Gestão das Águas e Territórios Protegidos

  • Antonio Cezar Leal Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
  • Carlos Christian Della Giustina Centro Universitário de Anápolis, UniEVANGÉLICA, Brasil.
  • Cristiane Gomes Barreto Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
  • Vivian da Silva Braz Centro Universitário de Anápolis, UniEVANGÉLICA, Brasil.

Resumo

Como dizia Carl Sagan (1934-1996), a água é o elemento singular que dá cor e vida a este pálido ponto azul do sistema solar que habitamos – a Terra. Entremeados por cinco extensos oceanos, estão os ecossistemas terrestres, que abrigam um diverso conjunto de seres vivos e, também, mais água em distintas formas. Nessa arena da vida, a humanidade evoluiu, criou seus próprios meios e ecossistemas, apartando-se do mundo natural (Thomas 2010). Esse contraste tem nos levado a enfrentar crises planetárias nunca antes vividas pela nossa espécie, como a perda de biodiversidade, as mudanças climáticas globais e as alterações dos fluxos biogeoquímicos (Steffen et al. 2015). Essas crises, às quais se somam as crises hídricas, ameaçam a nossa qualidade de vida e até mesmo a nossa capacidade de sobrevivência.

Biografia do Autor

Antonio Cezar Leal, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Doutorado em Geociências pela Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil. Docente na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Carlos Christian Della Giustina, Centro Universitário de Anápolis, UniEVANGÉLICA, Brasil.
Doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Docente no Centro Universitário de Anápolis, UniEVANGÉLICA, Brasil.
Cristiane Gomes Barreto, Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Docente na Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Vivian da Silva Braz, Centro Universitário de Anápolis, UniEVANGÉLICA, Brasil.
Doutorado em Ecologia pela Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Docente no Centro Universitário de Anápolis, UniEVANGÉLICA, Brasil.

Referências

Chape S, Harrison J, Spalding M, Lysenko I 2005. Measuring the extent and effectiveness of protected areas as an indicator for meeting global biodiversity targets. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences 360(1454):443-455, ISSN 1471-2970.
Nash R 2001. Wilderness and the American Mind. Yale University Press, Yale.
Steffen et al. 2015. Planetary Boundaries: Guiding human development on a changing planet. Science 347(6223):.
Thomas K 2010. O Homem e o Mundo Natural. Mudanças de Atitude em Relação às Plantas e aos Animais (1500-1800). Companhia das Letras, São Paulo.
Publicado
2017-09-10
Como Citar
Leal, Antonio, Carlos Giustina, Cristiane Barreto, e Vivian Braz. 2017. Gestão Das Águas E Territórios Protegidos. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 6 (2), 12-18. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2017v6i2.p12-18.
Seção
Dossiê - Gestão das Águas e de Territórios Protegidos