Equipe Interdisciplinar para Utilização de Tecnologias de Comunicação Alternativa e Aumentativa

  • Samara Lamounier Santana Parreira
  • Vagner Rogério dos Santos
  • Lucimar Pinheiro Rosseto
  • Denise Sisterolli Diniz
  • Acary Souza Bulle Oliveira

Resumo

A comunicação é o agente conector entre ideias, sensações e o meio ambiente, permitindo adequada interação entre os sujeitos. Quando um indivíduo possui deficiência ou dificuldade para comunicar-se por meio dos sistemas de comunicação convencionais, barreiras se instauram e faz- se necessário o uso de Tecnologias Assistivas, que se destinam à ampliação da habilidade. A Comunicação Aumentativa Alternativa atende pessoas sem fala ou escrita funcional. O trabalho em equipe interdisciplinar demonstra melhor resultado nas adaptações e ajustes necessários, além de possibilitar a inovação tecnológica necessária para garantir melhor resultado e efetividade no processo de comunicação...Palavras chave: Comunicação Alternativa e Aumentativa; Interdisciplinaridade; Reabilitação

Biografia do Autor

Samara Lamounier Santana Parreira
Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo. Professora da Universidade Estadual de Goiás, do Centro Universitário de Anápolis e da Universidade Paulista, Brasil.
Vagner Rogério dos Santos
Doutor em Ciências visuais pela Universidade Federal de São Paulo. Pesquisador no Instituto Tecnológico de Aeronáutica e Professor na Universidade Federal de São Paulo, Brasil.
Lucimar Pinheiro Rosseto
Doutora em Química pela Universidade Estadual de Campinas. Professora do Centro Universitário de Anápolis e da Universidade Estadual de Goiás, Brasil.
Denise Sisterolli Diniz
Doutora em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás. Professora da Universidade Federal de Goiás, Brasil.
Acary Souza Bulle Oliveira
Doutor em Neurologia/Neurociências pela Universidade Federal de São Paulo. Professor na Universidade Federal de São Paulo, Brasil.

Referências

Araújo ALSO, Brito RRS 2013. A. P. Softwares para educação inclusiva: uma revisão sistemática no contexto de SBIE e WIE. In: Anais do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação.
Avila BG, Passerino LM, Tarouco LMR 2013. Usabilidade em tecnologia assistiva: estudo de caso num sistema de comunicação alternativa para crianças com autismo. RELATEC.
Bersch RCR 2009. Design de um serviço de tecnologia assistiva em escolas públicas.
Bersch R, Schirmer C 2005. Tecnologia assistiva no processo educacional. In: Ensaios pedagógicos: construindo escolas inclusivas. Brasília: MEC/SEESP.
Cesa CC, Ramos Souza AP, Kessler TM 2010. Novas perspectivas em comunicação suplementar e/ou alternativa a partir da análise de periódicos internacionais. Revista do Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica, v. 12, n. 5, p. 870-80.
Cowan RE 2012. Recent trends in assistive technology for mobility. Journal of neuroengineering and rehabilitation, v. 9, n. 1, p. 20.
Chun RYS 2009. Comunicação suplementar e/ou alternativa: abrangência e peculiaridades dos termos e conceitos em uso no Brasil. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, v. 21, n. 1, p. 69 – 74.
Higginbotham DJ, Shane H, Russell S, Caves K. Access to AAC: present, past, and future. Augmentative and alternative communication, September 2007, v. 23 (3), p. 243-257.
Ifejika-Jones NL, Barrett AM 2011. Rehabilitation—emerging technologies, innovative therapies, and future objectives. Neurotherapeutics, v. 8, n. 3, p. 452-462.
Isaacson MD, Lloyd LL 2015. The potential for developing a tactile communication system based on Blissymbolics. Developmental Neurorehabilitation, v. 18, n. 1, p. 47 – 58.
Nunes LROP, Walter CCF 2014. A Comunicação Alternativa para além das Tecnologias Assistivas. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 22, n. 83.
Paura AC, Deliberato D 2014. Estudo de vocábulos para avaliação de crianças com deficiência sem linguagem oral. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 20, n. 1, p. 37 – 52.
Ponte MN, Azevedo L 1998. Comunicação aumentativa e tecnologias de apoio. Edição CAPS/IST.
Santarosa L, Conforto D, Passerino L, Carneiro ML, Geller M, Estabel L 2010. Tecnologias digitais acessíveis. Porto Alegre: JSM Comunicação Ltda.
Saturno CE, Ramirez ARG, Conte MJ, Farhat M, Piucco EC 2015. An augmentative and alternative communication tool for children and adolescents with cerebral palsy. Behaviour & Information Technology, v. 34, n.6, p. 632 – 645.
Publicado
2015-07-31
Seção
Notas Técnicas, Pedagógicas ou Científicas