DESEMPENHO AGRONÔMICO DO MILHO EM FUNÇÃO DO ESPAÇAMENTO ENTRELINHAS E ESTANDE DE PLANTAS

  • Fernando Henrique Arriel
  • Ariel Muncio Compagnon Instituto Federal Goiano Campus Ceres
  • Altamir Matias Pimenta Neto
  • Guilherme Santos Ventura
  • Pedro Henrique Martins Cintra

Resumo

A semeadura é uma das etapas que exigem maior perfeição em sua execução, pois pode comprometer a rentabilidade da atividade agrícola, aliada à escolha do arranjo de plantas para otimizar a produtividade de grãos. O trabalho teve como objetivo avaliar a influência do espaçamento entrelinhas e estande de plantas sobre o desempenho agronômico na cultura do milho. Foi utilizado um delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x3, sendo dois espaçamentos entrelinhas (42,5 e 85,0 cm) e três densidades populacionais (50000, 55000 e 60000 plantas ha-1), com 6 repetições. Avaliou-se: número médio de dias para a emergência, profundidade de semeadura, distribuição longitudinal, altura de plantas e de inserção da 1ª espiga, diâmetro do colmo, comprimento e diâmetro da espiga, massa e diâmetro do sabugo, número de grãos por fileira e de fileiras por espiga, massa da espiga e de grãos por espiga, massa de mil grãos e produtividade. Com o aumento da população, houve redução do número de dias para emergência, comprimento da espiga, massa da espiga e de grãos da espiga, e massa do sabugo. Com a redução do espaçamento obteve-se maiores porcentagens de espaçamento normal, maior diâmetro da espiga e do sabugo.
Publicado
2019-05-28