Conhecimento e práticas pedagógicas de docentes sobre o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)

  • Jolana Cristina Cavalheiri Universidade Paranaense- UNIPAR
Palavras-chave: TDAH; Docentes; Conhecimento; Enfermagem; Hiperatividade.

Resumo

Objetivo: Identificar o conhecimento e as práticas pedagógicas exercidas pelos docentes do Ensino Fundamental I, na escolarização do aluno com TDAH, no município de Francisco Beltrão - PR. Métodos: Estudo exploratório, de campo e de caráter quantitativo, realizado com 99 docentes. A coleta de dados ocorreu nos meses de junho e julho por meio do preenchimento de questionários autorrespondidos, confeccionados pelas pesquisadoras conforme literatura pertinente, os quais tinham o objetivo de identificar o perfil dos profissionais, a estrutura física, pedagógica das escolas e o conhecimento dos docentes. Resultados: Nas variáveis dos conhecimentos dos professores, grande parte apresentou conhecimento insuficiente, quanto à etiologia, diagnóstico, tratamento e medicação. Enquanto no domínio que avaliava a sintomatologia de TDAH manifestadas pelos alunos, os professores demostraram um conhecimento adequado. Em relação às práticas pedagógicas, os docentes salientaram o emprego e a viabilidade de utilizar jogos educativos e materiais dourados. Conclusões: Os docentes apresentam conhecimentos insuficientes sobre o TDAH, e na maioria das vezes não adaptam suas práticas pedagógicas voltadas ao aluno com o transtorno, bem como, a equipe multidisciplinar não é totalmente efetiva nas escolas pesquisadas. 

Referências

1. Sousa CBC, Moreira JC, Costa LE, Abreu FP, Aguiar ASC. Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade: atuação da enfermagem. [S.I] Disponível em:https://www.editorarealize.com.br/revistas/joinbr/trabalhos/TRABALHO_EV081_MD4_SA87_ID1232_11092017185315.pdf

2. Cruz EBC, Brito CME. Conhecimentos dos docentes do 1º ciclo do ensino básico sobre o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade. Rev. Acta Scientiarum. Education Maringá. 2016; 38 (3):303-308.

3. Souza EP, Ponce RF. TDAH - Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e a maximização psicopatologica de seus sintomas. Rev. Colloquium Humanarum. 2016; 13 (4):65-70.

4. Silva ATC.; Francisco AMMB, Grumond AD. Atenção e hiperatividade no TDAH correlacionados com o comportamento educacional e social da criança. [S.I] Disponível em: file:///C:/Users/Usuario/Downloads/2017-6213-1-SM.pdf.

5. Mazon LM, Moro A, Negrelli MH, Tombini K, Schmidt TCA, Petreça RH, et al. Percepção de pais e professores sobre crianças e adolescentes com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Rev. Braz. Ap.Sci. 2018;2(4):1470-1485.

6. Côas DB. Conhecimento docente em salas de aula com alunos com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) em escolas públicas do município de Paranaguá-PR. [dissertação na internet]. Curitiba (Brasil): Universidade Tuiuti Do Paraná; 2017. [citado 12 ago.2019]. 164p.

7. Assis FC. TDAH no espaço escolar: atendimento de alunos por meio da mediação dos professores. 2014; 24 f. Universidade Estadual De Maringá Centro De Ciências Humanas, Letras E Artes Curso De Pedagogia. Maringá. 2014.

8. Anflor EP. Cuidados de enfermagem à criança adolescente com transtorno de atenção e hiperatividade: uma revisão integrativa. Trabalho de conclusão de curso. 2014, 33 f. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem. Porto Alegre, 2014.

9. FRANCISCO BELTRÃO. Prefeitura Municipal de Francisco Beltrão: Secretaria da Educação, escolas municipais. Disponível em: http://franciscobeltrao.pr.gov.br/secretarias/educacao Acesso em 07 de ago. 2019.

10. Moura LT, Silva KPM. O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e as práticas pedagógicas em sala de aula. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 2019; 22(216):1-7.

11. Silva OON; Miranda TG; Bordas MAG. Trabalho docente no campo: análise dos processos e características da atividade dos professores de Educação Especial. Revista @mbienteeducação. 2019; 12 (3): 39-51.

