Vulnerabilidade Sócio Ambiental de Pescadores e Marisqueiras em S. Francisco do Conde/Ba

  • Ana Almeida Universidade Salvador
  • Lin Kan Instituto Federal da Bahia(IFBa)

Resumo

A partir da identificação dos determinantes socioambientais em saúde, este estudo tem como objetivo mapear aspectos relativos aos riscos e vulnerabilidade social e ambiental de um grupo de pescadores e marisqueiras no município de São Francisco do Conde, região metropolitana de Salvador, Ba. Com o propósito de colaborar na formulação de políticas públicas voltadas a promoção da qualidade de vida das marisqueiras e pescadores artesanais, tomou-se como base 2 diagnósticos complementares: o ambiental e sócio demográfico. Foi verificado a qualidade microbiológica das águas, presença de metais pesados nos sedimentos, mariscos e peixes; contaminantes microbiológicos do esgoto doméstico e 6 metais pesados mais comuns nos efluentes industriais. O diagnóstico sócio demográfico levantou as condições de trabalho e habitação além de aspectos relativos à saúde. Aliados à observação de campo e estudos similares, constatou-se que o oficio da pesca e coleta de mariscos, vem sofrendo declínio enquanto atividade ligada a tradição, despertando pouco interesse das gerações mais jovens, além das características artesanais que restringem sua inserção no modo de produção capitalista. Resultados indicam comprometimento do ecossistema costeiro, o manguezal, pela contaminação por metais pesados e coliformes fecais que potencializam os agravos de ordem ocupacional, decorrentes da ergonomia e exposição à contaminação. Refere-se ainda as condições de habitabilidade destes sujeitos e sua condição de invisibilidade que recorrentemente fortalece e amplia o grau de vulnerabilidade social e ambiental. Assim, as raízes negras do município, manifestadas na composição da população, encontra-se ameaçada face a vulnerabilidade social das comunidades, grupos remanescentes e seus descendentes.

Biografia do Autor

Ana Almeida, Universidade Salvador
Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Urbano – Universidade Salvador/Brasil
Lin Kan, Instituto Federal da Bahia(IFBa)
Departamento de Engenharia Química do Instituto Federal da Bahia(IFBa) - Brasil

Referências

Almeida A, Machado EP, Siqueira CE 2009. Melhor isso do que nada! Participação e responsabilização na gestão dos riscos do Polo Petroquímico de Camaçari (BA). Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 14(6): 2153-2162.
Augusto LGS, Moises M 2009. Conceito de Ambiente e suas Implicações para a Saúde. Caderno de Texto: Iª Conferência Nacional de Saúde Ambiental. Grupo de Trabalho Saúde e Ambiente da Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, p.20-24.
Bauman Z 1998. O mal-estar da pós-modernidade. Zahar, Rio de Janeiro.
Buss P 2007. A Saúde e seus Determinantes Sociais. Physis: Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 17(1):77-93.
Centro de Recursos Ambientais (CRA) 2004. Diagnóstico de concentração de metais pesados e hidrocarbonetos de petróleo nos sedimentos e biota da BST. Consorcio BST Hydros CH2M Hill.
Cirano M, Lessa GC 2007. Oceanographic characteristics of Baía de Todos os Santos. Brasil. Revista Brasileira de Geofísica, 25(1):363-387.
Conflitoambiental.icict.fiocruz.br [homepage on the internet]. Mapa de conflitos envolvendo justiça ambiental e saúde no Brasil. [cited 2016 mai 02]. Available from: http://www.conflitoambiental.icict.fiocruz.br/index.php.
Chauí M 1995. Convite à Filosofia. Atica, São Paulo.
Deleuze G, Guatarri F 1995. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Editora 34, São Paulo, v. 1.
Fischer F 2000. Citizens, experts and the environment: the politics of local knowledge. Duke University Press, London.
Hadlich GM, Ucha JM, de Oliveira TL 2009. Distribuição de apicuns e de manguezais na Baía de Todos os Santos, Bahia, Brasil, Anais do XIV Simpósio de Sensoriamento Remoto, Natal, Brasil, 25-30 de abril de 2009, INPE, p.4607-4614.
Hatje V, Bícego MC, Carvalho GC, Andrade JB 2009. Contaminação química. In V Hatje, JB Andrade, Baía de Todos os Santos. Aspectos oceanográficos. Edufba, Salvador, p. 245-297.
Kan L, Nano RMW, Silvão CF 2012a. Diagnóstico da Contaminação por Metais Pesados em Moluscos de São Bento, Sede e Muribeca no Município de São Francisco do Conde - BA. In: II Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental, Feira de Santana. Anais do II COBESA .
Kan L, Sacramento AC, Silva ALA, Silva M, Leal RBR 2012b. Balneabilidade das Águas Superficiais nas Comunidades de São Bento, Sede e Muribeca no Município de São Francisco do Conde - BA. In: II Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental, Feira de Santana. Anais do II COBESA, 2012
Lévi-Strauss C 1970. O pensamento selvagem. Editora Nacional e Editora da USP.
Ministério do Meio Ambiente (SEMARH) 2007. Plano Ambiental para o Municipio de São Francisco do Conde. s/e.
Mitchel A, Shillington R 2002. Pobreza, desigualdade e inclusão social; Serie Documentos de trabalho, Laidlaw Fundation. Tradução: Fundação Aragão Pinto. [Cited 2014 dez 22], Available from: http://www.fundacaoaragaopinto.com/main.php?id1=20&id2=24.
Nano RMW 2006. Determinação de íons metálicos em moluscos bivalves do manguezal da região petrolífera de São Francisco do Conde, Recôncavo Baiano. Tese de doutorado, UNICAMP.
Nano RMW, Santos WPC, Kan L, Silvão CF 2011. Diagnostic of Contamination by Heavy Metals in Molluscs from São Francisco do Conde, Bahia, Brazil. In: 16th European Conference on Analytical Chemistry (EUROANALYSIS XVI), Belgrado. Abstracts.
Queiroz AFS, Celino JJ (orgs) 2008. Avaliação de ambientes na Baia de Todos os Santos: aspectos geoquímicos, geofísicos e biológicos. Recupetro – Proamb. UFBA, Salvador.
Rios AO, Rego RFR, Pena PGL 2011. Doenças em trabalhadores de pesca. Revista Baiana de Saúde Pública, 35(1):175-188.
Sansone L 2005-2006. Desigualdades duráveis, relações raciais e modernidades no Recôncavo: o caso de São Francisco do Conde. Revista USP, São Paulo, 68(1):234-251.
Silva AP 2014. Pesca artesanal brasileira. Aspectos conceituais, históricos, institucionais e prospectivos. Embrapa Pesca e Aquicultura, Palmas.
Tavares TT 1996. Programa de Monitoramento dos ecossistemas ao norte da baia de Todos os Santos. Tomo IX. UFBA.
Tonus KP, Silva JAT 2008. Escola Inclusiva: demolir preconceitos para reconstruir conceitos. Dialogia. São Paulo, 7(2):211-221.
Publicado
2016-12-12
Como Citar
Almeida, Ana, e Lin Kan. 2016. “Vulnerabilidade Sócio Ambiental De Pescadores E Marisqueiras Em S. Francisco Do Conde/B”a. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 5 (2), 29-46. https://doi.org/https://doi.org/10.21664/2238-8869.2016v5i2.p29-46.
Seção
Edição Especial - Investigação Qualitativa, Sociedade e Meio Ambiente