Seed Size And Physiological Quality Of Three Cultivars Of Cotton

  • Luiz Cesar Lopes Filho Mestre em Ciências Agrárias pelo Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
  • Victor Alves Ribeiro Professor na Faculdade Evangélica de Goianésia
  • Walber Alves Ribeiro Estudante na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Campus Jaboticabal
  • Flávio Henrique Ferreira Gomes Doutorando em Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
  • Guilherme Goulart Furtado Estudante em Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
  • Moara Mariely Vinhais Souza Estudante e Bolsista CNPq em Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
  • Willian Marques Pires Mestre em Ciências Agrárias pelo Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
  • José Mateus Kondo Santini Professor em Instituto de Ensino Superior de Rio Verde

Resumo

O algodão é uma das mais importantes culturas, tanto no contexto nacional, quanto internacional. Sendo que sua fibra constitui uma importante matéria prima para a indústria têxtil. O processo de melhoramento de sementes de algodão, favoreceu cultivares com sementes menores. O objetivo deste trabalho foi avaliar sementes de três cultivares de algodão de diferentes tamanhos através de testes de vigor. O trabalho foi desenvolvido no laboratório de sementes e processamento pós-colheita de produtos agrícolas do Instituto Federal Goiano – Campus Rio Verde. Sementes de algodão de 3 cultivares foram utilizadas (FiberMax 913 GLT, FiberMax 910 e DeltaPine 1648 B2RF), obtidas na safra de 2014 da cidade de Primavera do Leste – Mato Grosso. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com oito repetições de 50 sementes. Foram conduzidos testes de teor de água e peso de cem sementes, teste de germinação e índice de velocidade de germinação, teste de emergência e índice de velocidade de emergência, condutividade elétrica e envelhecimento acelerado. As dimensões do tamanho das sementes (comprimento, largura e espessura) foram determinadas com o auxílio de um paquímetro digital, e o peso das sementes, com uma balança de precisão de resolução 0,001g. Os dados foram submetidos a análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Não houve relação clara entre o tamanho da semente e sua qualidade fisiológica nas cultivares avaliadas, fazendo-se necessários mais estudos que comprovem este tipo de associação.

Biografia do Autor

Luiz Cesar Lopes Filho, Mestre em Ciências Agrárias pelo Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
Doutorando em Agronomia, UFG - lopesfilholuizcesar@gmail.com
Victor Alves Ribeiro, Professor na Faculdade Evangélica de Goianésia
Doutor em Agronomia, Faculdade Evangélica de Goianésia - victor.alvesribeiro@yahoo.com.br
Walber Alves Ribeiro, Estudante na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Campus Jaboticabal
Graduando em Agronomia, Universidade do Estado de São Paulo - walber.alvesribeiro@gmail.com
Flávio Henrique Ferreira Gomes, Doutorando em Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
Doutorando em Ciências Agrárias, Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde - flaviohenriquefg@hotmail.com
Guilherme Goulart Furtado, Estudante em Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
Graduando em Agronomia do Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde goulart.fguilherme@gmail.com
Moara Mariely Vinhais Souza, Estudante e Bolsista CNPq em Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
Graduanda em Agronomia do Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde - moaramariely@hotmail.com
Willian Marques Pires, Mestre em Ciências Agrárias pelo Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde
Mestre em Ciências Agrárias, Instituto Federal Goiano, Campus Rio Verde - willian.pires@ifgoiano.edu.br
José Mateus Kondo Santini, Professor em Instituto de Ensino Superior de Rio Verde
Doutor em Agronomia, Instituto de Ensino Superior de Rio Verde - santinijmk@gmail.com
Publicado
2018-05-14