O impacto da implementação do Programa Mais Médicos na Atenção Primária

  • Laura Melo Perillo
  • Natalia Silva Bueno
  • Cecília Magnabosco Melo
  • Júlia Maria Rodrigues de Oliveira
  • Sandra Cristina Guimarães Bahia Reis

Resumo

RESUMO: A Atenção Primária à Saúde (APS) é a “porta de entrada”, ou seja, o primeiro nível de acesso do usuário ao Sistema Único de Saúde (SUS). Por meio dela são realizadas, ações de prevenção, proteção, recuperação e promoção à saúde. Contudo, ainda existem muitos entraves para que a ampliação da APS aconteça, principalmente a dificuldade de acesso à assistência médica nas áreas mais remotas do país. E neste contexto surge o Programa Mais Médicos (PMM), uma iniciativa do governo federal, com a intenção de fortalecer e ampliar o SUS. Este trabalho tem por objetivo identificar a relação existente entre o Programa Mais Médicos e seus impactos na saúde, com enfoque na Atenção Primária, trazida por trabalhos recentemente publicados. Para tanto, foram utilizadas para a busca de artigos as bases de dados Medline/PubMed e Google Acadêmico, com descritores que remetiam ao tema. Foram selecionados 12 artigos, datados entre 2012 e 2018. Observou-se que, após a implantação do PMM, ocorreram nas áreas consideradas mais carentes, entre outras coisas, aumento no número e na humanização das consultas realizadas e maior oferta de médicos. Entretanto, problemas relacionados à comunicação por conta da diferença de idioma e à infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde também estavam presentes. Contudo, é possível reconhecer que os benefícios encontrados se sobrepõem aos desafios a serem superados, principalmente pela possibilidade de rompimento com o modelo biomédico que ainda existe na relação médico-paciente e pelo auxílio no cumprimento do direito universal à saúde, previsto pela Constituição Federal de 1988.  
Publicado
2020-06-29
Seção
RESUMOS - Educação em Saúde