Caracterização da microbiota associada a formigas capturadas em ambiente hospitalar

  • Beatriz Chaveiro do Carmo
  • Carolina Ducarmo Jordão
  • Davi Borges de Carvalho
  • Gustavo Felipe Assunção
  • Nathália de Almeida França
  • Rodrigo Scaliante de Moura

Resumo

RESUMO: Inúmeros veículos de transmissão de microrganismos são conhecidos e tem seu papel na cadeia de infecção bem esclarecido dentro da comunidade científica, como os ratos, piolhos, pulgas e os mosquitos. Entretanto, formigas são vetores pouco considerados como fonte de infecção, mas possuem a mesma importância, principalmente quando se fala de infecção hospitalar. Diversos pesquisadores já demonstraram que esses artrópodes realizam simbiose com bactérias, sendo, portanto, vetores mecânicos destas. A partir disso, infecções nosocomiais se tornam possíveis em consequência do fato de as formigas circularem livremente pelas instalações hospitalares, entrando em contato com material infectado e logo depois com pacientes, medicamentos, aparelhos e utensílios, sala de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), entre outros, disseminando os microrganismos patogênicos. O objetivo deste trabalho é analisar quais microrganismos potencialmente patogênicos são carreados nos corpos de formigas em dois hospitais da cidade de Anápolis – Goiás. O estudo será realizado a partir da captura das formigas em tubos de ensaio, após essa etapa será realizado o isolamento e identificação de bactérias no laboratório de microbiologia da UniEvangélica. As bactérias isoladas, então, serão submetidas ao teste de antibiograma por difusão em disco. Assim, pretende-se contribuir para o reconhecimento do mecanismo vetorial mediado por formigas em ambiente hospitalar e identificar a relação entre os microrganismos carreados e seu comportamento frente ao tratamento antibiótico padrão, além de fornecer respaldo científico para elaboração de novos procedimentos de segurança por controle de vetores em ambiente hospitalar.  
Publicado
2019-11-23
Seção
RESUMOS - Educação em Saúde