Qualidade fisiológica de sementes de soja tratadas e armazenadas - Physiological quality of treated and stored soybean seeds.

  • Gustavo Cruvinel Rocha
  • Aurélio Rubio Neto
  • Sihélio Júlio Silva Cruz
  • Gabriela Wilk Baião Campos
  • Alan Carlos de Oliveira Castro
  • Gustavo André Simon

Resumo

ResumoDurante o armazenamento as sementes ou grãos podem sofrer alterações em sua composição química, em razão do ambiente de estocagem. Diante disto, a produção de sementes de alta qualidade fisiológica dependerá do somatório de todos os atributos genéticos, físicos, fisiológicos e sanitários. Entretanto, pouco se sabe sobre os efeitos nas sementes por meio da operação de colheita, secagem beneficiamento e armazenamento por longos períodos de tempo. Por isso, foi conduzido no laboratório de sementes da Universidade de Rio Verde, este estudo com o objetivo de avaliar a qualidade fisiológica de sementes tratadas sob diferentes condições de armazenamentos. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado 2x5x7, sendo duas condições de armazenagem (armazém convencional e climatizado), cinco tratamentos de sementes e sete épocas de avaliação, com quatro repetições. Aos 0, 20, 40, 60, 80, 100, 120 dias após a imposição dos tratamentos foram avaliadas germinação, índice de velocidade de emergência, envelhecimento acelerado e comprimento de raiz. Os tratamentos químicos aplicados nas sementes de soja (cultivar M 7739 IPRO) reduziram o vigor das sementes.Palavras-Chave: Glycine max, germinação, vigor.AbstractDuring storage as seeds or grains may suffer in their chemical composition, because of the storage environment. In view of this, a production of high quality physiological seeds will depend on the sum of all genetic, physical, physiological and sanitary attributes. However, little is known about the effects of seeds by harvesting, drying, processing and storage for long periods of time. Therefore, it was conducted in the seed laboratory of the University of Rio Verde, in order to evaluate a physiological quality of seeds treated under different storage conditions. The experimental design was used for the completely randomized 2x5x7, two storage conditions (conventional and air conditioned warehouse), five seed treatments and seven evaluation periods, with four replications. At 0, 20, 40, 60, 80, 100, 120 days after an imposition of treatments for evaluated germination, emergence speed index, accelerated aging and root length. The chemical treatments applied in soybean seeds (cultivar M 7739 IPRO) reduced seed vigor.Keywords: Glycine max, germination, vigor.

