Proposta de um Jogo Pedagógico para dar Visibilidade a Violência Domêstica Durante a Gravidez

  • Dora Mariela Salcedo Barrientos
  • Paula Orchiucci Miura
  • António Pedro Costa
  • Elienai de F. G. Siqueira

Resumo

A gravidez na adolescência é considerada um determinante social e um grave problema de saúde pública, devido a sua magnitude e amplitude e não é apenas fruto, mas também é um determinante da disfuncionalidade familiar. A violência doméstica também constitui um grave problema de saúde pública, uma vez que afeta profundamente a integridade física e psicológica das vítimas. Este estudo tem como objetivo apresentar uma proposta de jogo que atenda as necessidades em saúde das adolescentes grávidas que frequentam um Hospital Universitário na cidade de São Paulo...Palavras chave: Violência doméstica; Adolescentes Grávidas; Profissionais de Saúde; Gênero; Jogo.

Biografia do Autor

Dora Mariela Salcedo Barrientos
Doutora em Enfermagem pela Universidade de São Paulo. Professora da Universidade de São Paulo, Brasil.
Paula Orchiucci Miura
Doutora em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora da Universidade Federal de Alagoas, Brasil.
António Pedro Costa
Doutor em Multimédia em Educação pela Universidade de Aveiro. Professor Auxiliar do ISLA (Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia), Portugal.
Elienai de F. G. Siqueira
Especialista em Saúde Coletiva com ênfase em PSF pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo, Brasil.

Referências

Alvarez, AMT 2007. Taxonomia dos jogos educativos computadorizados. In: As Tecnologias de Informação e Comunicação na Escola. In: A. J. Osório and M. dels P. V. Puga, Eds. Braga: Universidade do Minho, 01: 33–49,49–61.
Barbón Pérez OG 2011. Algunas consideraciones sobre comunicación, gênero y prevención del embarazo adolescente. Cienc. enferm. 17(1): 19-25. Disponível em: http://www.scielo.cl/pdf/ cienf/v17n1/art_03.pdf. Acesso em 14 Dez 2011.
Brasil 2010. Ministério da Saúde. Brasil acelera a redução de gravidez na adolescência. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_area=124&CO_NOTICIA=11137. Acesso em 01/06/2012.
Brasil 2006. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Lei Maria da Penha. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11340.htm. Acesso em 10 Dez 2011.
Carvalho-Barreto A, Bucher-Maluschke JSNF, Almeida PC, et al. 2009. Desenvolvimento humano e violência de gênero: uma integração bioecológica. Psicol reflex crit. 22(1):86-92. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/prc/v22n1/12.pdf. Acesso em 19 Set 2011.
Clark RC 2003. Four Architectures of Instruction. [Online]. Disponível em: http://apan.net/ meetings/busan03/materials/ws/education/articles/4architectures.pdf. Acesso em 19 Set 2011.
Clark RC 2002. Applying Cognitive Strategies to Instructional Design. [Online]. Disponível em: http://www.clarktraining.com/CogStrat.pdf. Acesso em 19 Set 2011.
Costa AP 2012. Metodologia Híbrida de Desenvolvimento Centrado no Utilizador. Universidade de Aveiro, Aveiro.
Doubova SV, Pámanes-González V, Billings DL, Torres-Arreola LP 2007. Violencia de pareja en mujeres embarazadas en la Ciudad de México. Rev Saúde Pública; 41(4):582-90.
Egry EY 1996. Saúde coletiva: construindo um novo método em enfermagem. Ícone, São Paulo.
Finkelhor D, Ormrod R, Turner H, Hamby SL 2005. The Victimization of Children and Youth: A comprehensive National Survey. Child Maltreatment. 10(1): 5-25.
Fontaine D, Nolin P 2012. Personality Disorders in a sample of parents acused of Physical Abuse or Neglect. J. Fam. Viol. 27: 23-31.
Foucault M 1979.O nascimento do hospital. In: Microfísica do poder. 16ª ed, Rio de Janeiro: Graal.
Granato TMM, Aiello-Vaisberg TMJ 2009. Maternidade e colapso: consultas terapêuticas na gestação e pós-parto. Paidéia 19(44): 395-401.
Lacroix JL 1990. L’individu, sa famille et son réseau: les therápies familiales systémiques. ESF, Paris.
Lomonaco BP, et al. 2008. Mundo Jovem: desafios e possibilidades de trabalho com adolescentes. Fundação Tide Setubal , São Paulo, 148p.
Macedo MMK, Azevedo BH, Castan JU 2012. Adolescência e psicanálise. In: Macedo MMK (org.). Adolescência e psicanálise: intersecções possíveis. EdiPUCRS, Porto Alegre.
Monteiro CFS, Costa NSS, Nascimento PSV, Aguiar YA 2007. A violência intra-familiar contra adolescentes grávidas. Rev. bras. enferm. 60(4): 373-376. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ reben/v60n4/a02.pdf. Acesso em 11 Dez 2011.
Moreira TMM, Viana DS, Queiroz MVO, Jorge MSB 2008. Conflitos vivenciados pelas adolescentes com a descoberta da gravidez. Revista Escola de Enfermagem da USP, 42(2): 312-320. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n2/a14.pdf. Acesso em 10 Dez 2011.
Novellino MSF 2011. Um estudo sobre as mães adolescentes brasileiras. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 21(1): 299-318.
Organização Mundial da Saúde [homepage] 2005. Estudio multipaís de la OMS sobre salud de la mujer y violencia doméstica contra la mujer: primeros resultados sobre prevalencia, eventos relativos a la salud y respuestas de lãs mujeres a dicha violencia: resumen del informe. Disponível em: http://www.who.int/gender/violence/who_multicountry_study/summary_report/summaryreportSpanishlow.pdf. Acesso em 10 Dez 2011.
Salcedo-Barrientos DM, Macedo V 2011. Reconhecimento e enfrentamento das necessidades de saúde das mulheres grávidas vítimas de violência doméstica na zona leste de São Paulo, Relatório Final Projeto de Pesquisa, Escola de Arte, Ciência e Humanidades da Universidade de São Paulo, São Paulo.
Salcedo-Barrientos DM 2013. Estudo de Violência Doméstica contra Adolescentes Grávidas Atendidas no Hospital Universitário de São Paulo: Bases para Intervenção. Relatório Parcial Projeto de Pesquisa. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Souza FN, Costa AP, Moreira A 2011. Questionamento no processo de dados qualitativos com apoio do software WEBDQA. Eduser: Revista de Educação, Inovação em educação com TIC, 3 (1).
Tardivo LSLPC, Pinto Junior AA 2010. Inventário de frases no diagnóstico de violência doméstica contra crianças e adolescentes. 1ª ed. Vetor (Coleção), São Paulo.
Turner HA, Finkelhor D, Ormrod R, Hamby S, Leeb RT, Mercy JA, Holt M 2012. Family context, victimization and Child Trauma symptoms: Variations in safe, stable and nurturing relationships during early and middle childhood. American Journal of Orthopsychiatry. 82(2): 209-219.
Volic C, Baptista MV 2005. Aproximações ao conceito de negligência. Serviço Social & Sociedade, 83.
Ximenes Neto FRG, Dias MSA, Rocha J, Cunha ICKO 2007. Gravidez na adolescência: motivos e percepções de adolescentes. Rev. bras. enferm. 60(3): 279-285. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ reben/v60n3/a06.pdf. Acesso 10 Dez 2011
Publicado
2015-07-31