos-une.
PAC [homepage on the Internet]. Sobre o PAC. [cited 30 dez. 2015]. Ministério do Planejamento, Brasil; [about 1 screens]. Available from: http://www.pac.gov.br/sobre-o-pac.
Pádua JA 2012. Desenvolvimento, justiça e meio ambiente. Peirópolis, São Paulo, 324 pp.
Pamplona N 2016. Em 3 anos, valor de projetos da Petrobras fica R$ 109 bilhões menor, 2016 nov 13, Folha de São Paulo. [cited 2017 jun. 01]. Available from: Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/11/1831887em3anosvalordeprojetosda petrobras.
Paulani LM 2017. A experiência brasileira entre 2003 e 2014: Neodesenvolvimentismo?. Cadernos do Desenvolvimento, 20(12): 35-155.
Petrobras 2017. Ministério de Minas e Energia. Relatório de Gestão 2016. Petrobras, Rio de Janeiro, 697 pp.
Planave S.A. – Estudos e Projetos de Engenharia 2010. Relatório de Impacto Ambiental Estudo de Impacto Ambiental (EIA) de píer e via especial de acesso para o transporte dos grandes equipamentos do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ. Revisão A. Petrobras, Brasil.
Planave S.A. – Estudos e Projetos de Engenharia 2014. Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) Readequação das Linhas de Escoamento para Demandas Crescentes do Terminal de Campos Elíseos – TECAM. Petrobras, Brasil.
PNUD, IPEA, FJP 2013. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Ipea, Brasília. [cited 2016 jan. 21]. Available from: http://www.atlasbrasil.org.br.
Porto FP 2005. Saúde do trabalhador e o desafio ambiental: contribuições do enfoque ecossocial, da ecologia política e do movimento pela justiça ambiental. Ciência & Saúde Coletiva, 10(4):829-839 [cited 2018 mar, 29]. Available from: https://www.scielosp.org/article/csc/2005.v10n4/829-839/pt/ #ModalArticles.
Ribeiro W 2017. Justiça espacial e justiça socioambiental: uma primeira aproximação. Estudos Avançados, 31(89):147-165.
Rocha G, Megale B 2016. Com novo foco em Angra 3, Lava Jato atinge 7 das 10 maiores obras do PAC, 2016 jul. 28. Folha de São Paulo. [cited 2017 jun. 18]. Available from: https://www1.folha.uol. com.br/poder/2015/07/1661340-com-novo-foco-em-angra-3-lava-jato-atinge-7-das-10-maiores-obras-do-pac.shtml.
Rougemon L, Pérez MS 2013. Tecendo relações entre os conflitos socioambientais territoriais provocados por megaprojetos: Comperj e Suape e suas implicações para pescadores e pescadoras artesanais. Campo-Território: Rev. de geo. agrária, 8(16):399-426.
Ruffato L 2017. Caminhando para trás: Uma série de mudanças para tornar nossa legislação mais conservadora encontra-se em pauta, 2017 jun 07. El País. [cited 2017 jun. 07]. Available from: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/06/07/opinion/1496845323_279383.html.
Sachs I 2012. Prefácio: Ecodesenvolvimento e justiça social no Brasil. In: JA Pádua (org.). Desenvolvimento, justiça e meio ambiente. Livro Eletrônico. Peirópolis, São Paulo, p. 13-16.
Salvador E 2016. Perfil da Desigualdade e da Injustiça Tributária: com Base nos Declarantes do Imposto de Renda no Brasil 2007-2013. Instituto de Estudos Socioeconômicos – Inesc, Brasília, 46 pp. [cited 16 jan. 2017]. Available from: http://www.inesc.org.br/biblioteca/publicacoes/livros/2016/perfil-da-desigualdade-e-da-injustica-tributaria.
Satrústegui KU 2013. Desenvolvimento, subdesenvolvimento, mau-desenvolvimento e pós desenvolvimento: um olhar transdisciplinar sobre o debate e suas implicações. RPD, 1(1):34-69.
Sen A 1993. O desenvolvimento como expansão de capacidades. Lua Nova, 28(29):313-334.
Sen A 2010. Desenvolvimento como liberdade. Companhia das Letras, São Paulo.
Sen A 2011. A ideia de justiça. Companhia das Letras, São Paulo.
Silva JM, Santos MOS, Augusto LGS, Gurgel IGD 2013. Desenvolvimento sustentável e saúde do trabalhador nos estudos de impacto ambiental de refinarias no Brasil. Saúde e Sociedade, 22(3):687-700. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902013000300004.
TCU 2017 Superfaturamento no Comperj gera indisponibilidade de bens: TCU aponta irregularidades que podem ter gerado prejuízo de meio bilhão de reais. [cited 2017 jul. 02]. Available from: https://portal.tcu.gov.br/ imprensa/noticias/superfaturamento-no-comperj-gera-indisponibilidade-de-bens.htm.
Varella MD, Leuzinger MD 2008. O meio ambiente na Constituição de 1988: Sobrevôo por alguns temas vinte anos depois, Revista de Informação Legislativa, :397-402.
Veiga JE 2010. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Garamond, Rio de Janeiro, 220p.
Veiga JE 2015. Para entender o desenvolvimento sustentável. Editora 34, São Paulo, 232p.
Vilani RM, Machado CJS 2010a. A competência da união para a elaboração de “plano nacional das atividades de exploração de petróleo e gás natural” no Brasil. Ambiente & Sociedade, 13(1):187-206.
Vilani RM, Machado CJS 2010b. Uma análise crítica das diretrizes ambientais do PAC-2 na área de energia. Revista Avaliação de Políticas Públicas, 1(5):7-19.
Villela L, Guedes CAM, Vidal MO, Francisco Neto D 2014. Desenvolvimento versus crescimento: as contradições no município de Itaguaí RJ. Cadernos do Desenvolvimento Fluminense, 1(1):61-75.
Yin RK 2001. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Bookman, Porto Alegre.
Publicado
2019-09-01
Como Citar
Silva, Hudson Santos da, Carlos José Saldanha Machado, e Rodrigo Machado Vilani. 2019. Complexo Petroquímico Do Rio De Janeiro E O Descumprimento Dos Preceitos Do Desenvolvimento Sustentável E Da Justiça Ambiental. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 8 (3), 313-37. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2019v8i3.p313-337.