12. Oliveira KS, Lima CS, Couto FP. Jogos digitais e funções executivas em escolares com transtorno do Déficit De Atenção E Hiperatividade (TDAH): algumas reflexões. Revista Cenas Educacionais. 2019; 2 (1): 29-43.

13. Zilly A, Triaca LP, Faller JW, Silva Sobrinho RA, Santos MF, Almeida ML. Percepção de professores das salas de recursos em uma rede de ensino municipal do Paraná. Revista Educação Especial. 2015; 28 (51):129-146.

14. Cordeiro, SMN. As representações sociais de professores do ensino fundamental sobre TDAH e medicalização. Universidade Estadual De Maringá Centro De Ciências Humanas, Letras E Artes Programa De Pós-Graduação Em Educação Área De Concentração: Educação, Maringá 2016.

15. Boni AL, Oliveira AK, Pimentel DVM, Melo EM, Silva ILC, Aguiar LS, et al.
Comparação Do Perfil Epidemiológico De Transtorno De Déficit De Atenção E Hiperatividade Nas Redes Municipal e Privada De Anápolis–Go.
Rev. Educ. Saúde 2016; 4 (2): 51-57.

16. Cardoso L. Mollica AMV. Sales AM. Araújo LC. O Lúdico e a aprendizagem de Crianças com Transtorno De Déficit De Atenção/Hiperatividade. Revista Científica Fagoc Multidisciplinar. 2018; 3. 1-9.

17. Pacheco SS. Contribuições da ludicidade para a aprendizagem de alunos com TDAH: um estudo realizado numa escola pública do município de Mari/PB. João Pessoa, Universidade Aberta Do Brasil –UAB Universidade Federal Da Paraíba –UFPB Centro De Educação –CE Licenciatura Plena Em Pedagogia 42 f. 2018.

18. Carreiro LRR, Cerdeira ME, Palaria ACZ, Araújo MV. Sinais de desatenção e hiperatividade na escola: análise dos relatos dos professores sobre suas expectativas e modos de lidar. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento. 2010;10(1):49-58.

19. Caldas RCS. Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH): Relato de experiência. Cadernos da Pedagogia. 2017:10(20):1-12.

20. Bento LA, Ferreira MA, Santos SEL, Manganotti As crianças com transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH: Comparação do desempenho escolar dos alunos tratados e não tratados com metilfenidato. Rev. UNINGÁ, Maringá. 2019;56(2):151-159.

21. Moraes JCP, Martins CM, Fantinat RE. Relação entre indisciplina e estilos de aprendizagem na visão de professores do Ensino Fundamental I.
Pensar Acadêmico, Manhuaçu. 2019;17 (1): 01-13.

22. Nascimento ES, Silva GMS, Silva LFAM, Sousa VJ, Wanderley TC. Conhecimento de enfermeiros sobre o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade.

23. Gomes MJM, Confort MF. TDAH: Implicações no Relacionamento Interpessoal. Rev. Episteme Transversalis. 2017; 8 (2):119-132.

24. Souza SB. Práticas Pedagógicas para alunos com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) nas turmas do 2° e 3º ano em duas escolas regulares do Município De Governador Mangabeira-BA. Trabalho de Conclusão de Curso. 44f. 2018.

25. APA. American Psychiatric Association, Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-V)5 ed. Artmed; 2014. Disponível e-book.
Disponível em: http://www.clinicajorgejaber.com.br/2015/estudo_supervisionado/dsm.pdf acesso em: 11 out.2019.

26. ABDA. Associação Brasileira do Déficit de Atenção. Disponível em: https://tdah.org.br/ acesso em: 10 de out. de 2019.
27. Ribeiro JÁ, Melo DS. O lúdico no processo ensino aprendizagem do aluno com Transtorno De Déficit De Atenção E Hiperatividade (TDAH). 2018:11(1):1-15.

28. Brasil. Ministério da Educação. Projeto De Lei N° 76, DE 2011. 2 p.

29. Brasil, Plano Diretor Francisco Beltrão. Secretaria Municipal de planejamento 2017. 45p. Disponível em: http://www.franciscobeltrao.pr.gov.br/wp-content/uploads/2019/01/PDM-2017-V1-13-EDUCA%C3%87%C3%83O-Final.pdf acesso em 10 out. 2019.
Publicado
2020-07-13