GÊNERO E INTERFACES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM OLHAR PARA IMPORTÂNCIA DO LIVRO DIDÁTICO DE HISTÓRIA

  • Suellen Peixoto de Rezende Universidade Federal de Goiás- UFG

Resumo

Resumo: Refletindo acerca da Educação e História na perspectiva analítica de Gênero, este trabalho visa problematizar as relações entre Educação e Gênero, pautando –se em um olhar dialógico e equitativo da Educação. A fim de entendermos as relações de poder intrínsecas à construção histórica, notamos silenciamentos das mulheres nos Livros de História do Ensino Básico, vistas como notas de rodapé e anexos. Assim, presumindo que há uma ausência da história das mulheres na historiografia do livro didático de história, este trabalho se propõe a discutir não apenas as invisibilizações das mulheres nos livros de História, mas também, refletir acerca da Educação e Gênero, debatendo a representatividade das mulheres no livro didático e a historicização  das relações de gênero, a fim de um construto historiográfico igualitário, entendendo o papel da educação, frente aos  desafios na quebra de paradigmas excludentes.  Palavras-Chave: Educação, Gênero, Livro didático de História. 

Biografia do Autor

Suellen Peixoto de Rezende, Universidade Federal de Goiás- UFG
Mestranda em História pela UFG. Especialização em História Cultural pela UFG. Aperfeiçoamento em História Indígena pela UFSJ. Graduação em História. Atualmente é professora no Colégio de Aplicação Alfredo Nasser no Ensino Fundamental II e Médio. Tem experiências na área de História, Geopolítica, Sociologia e Filosofia, com ênfase em História Cultural. Graduação em andamento em Pedagogia- UNIFAN.Pesquisadora no Grupo de Extensão e Pesquisa em Estudos de Gênero - UFG

Referências

ARENDT, Hannah. A crise na educação. In: Entre o passado e o futuro. Tradução Mauro W. Barbosa de Almeida. 3ª reimpressão da 5ª ed. de 2000. São Paulo: Perspectiva, 2005.
AUAD, D. Educar Meninos e Meninas: Relações de Gênero na Escola. São Paulo: Contexto, 2006.
BITTENCOURT, Circe. (Org.) 11. Ed., 4ª reimpressão _ São Paulo: Contexto, 2010 –
(Repensando o ensino).
BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução: Maria Helena Kuhner – 2ª ed. - Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.
BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano nacional de educação em direitos humanos. Brasília: Secretaria Especial de Direitos Humanos, 2007. [acesso em 01 nov 2017]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=2191-plano-nacional-pdf&category_slug=dezembro-2009-pdf&Itemid=30192
CANIATO, R. Com Ciência na Educação. 3ª reimpressão. Campinas: São Paulo. Papirus, 1997.
CAVALCANTI, Edlamar Leal de Sousa. A apreensão do conhecimento escolar numa perspectiva de gênero. In: FAGUNDES, Tereza Cristina Pereira Carvalho (Org.). Ensaios sobre identidade e gênero. Salvador: Helvécia, 2003. p. 177-210.
CHARTIER, Roger. A História Cultural: Entre Práticas e Representações. Lisboa: DIFEL, 1990.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de História. Campinas, SP: Papirus, 2005.
FOUCAULT, Michel. “A ética do cuidado de si como prática da liberdade.” In: Ética, sexualidade e política, por Michel FOUCAULT, 264-287. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.
_______. Um corpo estranho - ensaios sobre sexualidade e teoria queer. 1. ed. 1. reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
MORIN, Edgar; CIURANA, Emilio-Roger; MOTTA, Raúl Domingo. Educar na Era Planetária -O pensamento complexo como Método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. São Paulo: Cortez, 2003, p.111.
OKIN, Susan. Gênero: O Público e O Privado. Revista estudos de gênero, Florianópolis: 16(2), maio-ago. 2008.
Publicado
2018-02-26
Seção
Dossiê: Gênero, corpo e identidades: saberes e poderes em debate