Referências

REFERÊNCIAS AGUIAR, R. W. S.; BRITO, D. R.; OOTANI, M. A.; FIDELIS, R. R.; PELUZIO, J. N. Efeito do dióxido do carbono, temperatura e armazenamento sobre sementes de soja e micoflora associada. Revista Ciência Agronômica, v.43, p.554-560, 2012.
ALVES, A.C.; LIN, H.S. Tipo de embalagem, umidade inicial e período de armazenamento em sementes de feijão. Scientia Agraria. Piracicaba, v.4, p.21-26, 2003.
AMARAL, A.S.; BAUDET, L.M. Efeito do teor de umidade da semente, tipo de embalagem e período de armazenamento, na qualidade de semente de soja. Revista Brasileira de Sementes, v.5, p.27-36, 1983.
BAIL, J.L. Relações entre tratamento de sementes de soja, os parâmetros fisiológicos e sanitários e a conservação das sementes. 2013. 41f. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Universidade Estadual de Ponta Grossa. 2013.
BALARDIN, R. S.; LOCH, L. C. Efeito de thiram sobre a germinação de sementes de centeio e aveia. Revista Brasileira de Sementes, v. 9, p. 113-117, 1987.
BINGHAM, L.J.; HARRIS, A.; McDONALD, L. A comparative study of radicle and coleoptile extension in maize seedlings from age and unaged seed. Seed Science and Technology, v.22, p.127-139, 1994.
BRACKMANN, A.; NEUWALD, D. A.; RIBEIRO, N. D.; FREITAS, S. T. Conservação de três genótipos de feijão (Phaseolus vulgaris L.) do grupo carioca em armazenamento refrigerado e em atmosfera controlada. Ciência Rural, v.32, p.911-915, 2002.
BRASIL. Ministério da Agricultura do Abastecimento e da Reforma Agrária. Regras para análise de Sementes. Brasília - DF: Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. 365p. 2009.
CARVALHO, N.M.; NAKAGAWA, J. Sementes: Ciência, tecnologia e produção. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP, 2000. 588p.
DAN, L.G.M. Qualidade Fisiológica de Sementes de Soja Tratadas Com Inseticidas Sob Efeito do Armazenamento. Revista Brasileira de Sementes, v. 32, p.131-139, 2010.
DELOUCHE JC; BASKIN CC. Accelerated aging techniques for predicting the relative storability of seed lots. Seed Science and Technology, v. 1, p.427-452. 1973.
DOS SANTOS, M. P.; VALE, L. S. R.; REGES, N. P. R.; CARVALHO, B. M. Desempenho de sementes de quatro cultivares de feijão (Phaseolus vulgaris L.) na microregião de ceres-go. Global Science and Technology, v. 8, n. 3, 2016.
ELLIS, M. A.; ILYAS, M. B.; SINCLAIR, J. B. Effect of three fungicides on internally. In: INTERNATIONAL RICE RESEARCH INSTITUTE. Rice germplasm collecting, preservation, USE. Manila: [s.n.], p.81-85, 1991.
GREGGIO, E, A.; BONINI, E. A. Qualidade do grão de soja relacionada com o teor de acidez do óleo/soybean quality and oil acidity rates. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 7, p. 645, 2014.
HARRINGTON, J. F. Seed storage and longevity. In: KOZLOWSKI, T.T. Seed biology. New York: Academic Press, v.3, p.145-245, 1972.
HAUAGGE, C. A. C.; SILVA, A. C. Efeito do tratamento de semente com fungicida sobre a emergência em campo e doenças foliares da cevada. Revista Brasileira de Sementes, v. 2, p. 107-112, 1980.
KAISER, W. J.; HANNAN, R. M. Seed-transmission of Ascochyta rabiei in chickpea and its control by seed-treatment fungicides. Seed Science and Technology, v. 16, p. 625- 637, 1988.
KRZYZANOWSKI, F.C.; HENNING, A.A.; HENNING, F.A.; FRANÇA-NETO, J.B.; LORINI, I. Influência do volume de calda e da combinação de produtos usados no tratamento da semente de soja sobre seu desempenho fisiológico. Resumo, XXXIV Reunião de pesquisa de soja. Londrina, Agosto, 2014.
MADEIRA, M. C. B.; REIFSCHNEIDER, F. J. B.; CAFÉ FILHO, A. Eficiência e fitotoxidez de fungicidas no tratamento de sementes de lentilha para o controle de Rhizoctonia solani. Horticultura Brasileira, v. 6, p. 36-37, 1988.
KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA NETO, J.B. Teste de envelhecimento acelerado. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p.3.1-3.
MARCOS FILHO, J. Teste de envelhecimento acelerado. In: Teste de vigor em sementes. VIEIRA, R.D.; CARVALHO, N.M.(Ed.). Jaboticabal: FUNEP, 1994. 164p. p133-149.
MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, , p. 176-177, 1962.
MARCOS FILHO, J; KIKUTI, A.L.; LIMA, L.B. Métodos para avaliação do vigor de sementes de soja, incluindo a análise computadorizada de imagens. Revista Brasileira de Sementes, v.31, p.102-112, 2009.
MENTEN, J.O.M. Tratamento de sementes. In: SOAVE, J; OLIVEIRA, M.R.M. & MENTEN, J.O.M. (eds.). Tratamento químico de sementes. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PATOLOGIA DE SEMENTES, 4, Gramado, 1996. Anais. Campinas: Fundação Cargill, 1996. p.3-23.
NAKAGAWA, J.; KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA-NETO, J.B. Testes de vigor baseados no desempenho germinativo das plântulas. In:. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. cap.2, p.1-24.
OLIVEIRA, L.M.; SCHUCH, L.O.B., BRUNO, R.L.A.B., PESKE, S.T. Qualidade de sementes de feijão-caupi tratadas com produtos químicos e armazenadas em condições controladas e não controladas de temperatura e umidade. Semina: Ciências Agrárias, v. 36, p. 1263-1276, 2015.
PARK, C. E.; KIM, Y. S.; PARK, K. J.; KIM, B. K. Changes in physicochemical characteristics of rice during storage at different temperatures. Journal of Stored Products Research, v.48, p.25-29, 2012.
PEREZ-GARCIA, F.; GONZALEZ-BENITO, M. E. Seed germination of five Helianthemum species: Effect of temperature and presowing treatments. Journal of Arid Environments, v.65, p.688-693, 2006.
PFLEGER, F. L.; GROTH, J. V.; RELLING, T. P. The assessment of fungicides for control of pea root rot in the field. Plant Disease Reporter, v. 60, p. 317-321, 1976.
POPINIGIS, F. Fisiologia da semente. 2. ed. Brasília: AGIPLAN, 1985. 289p.
RESENDE, J.C.F. et al. Efeito da época de colheita e condição de armazenamento na qualidade fisiológica de sementes de soja (Glycine max (L.) MERRIL). Revista Ceres, v. 43, p.17- 27, 1996.
RIGUEIRA, R. J. A.; LACERDA FILHO, A. F.; VOLK, M. B. S. Avaliação da qualidade do feijão armazenado em ambiente refrigerado. Alimentos e Nutrição, v.20, p.649-655, 2009.
ROBERTS, E.H. Physiology of aging and its application to drying and storage. Seed Science and Technology, v.9, p.359-372, 1981.
ROCHA, V.S.; OLIVEIRA, A.B.; SEDIYAMA, T.; GOMES, J.L.L.; SEDIYAMA, C.S.; PEREIRA, M.G. A qualidade da semente de soja. Viçosa: UFV, 76p. (Boletim, 188). 1996.
SANTOS, C.M.R.; MENEZES, N.L.; VILELA, F.A. Alterações fisiológicas e bioquímicas em sementes de feijão envelhecidas artificialmente. Revista Brasileira de sementes, v.26, p. 110-119, 2004.
SILVA, J.B.; LAZARINI, E.; SÁ, M.E. Comportamento de semente de cultivares de soja, submetidos a diferentes períodos de envelhecimento acelerado. Bioscience Journal, v.26, p.755-762, 2010.
SINHA,R;N.; MUIR,W.E. Grain Storage: part of a System. AVI Publishing Company Inc., Westport, CT. Connecticut. 1973. 481p.
TOLEDO, F.F.; MARCOS FILHO, J. Manual da sementes: tecnologia da produção. São Paulo: Agronômica Ceres, 1977. 218p.
TOOLE, Ε. H. e TOOLE, V. K. Relation of temperature and seed moisture to the viability of stored soybean seed. U. S. D. A. 9 p. (Circular 753), 1946.
ZIMMER, P. D. Fundamentos da qualidade da semente. In: PESKE, S. T.; VILLELA, F. A.; MENEGHELLO, G. E. (Ed.). Sementes: fundamentos científicos e tecnológicos. Pelotas: UFPEL, cap. 2, p. 106-160. 2012.
Publicado
2017-07-03