Dinâmica Do Fósforo Em Solos De Alta Fertilidade: Fontes E Doses Fosfatadas Em Cultivo Da Cultura De Soja No Cerrado

  • José Mateus Kondo Santini Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
  • Salatiér Buzetti Universidade Estadual Paulista
  • Adriano Perin Instituto Federal Goiano
  • Carlos Frederico de Souza Castro Instituto Federal Goiano
  • Leonnardo Cruvinel Furquim Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
  • Daniel Noe Coaguila Nunez Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
  • Flávio de Oliveira Silveira Exacta
  • Luiz César Lopes Filho Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
  • Anderson Cruvinel Cabral Instituto de Ensino Superior de Rio Verde

Resumo

A cultura da soja é uma das principais culturas do agronegócio brasileiro, podendo ser limitada por adubações equivocadas em área de cerrado. Com o presente trabalho, objetivou avaliar a dinâmica da adubação fosfatada, pelo uso de fontes e doses na adubação de manutenção da cultura da soja, em solo com alto teor de P, verificando a real eficácia do uso do superfosfato triplo de eficiência aumentada. O experimento foi realizado em delineamento em blocos ao acaso, com quatro repetições, em esquema fatorial de 2x5, sendo o primeiro fator fontes de fertilizantes (superfosfato triplo e superfosfato triplo de eficiência aumentada) e segundo fator doses de P2O5 (0, 40, 80, 120 e 240 kg ha-1). O experimento foi conduzido em área experimental, em Rio Verde, GO, buscando-se avaliar as influências nas características de componentes de produção e produtividade da soja, bem como, na dinâmica do P no solo. Constatou-se que a cultura da soja não respondeu à adubação fosfatada, em solo com alto teor de P. O uso do Superfosfato triplo de eficiência aumentada não modifica a produtividade de grãos, mas, aumentou a exportação de P via grãos da cultura, em comparação ao Superfosfato Triplo convencional. Para a adubação fosfatada, recomenda-se o uso do Superfosfato triplo convencional na dose de 75 kg ha-1 de P2O5.

Biografia do Autor

José Mateus Kondo Santini, Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Engenheiro Agrônomo, Dr., Professor do Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Salatiér Buzetti, Universidade Estadual Paulista
Engenheiro Agrônomo, Dr., Professor da Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira
Adriano Perin, Instituto Federal Goiano
Engenheiro Agrônomo, Dr., Professor do Instituto Federal Goiano - Câmpus Rio Verde
Carlos Frederico de Souza Castro, Instituto Federal Goiano
Químico, Dr., Professor do Instituto Federal Goiano - Câmpus Rio Verde
Leonnardo Cruvinel Furquim, Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Engenheiro Agrônomo, Me. Professor do Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Daniel Noe Coaguila Nunez, Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Biólogo, Dr. Professor do Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Flávio de Oliveira Silveira, Exacta
Engenheiro Agrônomo, Consultor técnico da empresa Exacta
Luiz César Lopes Filho, Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Acadêmico do curso de Engenharia agronômica do Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Anderson Cruvinel Cabral, Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Acadêmico do curso de Engenharia agronômica do Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Publicado
2020-02-03