A telemedicina no tratamento e prevenção de cardiopatias

  • Daniel Oliveira Silva
  • João Marcos Palmeira Ferrato Gomes
  • Iasmine Saad Sousa
  • Luiz Fernando Nogueira Salomão
  • Venâncio Tavares Trindade
  • Rodrigo Scaliante Moura

Resumo

RESUMO: A taxa de mortalidade média por infarto agudo do miocárdio do sexo masculino e feminino, respectivamente, é de 108 óbitos a cada 100 mil homens, e 62 mortes a cada 100 mil mulheres. Diante disso, é importante a implementação de novas abordagens médicas, que sejam efetivas para a diminuição desses dados estatísticos. Nesse sentido, a telemedicina, em conjunto com os meios de comunicação atuais, mostra-se como uma grande aliada na prevenção dessa cardiopatia, no que tange à prevenção da doença e aos achados clínicos antecipados. Assim, descrever a eficácia da telemedicina no tratamento e prevenção de doenças cardiogênicas através de uma revisão de literatura a partir de 22 artigos redigidos em língua inglesa obtidos das bases de dados do PubMed, selecionados utilizando-se os Descritores em Ciência da Saúde (DeCS): “mHealth”, “eHealth” e “heart attack”, com critério de data de publicação entre 2014 e 2019. Os resultados foram baseados nas mudanças fisiológicas e na consequente redução da morbimortalidade cardiogênica quando associada à telemedicina, em comparação com os cuidados médicos tradicionais. Nesse contexto, vale mencionar que o método mais eficiente, no que diz respeito às vertentes da telemedicina, foi o envio de mensagens de texto aos usuários, lembrando-os de se exercitarem, de aderirem às dietas propostas e de cessarem, gradativamente, o uso de tabaco. Tangente a isso, é importante ressaltar que a inserção dessa tecnologia na rotina desses pacientes proporcionou a redução dos níveis de glicemia em jejum, diminuição dos valores de pressão arterial, bem como a normalização do Índice de Massa Corporal (IMC). Em outro viés, o eletrocardiograma, em consonância com a telemedicina reduz em 20% o tempo de conclusão de tal exame, o que aumenta as chances de um diagnóstico antecipado. Logo, diante do exposto, constatou-se que a telemedicina pode ser usada como uma alternativa inovadora, tanto para o controle da mortalidade de cardiopatas, quanto para o aumento da qualidade de vida da sociedade, visto que também pode prevenir fisiopatologias.  
Publicado
2019-11-23
Seção
RESUMOS - Envelhecimento e Epidemiologia das Doenças Crônicas Não Transmissiveis