Fatores De Risco Socioeconômicos E Biológicos Associados À Mortalidade Infantil Brasileira

  • Ana Luiza Pereira Silva
  • Gabriella de Sousa Moura
  • Isabela Carvalho Cruz Marinho de Jesus
  • Karolina Ribeiro Gonçalves
  • Leticia Moreira Nery Moises
  • Léa Resende Moura

Resumo

RESUMO: A mortalidade infantil consiste na morte de crianças no primeiro ano de vida e serve de base para cálculo da Taxa de Mortalidade Infantil (TMI). A Taxa de Mortalidade Infantil (TMI) estima o risco de um indivíduo morrer em seu primeiro ano de vida, tem o potencial de subsidiar processos de planejamento, gestão e avaliação de políticas e ações da atenção ao pré-natal e ao parto, sendo um indicador utilizado para a avaliação dos níveis de saúde e de desenvolvimento socioeconômico da população. Diante disso, essa pesquisa teve como objetivo descrever, através de uma revisão de literatura, os fatores socioeconômicos e biológicos relacionados à mortalidade infantil. Como metodologia, foi realizada uma pesquisa a partir da basede dados Scielo, utilizando os descritores em ciências da saúde (DeCS) “mortalidade infantil” e “fatores de risco”. Foram selecionados cinco artigos publicados entre os anos de 2017 e 2020. Entre os principais fatores encontrados que agravam a mortalidade infantil, podemos citar fatores biológicos do neonato, fatores socioeconômicos maternos, insuficiência de consultas pré natal, idade materna, mãe multíparas, recém nascidos do sexo masculino e mães solteiras ou viúvas. Concluindo assim, que muitas políticas e programas governamentais devem ser instituídos para que haja uma melhora em relação à essa alta taxa brasileira.
Publicado
2020-06-23
Seção
RESUMOS - Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente