Correlação entre a transmissão da sífilis congênita e a negligência perante o seu diagnóstico e tratamento: mini revisão integrativa da literatura

  • Juliana Yasmim Mendonça Leão de Oliveira
  • Luma de Oliveira Campanholo
  • Laís Borges Sales
  • Matheus Henrique Mendes de Oliveira
  • Ana Carolina Cabral Carvalho
  • Erasmo Eustáquio Cozac

Resumo

RESUMO: A transmissão vertical da sífilis é uma abordagem que faz compromisso, sobretudo, com a prevenção e com o tratamento dessa doença. Nesse sentido, a presente investigação é uma mini revisão integrativa, que teve como objetivo avaliar evidências disponíveis referente à negligência em relação ao diagnóstico e à prevenção de sífilis, bem como o seu impacto na continuidade da transmissão congênita dessa infecção. Para a seleção dos artigos científicos, utilizou-se como banco de dados a Literatura Latino Americana e Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Medical Literature Analysis and Retrieval System on-line (Medline) e Scientific Electronic Library Online (SciELO) e a amostra dessa mini revisão constituiu-se de 5 artigos. Após análise dos artigos inclusos nessa investigação, os resultados dos estudos apontam que a carência de atenção e de cumprimento às orientações do Ministério da Saúde (MS) no cuidado à gestante e ao recém nascido são empecilhos recorrentes e de reflexo direto no aumento da taxa de incidência dessa infecção. Diante do proposto, concluiu-se que a continuidade na transmissão da sífilis congênita está associada, sobretudo, às questões de prevenção e tratamento, sendo as principais: o pré-natal inadequado, a diminuta adesão das gestantes ao pré-natal, os diagnósticos tardios de sífilis congênita, a falta de registro de mães enfermas, o não tratamento ou o tratamento incompleto de mães diagnosticadas positivas para a sífilis, o não rastreamento e não tratamento do parceiro e também falha na retestagem da sorologia.
Publicado
2020-06-23
Seção
RESUMOS - Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente