Estudo da Percepção Ambiental dos Moradores do Município de Pains sobre o Parque Natural Municipal Dona Ziza

Palavras-chave: Educação Ambiental, Parque Dona Ziza, Percepção Ambiental

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar a percepção ambiental dos moradores de Pains sobre o Parque Municipal Dona Ziza. Verificou-se também o uso do espaço do parque pelos seus visitantes, identificou-se a conduta ambiental dos mesmos e, por fim, foram discutidos os pontos positivos e negativos encontrados no parque. Para realizar esta pesquisa, foram aplicados questionários aos moradores do município de Pains, MG. Foi realizado a Análise de Conteúdo nos dados coletados que mostrou a percepção ambiental dos moradores, no qual poderá fornecer subsídios para a conservação e sustentabilidade do parque. Espaços como o Parque Dona Ziza são importantes áreas de lazer e por outro lado, necessita de manutenção constante de seus equipamentos bem como cumprir sua função promovendo atividades de educação ambiental aos seus frequentadores.

Biografia do Autor

Lorena Lorrayne da Silva, Centro Universitário de Formiga, FUOM, Brasil.
Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária pelo Centro Universitário de Formiga, FUOM, Brasil.
Catarina Teixeira, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, UFTM, Brasil.
 Doutorado em andamento em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil. Professora na Universidade Federal do Triângulo Mineiro, UFTM, Brasil.

Referências

Bardin, L. 2008. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70. 288 p.
Brasil. Lei n. 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1º, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 jul. 2000.
Cintrão, F. F.J.; Correia, L. 2004. Meio ambiente e representação social: um estudo de caso na escola municipal de ensino fundamental de Araraquara-SP. Revista Uniara, n.14, p. 201-212.

Dias, F. G. 2004. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9.ed. São Paulo: Editora Gaia Ltda. 551 p.
Ferreira, C. P. 2005. Percepção ambiental na Estação Ecológica de Juréia-Itatins. 2005. 161 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) – Universidade de São Paulo, São Paulo.
Freitas, W. K.; Magalhães, L. M. S. 2003. Análise das preferências paisagísticas dos visistantes do Parque Nacional da Tijuca-RJ. Revista Brasileira de Conservação e Natureza, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 33-38.
IBAMA.1997. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis. Educação ambiental: as grandes orientações de Tbilisi. Brasília.
IBGE, 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, disponível em http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?lang=&codmun=314650&search=%7C%7Cinfogr%E1ficos:-dados-gerais-do-munic%EDpio. Acessado em 15 de setembro de 2015.
Jacobi, C. M.; Fleury, L. C.; Rocha, A. C. C. L. 2004. Percepção ambiental em unidades de conservação: experiência com deferentes grupos etários no parque estadual da serra do rola moça, MG. In: 7º Encontro de Extensão da Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte. Anais do 7º Encontro de Extensão da Universidade Federal de Minas Gerais. p. 1-7.
Kleincchmitt, S. C. 2001. Apostila de Metodologia da Pesquisa Cientifica. Paraná. 41 p.

Marques, D. S.; Coutinho, J. B. 2008. Área de amortecimento do Parque Estadual das Sete Passagens: as percepções dos moradores como subsídio à educação ambiental. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura Plena em Geografia) – Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Jacobina, 2008.
Nucci, J.C. 2001. Qualidade Ambiental e adensamento urbano: um estudo de ecologia e planejamento da paisagem aplicado ao distrito de Santa Cecília (MSP). São Paulo: Humanitas/FFLCH. USP, 2001.
Palma, I. R. 2005. Análise da percepção ambiental como instrumento ao planejamento da educação ambiental. 2005. 72 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Perreira, D. A. 2013. Valores e sentidos atribuídos à paisagem ambiental urbana no Parque Ecológico Olhos D’água, em Brasília-DF. 2013. 107 f. Dissertação de Mestrado – Universidade de Brasília.
Pinheiro, E. S. 2004. Percepção ambiental e a atividade turística no Parque Estadual do Guartelá – Tibagi, PR. 2004. 135 f. Dissertação (Mestrado em Geografia), Universidade Federal do Paraná. Curitiba.
Reigota, M. 1995. Meio ambiente e representação social. São Paulo: Cortez. 123 p.
Santos, C. S. N. 2011. Percepção ambiental dos moradores do entorno do Parque Estadual do Tainhas-RS. 2011. 66 f. Monografia (Graduação em Tecnólogo em Planejamento e Gestão para Desenvolvimento Rural) – Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS, São Francisco de Paula-RS.
São Paulo. 2000. Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Atlas das Unidades de Conservação Ambiental do Estado de São Paulo. São Paulo: SMA.
Sousa, F. F. 2012. A mobilização comunitária como suporte para a implantação do Conselho Consultivo do Parque Ecológico Francisco de Assis Resende, em Lagoa da Prata, MG. 2012. 14 f. Trabalho de Conclusão de Curso (especialização em Gestão Pública Municipal) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora.

Teixeira, C; Alves, J. M. 2015. Mobilização do conhecimento socioambiental de professores por meio do desenvolvimento de ações para conservação de nascentes urbanas. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte), Belo Horizonte , v. 17, n. 3, p. 769-792, Dez.

Tomiazzi, A. B.; Villarinho, F. M.; Macedo, R. L.G; Venturin, N. 2006. Perfil dos visitantes do Parque Natural Municipal do Mendanha, município do Rio de Janeiro. Cerne, v. 12, p. 406-411

Tuan, Yi-FU. 1983. Espaço e Lugar: A perspectiva da experiência. DIFEL: São Paulo, Rio de Janeiro. 248 p.
Publicado
2017-12-31
Como Citar
Silva, Lorena, e Catarina Teixeira. 2017. Estudo Da Percepção Ambiental Dos Moradores Do Município De Pains Sobre O Parque Natural Municipal Dona Ziza. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 6 (3), 287-304. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2017v6i3.p287-304.