Comportamento sexual de acadêmicos do primeiro ao quarto período do curso de medicina do Centro Universitário de Anápolis - UniEVANGÉLICA

  • Edwilson Gonçalves Rios Filho
  • Rayssa Carolina de Lacerda Candido
  • Rodrigo Davanço Souto
  • Rodrigo Dias Cassimiro
  • Sofia de Barros Jesus
  • Raquel Oliveira dos Santos
Palavras-chave: Comportamento sexual, DSTs, Educação em saúde

Resumo

O comportamento sexual pode ser encarado como de risco quando o uso de preservativo para evitar uma gestação ou proteger-se de uma infecção sexualmente transmissível não é escolhido, afetando a saúde física e mental do sujeito. Todavia, isso pode não ser suficiente para que hábitos preventivos sejam adequados. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é avaliar o comportamento sexual dos acadêmicos do ciclo básico (primeiro ao quarto período) do curso de medicina da UniEVANGÉLICA, fatores que conferem risco a esse comportamento bem como identificar seus níveis de conhecimento sobre esse assunto. Trata-se um estudo epidemiológico transversal e descritivo. Como instrumento de coleta de dados será utilizado um questionário autoaplicável de 43 questões objetivas adaptado de 4 estudos. Esperamos encontrar estudantes de diferentes idades e orientações sexuais e com uma grande parcela morando fora da casa dos pais. Em relação às práticas sexuais, acreditamos que os acadêmicos possuam conhecimento sobre as diferentes formas de prevenção e transmissão de Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), assim como outras consequências de um comportamento sexual de risco. Presumimos que os alunos sexualmente ativos tenham como hábito o uso de preservativos bem como de outros métodos contraceptivos e que outras atitudes de risco não interfiram na prevenção adequada. Por fim, nossa expectativa é que o maior conhecimento adquirido no decorrer da formação pessoal e acadêmica reflita em hábitos sexuais mais seguros.
Publicado
2019-07-03
Seção
RESUMOS - Educação em Saúde