HISTÓRIA, MULHERES E EXISTENCIALISMO: NARRATIVAS FEMINISTAS NA IMPRENSA BRASILEIRA NO SÉCULO XX.

  • Danielle Silva Moreira Santos Universidade federal de Goiás

Resumo

Considerando que a narrativa, seja ela histórica ou ficcional, desempenha importante papel na organização e constituição de sentido para a vida humana, o presente artigo, propõe-se a refletir brevemente, a partir da perspectiva existencialista, como mulheres escritoras que se reuniram para produzir periódicos direcionados ao público feminino brasileiro no século XX, especialmente em Goiás, elaboraram um sentido para a existência feminina, através da criação de identidade(s) feminina(s), representadas em suas produções textuais. 

Biografia do Autor

Danielle Silva Moreira Santos, Universidade federal de Goiás
Licenciada em História pela Universidade Federal de Goiás. Foi bolsista PROLICEN por dois anos (2013/2014 ; 2014/2015) com o trabalho Gênero, escola e ensino: um diálogo possível. Atualmente é mestranda pelo Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal de Goias (PPGH/UFG), com a orientação da professora Dra. Ana Carolina Eiras Coelho Soares, estuda imprensa feminina em goias no início do século XX. Professora particular, professora voluntária em cursinhos populares e monitora da disciplina de História em colégios particulares de Goiânia.
Publicado
2018-02-26
Seção
Dossiê: Gênero, corpo e identidades: saberes e poderes em debate