Neuroplasticidade e estilo de vida: qual a relação?

  • Eron Matheus Leite Moreira
  • Edson Veloso Vieira Neto
  • Gustavo Guintter Glória Balbino
  • Jorge Alberto Durgante Colpo Junior
  • Márcio Henrique Ferreira de Souza
  • Pedro Guilherme Oliveira
  • Mariana Figueiredo Guedes D`Amorim

Resumo

RESUMO: Essa revisão teve como fundamento o gradativo rompimento do pensamento de que o cérebro é um conjunto de multiestruturas isoladas permitiu a estruturação de um novo conceito: o cérebro é um órgão dinâmico e adaptável frente às exigências impostas ao mesmo. Diante desse cenário, a neuroplasticidade ganha relevância, posto que, de acordo com C. H. Phelp (1990), trata-se de uma mudança adaptativa estrutural e funcional do sistema nervoso, que “ocorre em qualquer estágio da ontogenia, como função de interações com o ambiente interno ou externo ou, ainda, como resultado de injúrias, de traumatismos ou de lesões que afetam o ambiente neural”. Teve como objetivo revisar possíveis associações entre neuroplasticidade e estilo de vida. Apresntou como metodologia a busca de livros e artigos, nacionais e internacionais, utilizando a Biblioteca Virtual em Saúde – BVS MS e o PubMed. Ultilizou-se como descritores: plasticidade neuronal, exercícios aeróbicos, yoga, e estilo de vida. 12 artigos foram selecionados e revisados, mas apenas 7 foram incluídos. Teve como resultados mais significativos encontradas referentes à estilo de vida, yoga e exercícios aeróbicos, ao lado da demonstração da relação entre neuroplasticidade e patologia de Alzheimer. Conclui-se que há relação entre neuroplasticidade e estilo de vida, porém, há diminuta amostragem de estudos sobre a temática. Ainda, os mecanismos que demonstram o vínculo descrito são pouco compreendidos, inferindo e demandando maior volume de estudos esclarecedores sobre a temática.  
Publicado
2019-11-23