Tragédia do Povo Krenak pela Morte do Rio Doce / Uatu, no Desastre da Samarco / Vale/ BHP, Brasil

  • Thiago Henrique Fiorott Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
  • Izabel Cristina Bruno Bacellar Zaneti Universidade de Brasília, UnB, Brasil.

Resumo

Em 2015 o Brasil presenciou o maior desastre ambiental de sua história – o rompimento da barragem de mineração da Samarco/Vale/ BHP, em Mariana-MG. Os impactos desta tragédia trouxeram prejuízos ambientais, sociais e econômicos. Um dos povos mais atingidos foram os Krenak - cujas terras encontram-se às margens do rio, o qual denominam Uatu (rio sagrado/rio grande/Rio Doce). O objetivo do artigo é descrever os impactos do rompimento da Barragem, os conflitos pelo uso da água e a sustentabilidade do povo Krenak. A pesquisa de natureza qualitativa, estudo de caso, utilizou dados primários e secundários. Os resultados demonstram que o desastre provocou a morte de peixes, e outros animais, importantes para a segurança alimentar tradicional Krenak. As famílias ficaram sem água potável, impossibilitando as atividades sociais, de educação, saúde, cultura, religião, economia e lazer. Na visão dos Krenak a principal consequência foi a morte do Uatu, subtraindo um importante elemento da sua identidade, territorialidade e sustentabilidade.

Biografia do Autor

Thiago Henrique Fiorott, Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Mestrado profissional em andamento em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Izabel Cristina Bruno Bacellar Zaneti, Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Docente na Universidade de Brasília, UnB, Brasil.

Referências

Barretto FHT 2012. Natureza. In ACS LIMA, Antropologia e Direito: temas antropológicos para estudos jurídicos. Contra Capa / LACED / ABA. Rio de Janeiro/Brasília. p.103-109.
Burg R 2014. Povos indígenas na gestão das águas: diálogos para a cooperação. In Água e Cooperação: reflexões, experiências e alianças em favor da vida. Brasília. p. 213-222.
Caldeira V 2009. História de Botocudo: o povo Krenak na região do Vale do Rio Doce. In MA Rezende (Org.). Era tudo mata: o processo de colonização do Médio Rio Doce e a formação dos municípios de Aimorés, Itueta e Resplendor. Belo Horizonte, MG: Consórcio da Hidrelétrica de Aimorés, p. 42-61.
Força-tarefa/MG 2016, Avaliação dos efeitos e desdobramentos do rompimento da barragem de Fundão em Mariana-MG. Decreto nº 46.892/2015. Secretaria de Estado e Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana - Governo de Minas Gerais, Belo Horizonte. Relatório. 289pp.
Freitas CM, Silva MA, Menezes FC 2016. O desastre na barragem de mineração da Samarco: fratura exposta dos limites do Brasil na redução de risco de desastres. Ciência e Cultura. 68(3):25-30.
Funai Facebook Oficial 2015. Avaible from: https://www.facebook.com/Funaioficial/photos/ pcb.528761573953186/528760403953303/?type=3. Acesso em 25/01/2017.
G1- Globo Minas 2017. Avaible from: http://g1.globo.com/minas-gerais/desastre-ambiental-em-mariana/noticia/2016/06/pf-conclui-inquerito-da-tragedia-de-mariana-e-indicia-8-pessoas.html. Acesso em 25/01/2017.
IBAMA 2015. Informes Rompimento da Barragem de Fundão. Available from: http://www.ibama. gov.br/informes/rompimento-da-barragem-de-fundao acesso em 02/02/2017.
IBAMA 2015. Laudo Técnico Preliminar. Impactos ambientais decorrentes do desastre envolvendo o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais. 38pp.
ICMBio 2016. Nota técnica nº 12/2016. Centro Tamar/Dibio/ICMBio.
Krenak D et al 199?. Aprendendo a língua Krenak- Ithok Ererré. Associação Indígena Atorãn. Cartilha. 63pp.
Krenak ISF et al 2009. Uatu Hoom. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, Cipó Voador, 83pp.
PoEMAS 2015. Antes fosse mais leve a carga: avaliação dos aspectos econômicos, políticos e sociais do desastre da Samarco/Vale/BHP em Mariana (MG). Mimeo.
Valencio N 2016. Elementos constitutivos de um desastre catastrófico: os problemas científicos por detrás dos contextos críticos. Ciência e Cultura. 68 (3): 41-45.
Wanderley LJ et al 2016. Desastre da Samarco/Vale/BHP no Vale do Rio Doce: Aspectos Econômicos, Políticos e Socioambientais. Ciência e Cultura. 68 (3): 30-35.
Zhouri A et al 2016. O desastre da Samarco e a política de afetações: Classificações e ações que produzem sofrimento social. Ciência e Cultura. 68 (3): 36-40.
Publicado
2017-09-10
Como Citar
Fiorott, Thiago Henrique, e Izabel Cristina Zaneti. 2017. “Tragédia Do Povo Krenak Pela Morte Do Rio Doce / Uatu, No Desastre Da Samarco / Vale/ BHP, Brasi”l. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 6 (2), 127-46. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2017v6i2.p127-146.
Seção
Dossiê - Gestão das Águas e de Territórios Protegidos